Ouvir
Café Plaza
Em Direto
Café Plaza Germano Campos

Argumentos de Óperas, Obra


Clemencia de Tito

Ópera encomendada para a coroação do Imperador da Boémia, Leopoldo II

AntecedentesEm Julho de 1791, o ultimo ano da sua vida, Mozart estava a meio da composição da "Flauta Mágica" quando recebeu uma encomenda para compor uma ópera séria. A encomenda era feita pelo empresário Domenico Guardasoni que vivia em Praga, encarregue pelo Estado da Boémia de arranjar uma nova obra para celebrar a coroação de Leopoldo II. A cerimónia estava agendada para o dia 6 de Setembro e Mozart recebia a encomenda em Junho, por isso não tinha muito espaço de manobra.

Num contrato datado de 8 de Julho, Guardasoni prometia contratar um castrato "de grande qualidade" (como se o cantor fosse mais importante que a própria ópera); "que o libreto deveria se possível ser novo... e que a música seria composta por um dos mais ilustres maestros do império". O tempo era pouco e Guardasoni acrescentou assim um última cláusula que dizia que se não houvesse tempo para se encontrar um novo libreto, então usar-se-ia a obra-prima de Pietro Metastasio, escrita à mais de cinquenta anos, "La Clemenza di Tito".

Foi assim que ponderando sobre a falta de tempo Guardasoni optou pelo libreto de Metastasio. Em pouco mais de meio mês Mozart entregava as partituras e a estreia tinha lugar algumas horas após a cerimónia de coroação, no Teatro Estatal em Praga. O papel de Sesto era interpretado pelo castrato soprano, Domenico Bedini.

Embora tenha sido criticada por alguns que a viam como uma obra menor no contexto do ultimo período criativo do compositor e até como um retrocesso em relação às suas óperas mais recentes, a Clemência de Tito foi muito bem recebida em Praga e permaneceu popular mesmo para além da morte de Mozart, tendo sido das primeiras a atravessar quase toda a Europa com sucesso.

ResumoVitelia, Filha de Aulus Vitellius, ex-imperador de Roma, deseja casar-se com o actual imperador Tito Vespasiano. Contudo ao saber que ele escolheu para sua noiva a princesa Berenice, fica ressentida e convence seu eterno apaixonado Sesto a incendiar o Capitólio e, no meio da confusão, assassinar Tito. Entretanto corre a notícia que o Imperador desistiu de Berenice. Vitelia vê renovadas as suas esperanças e manda Sesto suspender a conspiração. Acontece que Tito anuncia que se vai casar com Servilia, irmã de Sesto. Esta, por sua vez, está apaixonada por Annio, amigo de Sesto, e por isso resolve confessar ao Imperador que o seu coração já pertence a outro. Tito fica encantado com a franqueza e desiste dela. Entretanto, Vitelia soube da nova noiva e, mais ressentida ainda, manda Sesto executar a sua ordem. O Imperador anuncia então que se casará com Vitelia. Ela ainda tenta deter Sesto, mas é tarde demais e não consegue impedir Sexto. O Capitólio é incendiado, mas a tentativa de homicídio fracassa. Sesto é preso e como não quer implicar Vitelia, cala-se sem se defender. É condenado à morte. Vitelia, arrependida, confessa que foi ela quem ordenou a Sexto aquela acção e Tito usando da sua clemência, indulta a todos.