Local

Câmara da Horta fica com o rés-do-chão do quartel de bombeiros para parque de estacionamento (Vídeo)

A Câmara Municipal da Horta e a Associação de Bombeiros Voluntários Faialenses, nos Açores, chegaram hoje a acordo para uma permuta de terrenos com vista à construção do novo quartel, orçado em 2,5 milhões de euros.



De acordo com a declaração de compromisso entre as duas partes, hoje apresentada em conferência de imprensa, a autarquia vai ceder um terreno de 15 mil metros quadrados na zona industrial, mas fica com a posse do rés-do-chão do quartel, no centro da cidade, para um futuro parque de estacionamento.

"Julgo que é um acordo que satisfaz ambas as partes", disse o presidente do município, José Leonardo Silva, assinalando que "nunca foi intenção da câmara ficar com um cêntimo dos bombeiros".

Uma solução semelhante já tinha sido proposta pelo município, mas era contestada por alguns sócios da Associação de Bombeiros Voluntários, que não compreendiam por que razão a autarquia insistia em ficar com a posse total ou parcial do velho quartel.

José Leonardo Silva esclareceu agora que se o terreno cedido pela câmara tiver um valor patrimonial inferior ao rés-do-chão do quartel, a autarquia vai compensar financeiramente a corporação.

Em causa está a propriedade do terreno agora cedido pela câmara, pertencente à empresa municipal Urbhorta, que, segundo o autarca, tem de ser ressarcida pela perda de património, solução agora assegurada com esta permuta com os bombeiros.

O presidente da Associação de Bombeiros Voluntários, José Braia Ferreira, admitiu que a solução "satisfaz os órgãos sociais", mas reconheceu que, inicialmente, a permuta não era bem vista pela associação.

"No seio da própria associação não havia entendimento e não havia no seio da própria direção. É natural que, nestes processos, o coração fale mais alto do que a razão e defende-se o que é nosso até às últimas instâncias. Foi o que aconteceu com alguns sócios", considerou José Braia Ferreira, para justificar o desentendimento que existia até agora.

A declaração de compromisso hoje divulgada terá de ser primeiro ratificada em reunião do executivo municipal e na assembleia geral dos bombeiros e só depois a permuta é oficializada.

O atual quartel de Bombeiros Voluntários do Faial não oferece condições operacionais para os soldados da paz.

O Governo Regional dos Açores já elaborou o projeto para a construção de um novo quartel, que ficará situado fora da cidade, no terreno agora cedido pela câmara, investimento na ordem dos 2,5 milhões de euros.

Lusa e RTP-Açores