Política

CDS-PP reclama radares meteorológicos para os Açores

A bancada do CDS/PP na Assembleia Legislativa dos Açores vai propor a instalação de três radares meteorológicos no arquipélago para evitar a repetição de "situações dramáticas" nas ilhas devido ao mau tempo.

CDS-PP reclama radares meteorológicos para os Açores

O anúncio foi feito hoje pelo líder parlamentar dos centristas na assembleia regional, Artur Lima, no final de uma visita às instalações da empresa Amberjack Solutions, na ilha do Pico, no âmbito das jornadas parlamentares que o partido está a realizar, dedicadas à proteção civil e às novas tecnologias.

"Pretendemos que os governos da Região e da República desenvolvam as diligências necessárias para a instalação de uma rede de radares meteorológicos, nos três grupos de ilhas, prevista desde a década de 80 do século passado", insistiu o deputado.

No seu entender, é necessário que cada um dos executivos "faça a sua parte" na melhoria das condições técnicas das previsões meteorológicas, para que se possa "evitar a repetição de situações dramáticas" como as que têm ocorrido no arquipélago, como as derrocadas e enxurradas das últimas semanas, que ceifaram vidas e destruíram bens.

O também líder do CDS-PP/Açores disse ainda que vai recomendar ao Governo Regional a "concretização de uma velha promessa nunca executada": a instalação da rede regional de estações de superfície.

Segundo explicou, a empresa que os deputados do CDS-PP visitaram, na ilha do Pico, possui o "'know-how' necessário para ser parceira da Região" neste domínio, lamentando que esse conhecimento esteja a ser "desaproveitado" pelo executivo socialista.

"Esta empresa não precisa de subsídios do Governo, não é subsídio-dependente, nem governo-dependente. Pratica o empreendedorismo, ao contrário daquilo que faz o Governo que é financiar o empreendedorismo de papel", sublinhou.

A "Amberjack Solutions" podia dar também uma "excelente colaboração" no arquipélago em áreas como a sismologia, a rede de estações meteorológicas de superfície, ou até na aquacultura, defendeu.

Artur Lima lamentou, no entanto, que Governo Regional não queira apoiar os empresários "verdadeiramente dinâmicos", que apresentam "projetos de qualidade", acusando o Executivo socialista de Vasco Cordeiro de fomentar a subsidiodependência, para que os empresários "lhes vão beijar a mão".

Com Lusa