Ouvir
José Candeias
Em Direto
José Candeias

Apoios

Apoio A1: Festival 7 Sóis 7 Luas

|

Apoio A1: Festival 7 Sóis 7 Luas

 A Ana Sofia Carvalheda esteve 3 dias na cidade italiana de Pontedera, a assistir a edição 20 do Festival Sete Sóis Sete Luas, e faz agora o resumo do que viu e ouviu com destaque para a noite portuguesa que contou com a fadista Cristina Maria e o músico-compositor Custódio Castelo.

2ª feira - 16 de Julho:



Dor Calator: Danças tradicionais da Roménia




Custódio Castelo e Cristina Maria


3ª feira - 17 de Julho




Cordas do Sol


4ª feira - 18 de Julho:







5ª feira - 19 de Julho: 07h40 
6ª feira - 20 de Julho: 16h20

Conheça a programação de Pontedera (I)

Conheça a programação de Pontedera (II)


*****

30 cidades de 11 países
da bacia mediterrânea vão este ano acolher mais uma edição do "Festival 7 Sóis, 7 Luas".
Em Portugal para além de Reguengos de Monsaraz, Castro Verde e Odemira o Festival vai estar também em Oeiras, Alfandega da Fé, Ponte de Sôr,  e Madalena (Açores).


Ana Sofia Carvalheda viaja musicalmente por 20 anos do Festival Sete Sóis Sete Luas,




O Festival Sete Sóis Sete Luas chega - como todos os anos - às sextas feiras de Oeiras e aos eventos culturais de Alfândega da Fé para aquecer o verão e dar a sensação de ter voado, ao som da música, até alguns dos locais mais bonitos do Mediterrâneo. Desta vez a viagem é até ao sul da Itália: serão os Jureduré da Calábria a abrir o cartaz musical da Fábrica da Pólvora de Barcarena de Oeiras e do Largo S. Sebastião de Alfandega.



Jureduré 

Os Jureduré contam as histórias, sempre atuais, das migrações: tanto das do povo italiano do século anterior, como das dos africanos que chegam todos os dias em condições desumanas à ilha de Lampedusa, no sul da Sicília. Com a música- cheia de energia e paixão - eles lançam denuncias, contam histórias que concernem a todos nós e que não podemos ignorar. O grupo também é fruto duma "migração": embora tenha nascido em Bolonha, em 2004, é composto por sete músicos, todos com origem na região da Calábria. Trabalham ativamente desde 2006 em músicas para cinema e interpretaram bandas sonoras de realizadores relevantes como Giorgio Diritti no pluri-prémiado "O homem que chegará", e na obra " O voo",  cuja ação se desenrola numa aldeia da Calábria do realizador alemão Wim Wenders. Os Jureduré levam ao palco os sons, as atualidades e as memórias históricas que constituem o fio condutor da sua história musical, suspendida entre as origens calabresas e a adoção de Bolonha.



Conheça toda a programação do Festival