Graciosa Online

Rui Carneiro



Um caminho passado... um fututo lonquícuo 2013-03-06

Esta minha idolatria pela Graciosa e pelos Açores torna-se cada vez mais inveterada pelo facto de ter a sensação da perdida de identidade, pelo oposto, concebo que me separo da minha zona de conforto. Peço desculpa por esta expurgação sentimental, mas estando do outro lado do mar e podendo comparar ideias, normas, culturas e sensações /emoções, verifico uma colossal escassez de relações humanas, sentindo falta dessas vossas disposições.



Futebol Mental 2013-04-06

Verifica-se que o processo de treino no futebol é transversal a múltiplas disciplinas, ciências sociais, neurociências, filosofias, ciências do desporto, medicina, etc...não dependemos só de uma, mas da interligação de todas. Isto é só um caminho, o meu ... no processo de treino, qualquer ideia é válida, interessa que nunca abandonemos os nossos princípios e teremos que os defender.


A Crise 2013-05-06

A crise é uma perturbação de cada um de nós, em dado momento das nossas relações, em cada tomada de posição, caminhamos em sentido contrário à resolução dos problemas estruturais, somente nós, sociedade relacionada, poderemos resolver esta complexa orientação.


Uma Graciosa culturalmente Desportiva... com tendência a desaparecer  2013-09-23

Como privilegiado pelos anos que passei nos Açores, com interesse individual no futebol, sempre que assistia a um jogo de futebol onde competiam equipas da Graciosa, os comentários eram sempre os mesmos, "é uma equipa muito aguerrida, é uma equipa apoiada no coletivo, jogam com uma vontade e entrega grande ". Agora e distante, depois de ter passado pela Graciosa, recordo estas palavras e identifico nelas, o povo da Ilha Branca, um povo unido em prol do que é seu... O futebol não pode acabar, terminará um ciclo de associação entre todos, desportivamente.



Tributo aos Açores  2012-12-30

No céu há um fundo de oiro ténue misturado ao branco, pasmado e triste, e que mal se distingue. As coisas acentuam-se um pouco, mas a esta luz delicada a mudança faz-se também duma maneira delicada. Todo o movimento é nas pontas dos pés. O branco-gris transe de roxo, deixando as sombras desmaiadas, o branco-branco amarelece e logo se queda arrependido, o azul distingue-se um pouco sobre o ar, e lá para os fundos os verdes diluídos estremecem duvidosos da cor que hão de tomar - azul ou roxo...


 

Rui Carneiro