Graciosa Online

Pólo Local de Prevenção e Combate à Violência Doméstica da Graciosa



O Pólo e a sua Intervenção
  2012-02-10

A Violência Doméstica caracteriza-se pela existência de um comportamento violento continuado exercido, directa ou indirectamente, sobre qualquer pessoa que habite ou tenha habitado no mesmo agregado familiar (e.g. cônjuge, companheiro/a, filho/a, pai, mãe, avô, avó). Com este padrão de comportamento violento continuado, o agressor pretende causar na vítima danos físicos, psicológicos


Violência no namoro  2012-02-23

Não se pode dizer que existe uma fórmula-mágica para namorar. Realmente em tempos (e ainda hoje) diziam que o segredo estava em ceder às vontades do/da outro/outra e ele/ela ficaria feliz. Contudo, podemos afirmar que namorar é aceitar o/a outro/a como ele/ela é e não apenas as coisas mais fáceis.



As Vítimas de Violência Doméstica  2012-05-04

Qualquer pessoa pode ser vítima de violência doméstica, independentemente do sexo, da idade, escolaridade, situação económica e profissional, condição social, cultura ou religião. No entanto, será de referir que os estudos demonstram-nos que as vítimas tendem a ser predominantemente do sexo feminino e os agressores maioritariamente, do sexo masculino. 



Ciclo da violência  2012-08-06

Na Violência Doméstica pode constatar-se a existência de um ciclo, em que a relação do casal passa por três fases distintas. Inicialmente há uma fase de aumento da tensão, a seguir verifica-se a fase do ataque violento ou do episódio de violência e finalmente a fase de apaziguamento, reconciliação ou de "lua-de-mel".



Mitos sobre a Violência Doméstica  2012-09-06

Existem muitos preconceitos que por vezes impedem as vítimas de violência doméstica de tomarem uma decisão que melhore a sua situação. Seguem-se algumas ideias acompanhadas de uma breve reflexão.



A importância das Casas de Abrigo  2012-11-20

As Casas Abrigo surgiram com a finalidade de proporcionar às mulheres vítimas e aos seus filhos com idade inferior a 18 anos, um alojamento seguro, onde possam estar afastados do agressor, zelando-se, deste modo pela protecção da sua integridade física e psicológica.



A mulher enquanto vítima de violência doméstica  2012-12-04

Ao longo da história foi possível observar a existência de um modelo de dominação masculina em várias áreas da vida em comunidade, o que fez com que as mulheres, de certo modo, fossem consideradas como detentoras de um papel limitado e de inferioridade face aos homens.

Pólo Local de Prevenção e Combate à Violência Doméstica da Graciosa