Local

Açores: Governo quer proibir cultivo de organismos geneticamente modificados no arquipélago

O Governo dos Açores vai apresentar no parlamento regional durante o primeiro trimestre de 2012 uma proposta legislativa para proibir o cultivo de organismos geneticamente modificados (OGM) no arquipélago, anunciou hoje Noé Rodrigues, secretário regional da Agricultura.

Açores: Governo quer proibir cultivo de organismos geneticamente modificados no arquipélago

Noé Rodrigues, que falava aos jornalistas depois de uma audição sobre esta matéria na Comissão de Economia da Assembleia Legislativa dos Açores, afirmou que a iniciativa assume uma caráter "cautelar", garantindo que o executivo não tem uma perspetiva "dogmática" sobre esta questão.

"Neste momento, por razões de cautela, achamos que devemos introduzir o princípio do não cultivo de OGM na região", frisou o secretário regional, salientando ainda a falta de certezas da comunidade científica sobre esta matéria.

Noé Rodrigues reconheceu que, numa região em que é "fundamental manter níveis de competitividade e sustentabilidade agrícola", importa acompanhar o "evoluir das posições da comunidade científica" neste domínio para "em cada momento poder tomar as decisões mais adequadas".

"Nesta fase, considerando aquilo que oferecemos como região de destino de turismo de qualidade, os impactos económicos na agricultura e a valorização dos produtos agrícolas regionais, é conveniente manter o arquipélago livre do cultivo de OGM", defendeu.

Noé Rodrigues comentou ainda a posição manifestada pelo presidente da Federação Agrícola dos Açores, Jorge Rita, que considerou ser "hipócrita" e lesiva dos interesses dos produtores regionais a proibição da cultura de OGM no arquipélago.

Para o secretário regional da Agricultura, quem revela hipocrisia nesta matéria é a Comissão Europeia.

"A hipocrisia está na posição comunitária que, ao proibir, condicionar e limitar o cultivo de OGM, autoriza, por exemplo que se importe ou se venha a importar de forma descontrolada carne da América do Sul, produzida com base em OGM que na Europa não são utilizados", frisou.

(Lusa)