Local

Câmara de Santa Cruz das Flores rejeita apoios do governo central

O presidente da Câmara de Santa Cruz, ilha das Flores, garantiu hoje que a situação financeira da autarquia dispensa o recurso à linha de crédito criada pelo Governo para apoio ao poder local e excluiu a possibilidade de agravamento das taxas municipais no concelho.

Câmara de Santa Cruz das Flores rejeita apoios do governo central


"Somos o município dos Açores em melhor situação financeira, pagamos com um prazo médio de seis dias e não temos dívidas nem a fornecedores nem a empreiteiros", assegurou Manuel Pereira (PS) em declarações à agência Lusa.

O autarca socialista criticou, por isso, a "falta de rigor" de notícias indicando que a Câmara de Santa Cruz constava da lista dos municípios portugueses obrigados a recorrer à linha de crédito anunciada pelo Governo.

"Caso não haja alterações profundos nos financiamentos esperados pretendemos manter as taxas municipais cobradas no concelho nos valores mínimos previstos na lei", afirmou Manuel Pereira, garantindo também que a Câmara de Santa Cruz pretende manter os serviços sociais gratuitos que tem prestado desde que há 11 anos assumiu funções.

Lamentou, por outro lado, que face à atual conjuntura os autarcas portugueses sejam "tratados todos por igual", quando são diferentes as formas de gestão que adotaram.

"Isso desgosta-me e é revoltante", sublinhou o presidente da Câmara de Santa Cruz das Flores, um concelho com cerca de 2.500 habitantes.