Local

Açores querem afirmar-se como referência no turismo de natureza (vídeo)

A ligação à natureza é uma "componente essencial" do futuro do turismo nos Açores, que se pretende afirmar como uma região de referência nesta área, onde os visitantes possam usufruir das belezas naturais e não apenas observá-las.


"É por aí que temos que caminhar, para tornar os Açores uma região de turismo de natureza que seja uma referência. Temos todas as condições para isso", afirmou Vasco Cordeiro, secretário regional da Economia, na apresentação da VI Bienal do Turismo em Espaço Rural.

Para o secretário regional, esta reunião, que vai decorrer de 18 a 21 de abril nas Velas, em S. Jorge, permitirá reforçar a forma como o turismo em espaço rural pode contribuir melhor para a "imagem de marca" dos Açores, que é o turismo de natureza.

O turismo em espaço rural representa atualmente cerca de 10 por cento da oferta de camas no arquipélago, disponibilizando mais de um milhar de camas em todas as ilhas, exceto no Corvo.

Este é um nicho de mercado que tem contrariado as quebras que o setor sofreu devido à crise, registando mesmo um aumento da procura.

"A oferta na área do turismo em espaço rural tem vindo a crescer de forma significativa em quantidade e qualidade, existindo ilhas, como o Pico, onde predomina em relação à hotelaria tradicional", salientou.

Vasco Cordeiro frisou que a aposta é "passar de um turismo contemplativo para um turismo mais baseado na experiência".

"Queremos apostar mais na experiência e menos na contemplação, queremos que o turista não observe apenas as belezas dos Açores, mas usufrua dessas belezas", afirmou, acrescentando que esta mudança estratégica permitirá tornar os Açores um "destino turístico mais apelativo".

Para Gilberto Vieira, presidente da Associação de Turismo em Espaço Rural - Casas Açorianas, o principal argumento deste setor é "uma oferta com alma, onde reside a autenticidade açoriana".

"A simplicidade e a autenticidade são as nossas principais características. Damos conforto e proporcionamos um contacto direto com as pessoas e, quem nos procura, é isso que pretende, o convívio com os açorianos", afirmou Gilberto Vieira.

(FR/Lusa)

Vídeo: José Fernando Bettencourt