01:00 Música Contemporânea
02:00 Madrugada
Programa Império dos Sentidos
Império dos Sentidos
Paulo Alves Guerra / Produção: Ana Paula Ferreira

Luigi Cherubini

Luigi Cherubini

Florença: 8 de Setembro de 1760
Paris: 15 de Março de 1842

Emmanuel Chabrier

- Étoile

Francesco Cilea

- Adriana Lecouvreur

Johann Georg Conradi

- A Bela e Fiel Ariana

João de Sousa Carvalho

- Testoride Argonauta

Dmitry Chostakovich

- O Nariz

Lodoïska

Ópera em três atos

LibretoClaude-François Fillette-Loraux

EstreiaTeatro Feydeau em Paris, a 18 de Julho de 1791

AntecedentesLodoïska é uma comédia heroica em três actos de Luigi Cherubini com libreto em francês de Claude-François Fillette-Loraux, a partir de um episódio da novela Les amours du chevalier de Faublas, de Jean-Baptiste Louvet de Couvrai.

Estreada no Teatro Feydeau em Paris, a 18 de Julho de 1791, a ópera foi recebida com bastante entusiasmo e chegou às 200 apresentações. Tornou-se tão popular que mais tarde, em 1819 foi reposta no Feydeau, partindo num verdadeiro assalto a diversos teatros alemães, em Viena e até Nova Iorque, já em 1826.

O seu sucesso prende-se em muito com a fluidez das suas linhas vocais, com a novidade da sua orquestração, e um enredo que antecipa as futuras óperas românticas, estimulando a imaginação da Paris revolucionária com um cenário onde a liberdade, a igualdade e a fraternidade se têm que confrontar com a tirania.

Com Lodoïska, Cherubini abandona a tradição da opera seria italiana, escolhendo a forma mais livre da opéra comique, Cherubini não deixa de parte certos elementos da tragédie lyrique, dando um importante contributo para o desenvolvimento da opéra comique no sentido de quase erradicar as diferenças entre os dois géneros com a excepção do diálogo falado. As simples e estroficas ariettes dão lugar a árias desenvolvidas, os conjuntos tornam-se na norma e não na excepção e a orquestra adquire características sinfónicas. Com Lodoïska, Cherubini assegura a admiração dos franceses e a estima dos seus colegas compositores. 

Resumo

A acção da ópera tem lugar na Polónia por volta de 1600. Titzikan (barítono) é o líder de um grupo de guerreiros tártaros cuja ambição é vingar-se da crueldade do Barão Dourlinski (baixo). Titzikan é abordado pelo conde Floreski (tenor) junto ao castelo de Dourlinski. O conde procura por Lodoïska (soprano), por quem está apaixonado. Agora que o pais dela morrera, Floreski tenciona casar com ela. Contudo ela é agora prisioneira de Dourlinski que diz libertá-la apenas quando ela prometer casar com o Barão. Floreski põe um plano em marcha que visa resgatar Lodoïska do castelo e conta com a ajuda de Titzikan. Floreski disfarça-se e consegue entrar no castelo, mas é rapidamente surpreendido e levado para as masmorras. O barão Dourlinki sabe do amor que une Floreski a Lodoïska e começa a planear uma vingança. Nesse momento é interrompido por uma revolta tártara liderada por Titzikan. No meio da batalha o castelo incendeia-se e parte dele colapsa. Aproveitando a confusão Floreski consegue chegar até à torre onde está Lodoïska para salvá-la. Dourlinski por sua vez é capturado por Titzikan. A ópera termina com o abraço de Lodoïska e Floreski tendo como cenário as ruínas do castelo, símbolo da queda do tirano Dourlinski.

pub.
RTP | 02 julho 19h00
RTP | 02 julho 19h00
Concerto Antena 2
RTP | 04 julho 19h00
RTP | 04 julho 19h00
Concerto Antena 2
PÓVOA DE VARZIM
PÓVOA DE VARZIM
julho 2014 | 11 a 29
RTP | 4 de julho 2014
Marta Menezes
Redes Sociais: