Ouvir
Império dos Sentidos
Em Direto
Império dos Sentidos Paulo Alves Guerra / Produção: Ana Paula Ferreira

Argumentos de Óperas, Obra


Kashchey, o Imortal

14ª ópera (57 anos)

Libreto: Rimsky-Korsakoff e seu irmão segundo Petrovsky

Estreia: Moscovo, Teatro Solodovnikov, 12 de Dezembro de 1902


PersonagensKashchey
A Princesa
Kashcheyevna
Príncipe Ivan Korolevich
O Cavaleiro da Tempestade

AntecedentesÉ ao crítico Evgueni Petrovski que Rimsky-Korsakov deve a ideia de escrever "Kashchey, o Imortal", inspirada num conto popular russo, e cujo esboço do libreto o crítico dera a ler ao compositor. Esse esboço agradou a Rimsky-Korsakov que pediu a Petrovski que o terminasse - o que Petrovski fez. Mesmo assim o libreto não ficou ainda como o compositor queria, e acabaria por ser ele próprio a rescrevê-lo.
Isto passava-se na Primavera de 1901, e Rimsky-Korsakov iria trabalhar na sua nova ópera durante todo o Verão e parte do Outono. A estreia teve lugar um ano mais tarde, em pleno Inverno, no dia 25 de Dezembro de 1902 do calendário russo.

SinopsePrimavera, Verão, Outono e Inverno - estações que terminam quando a seguinte começa. É precisamente sobre isso que fala a ópera de Rimsky-Korsakov. Só que a narrativa não é assim tão explícita. Kashchey é de facto o Outono que pretende atingir a imortalidade. Para isso é apenas preciso que a sua filha não chore. Ou seja: para que Kashchey nunca morra é preciso que a Princesa, sua filha, perca toda e qualquer forma de sentimento.
A ópera está dividida em 3 quadros: o primeiro e o último passados no reino de Kashchey; o segundo no jardim de Kashcheyevna.
A ópera inicia-se com Kashchey pedindo à filha que cante para o entreter. Ele mantém-na prisioneira impedindo-a de ver o seu amado, Ivan Korolévich. Assim as canções da princesa são canções tristes, cheias de nostalgia. Kashchey entrega então à filha um espelho onde ela começa por se ver a ela própria, vendo depois Kashcheyevna que se aproxima com o seu amado Ivan. Kashchey dá um grito de terror: naquela imagem ele julgou ver o anúncio da sua morte. Decide então libertar o Cavaleiro da Tempestade para que voe para junto da princesa e não a deixe fugir. Depois desencadeia um nevão que irá tornar o reino inacessível.
A acção passa então para o jardim de Kashcheyevna, que prepara uma bebida mágica enquanto afia a espada com que mata os homens que dela se aproximam. Aparece Ivan Korolévich que sucumbe à magia e ao encanto de Kashcheyevna, acabando por adormecer. Quando Kashcheyevna se prepara para o matar surge o Cavaleiro da Tempestade, e o barulho da sua chegada acorda Ivan Korolévich. Como Kashchey o mantivera prisioneiro contra sua vontade, o Cavaleiro revela a Ivan a situação desesperada da princesa. Desobedecendo em tudo às ordens que recebera, o Cavaleiro da Tempestade não só não tentou evitar a fuga da princesa como conduz agora o seu amado até ao lugar onde está feita prisioneira pelo pai.
A acção regressa assim ao reino de Kashchey onde a princesa canta uma balada na qual deseja a doença e a morte para o pai. O Cavaleiro da Tempestade chega com Ivan Korolévich. De novo juntos os jovens amantes preparam-se para fugir. Mas Kashcheyevna impede-os propondo-lhes a liberdade... desde que Ivan Korolévich fique com ela. Mas os amantes recusam separarem-se. Kashchey acorda e reconhece que a filha está presa dum amor infeliz. A princesa comove-se e beija o pai deixando cair sobre o seu rosto uma lágrima transformando-se num salgueiro. Kashchey amaldiçoa os dois jovens e morre. Com a sua morte o feitiço desfaz-se e o seu reino é engolido pelo abismo. A ópera termina com a chegada da Primavera: os Homens e as forças da Natureza unem-se ao Cavaleiro entoando louvores à Liberdade.

RDP - Transmissões em "Noite de Ópera" desde 1996
2001 - 12 de Abril
Enredo resumido da autoria de Margarida Lisboa.