Ouvir
Jazz a 2
Em Direto
Jazz a 2 João Moreira dos Santos / Maria Alexandra Corvela / Luís Caetano / Produção: Cristina do Carmo

Concertos

Mafalda Carvalho e Marco Rodrigues | 3 Janeiro 19h00

Casa da Música, Porto

|

Mafalda Carvalho e Marco Rodrigues | 3 Janeiro 19h00 Mafalda Carvalho e Marco Rodrigues | 3 Janeiro 19h00

No Festival Jovens Músicos 2016 © Fotos Pedro Pina / Antena 2 RTP


03 Janeiro | 19h00

Casa da Música, Porto
Auditório 2

 
Mafalda Carvalho e Marco Rodrigues 

Prémio Jovens Músicos / Antena 2


Mafalda Carvalho, flauta 
Filipa Cardoso, piano
Marco Rodrigues, trombone
Isolda Crespi Rubio, piano


Programa

1ª parte

Mafalda Carvalho, flauta 
Filipa Cardoso, piano

 

Frank Martin (1890-1974) - Ballade, para flauta e piano


2ª Parte

Marco Rodrigues, trombone
Isolda Crespi Rubio, piano

Robert Schumann (1810-1856) - Romances, op. 94  

Richard Peasle (1930-2016) - Arrows of Time



Dois dos mais jovens promissores instrumentistas da nova geração em Portugal apresentam-se em recital na qualidade de vencedores do nível superior do Prémio Jovens Músicos/Antena 2
Mafalda Carvalho traz em programa algumas das peças mais célebres para a flauta transversal. 
Arrows of Time, com que Marco Rodrigues encerra o recital, é uma obra que alcançou grande sucesso do compositor nova-iorquino Richard Peasle, conhecendo versões para trombone solo e orquestrações para as mais diversas formações.


Transmissão direta a partir das 19h00
Conversa com convidados / Concerto 19h30
Realização e Apresentação: João Almeida
Produção: Anabela Luís




Mafalda Carvalho nasceu a 11 de Julho de 1991 no Troviscal. É flautista e professora de flauta transversal. Foi-lhe conferido pela Universidade de Aveiro o Grau de Mestre em Ensino de Música, na classe de Jorge Salgado Correia e pela Escola Superior e Música, Artes do Espetáculo (ESMAE) o Grau de Mestre em Interpretação Artística em Flauta Transversal da classe de Ana Raquel Lima. Estudos prévios incluem a Licenciatura na ESMAE e o oitavo grau do Conservatório de Música de Aveiro Calouste Gulbenkian que concluiu com a mais elevada classificação. 
Mafalda Carvalho iniciou os seus estudos musicais aos seis anos na escola de Música da União Filarmónica do Troviscal e ingressou no Conservatório de Música de Aveiro Calouste Gulbenkian em 2000 tendo como docentes de flauta Florbela Gonçalves, José Abreu e Ana Maria Ribeiro. Participou em várias masterclasses, e integrou diversas orquestras de sopros. Em orquestras juvenis participou como membro da Orquestra de Jovens de Portugal – Momentum Perpetuum e em diversos estágios da Orquestra de Jovens dos Conservatórios Oficiais de Música, para além da Orquestra de Jovens da Sinfónica da Galiza e do Estágio Gulbenkian para Orquestra. Na sua formação em música contemporânea conta com a participação na I Academia de Verão do Remix Ensemble e foi membro do Ensemble Contemporâneo do Porto. Dos prémios que recebeu destacam-se o Primeiro lugar no Prémio Jovens Músicos de 2016, no nível superior, o Segundo lugar o Prémio de Interpretação Frederico de Freitas também em 2016, o Prémio Honorífico David Russel para Jovens Talentos em Vigo no ano de 2008, o Primeiro lugar no concurso de La-salette- Oliveira de Azeméis em 2010, Primeiro lugar no concurso Paços Premium 2010 e Terceiro lugar no Prémio Jovens Músicos, nível superior em 2010, Primeiro lugar Concurso Albertino Lucas – Fafe em 2010 e Menção Honrosa no Prémio Helena Sá e Costa em 2011, Segundo lugar no I Concurso Internacional Terras de La- Salette em Abril de 2012, Primeiro lugar no Concurso Internacional Terras de La-Salette em Abril de 2013. Prémio atribuído pelo Rotary Club Veloso &Troca, Lda por ter sido uma dos três melhores alunos da ESMAE no ano letivo de 2011/2012, para além de prémios com os seus grupos de música de câmara. Enquanto docente, deu aulas na Escola de Música da União Filarmónica do Troviscal, realizou substituições na Academia de Música de Paços de Brandão e na Escola Profissional de Arte de Mirandela e foi professora na Escola de Música de Perosinho nos anos letivos de 2014/2015 e 2015/2016. Enquanto músico de orquestra foi flautista da Fundação Orquestra Estúdio – Guimarães 2012, Capital Europeia da Cultura, colaborou com a Orquestra Filarmonia das Beiras, Orquestra Clássica da Madeira, Orquestra Gulbenkian e Orquestra Sinfónica da Galiza (com a qual realizou uma digressão a Abu Dhabi em Janeiro de 2016). Como solista tocou com a Orquestra Clássica da Madeira, com a Orquestra Sinfonieta da ESMAE e com a Orquestra Metropolitana de Lisboa na final do Concurso “Jovens flautistas 2012”. É membro do Trio Densité (flauta, clarinete e piano), do Trio Cadenza (flauta, violoncelo e piano) e do Ensemble de Flautas Éolia. Ganhou recentemente a audição para 1º Flauta da Orquestra Clássica da Madeira, que vai integrar na temporada de 2016/2017.



Marco Rodrigues nasceu em 1998 em V. N. de Famalicão. Iniciou os seus estudos musicais em 2010 na ARTAVE na classe de trombone de David Silva. Frequentou cursos de aperfeiçoamento com trombonistas tais como György Gyivicsan, Rui Pedro Alves, David Bruchez, Andreas Klein, Filipe Alves, Jarret Butler, Hugo Assunção, Stefan Schulz e Jamie Williams. Participou em estágios de orquestra com os maestros Luís Carvalho, André Granjo, Luís Campos, Peter Askim Fernando Marinho, Emílio de César, Otavio Mas-Arocas, Rafa Albors e Ernst Schelle. Ao longo do seu percurso escolar integrou as orquestras Artavinhos, Orquestra de Sopros, Orquestra Artave e os Estágios Aproarte 2014 e 2015. Em música de câmara trabalhou com o professor Paulo Silva. Em 2012 obteve o 3º prémio na categoria juvenil do Concurso Internacional Terras de La Salette tendo obtido mais tarde, em 2015, o 1º prémio na categoria júnior. Nesse mesmo ano, venceu bolsa de estudo da Fundação Yamaha e apenas um ano mais tarde venceu o 1º prémio na sua categoria do 1º Concurso Internacional de Trombone em Castelo de Paiva. No presente ano foi vencedor da categoria Larry Wiehe (até aos 23 anos) do concurso da International Trombone Association na Juiliard School em Nova Iorque. Foi vencedor da 30ª Edição do Prémio Jovens Músicos na categoria de Trombone, Nível Superior. Prosseguirá os seus estudos na Zurcher Hochschule der Kunste (Universidade de Artes de Zurique) na classe do professor David Bruchez.


Filipa Cardoso
nasceu em Tondela, em 1986, e iniciou os estudos musicais aos sete anos. Ingressou, mais tarde, no Conservatório Regional de Viseu, onde estudou piano com Jorge Martins. Prosseguiu os seus estudos com Pedro Ferro, tendo ainda frequentado o Conservatório de Aveiro Calouste Gulbenkian, na classe de Regina Castro. Foi laureada em concursos internos organizados pelos conservatórios que frequentou. O seu percurso de formação conta também com a participou em diversos cursos de técnica e interpretação pianística e de música de câmara com Orazio Maione, Fausto Neves, Francisco José Monteiro, Álvaro Teixeira Lopes, Constantin Sandu, Nancy Lee Harper, Marian Rybicki, Jaime Mota, Sergei Kovalenco, Rudolfo Rubino, Josep Colom, Eduardo Resende e Pedro Burmester e António Chagas Rosa. Esteve presente em seminários de improvisação com Marilyn Crispell, de leitura à primeira vista com Gisela Herb e de pedagogia musical com Jos Wuytack. Participou nos III e IV Cursos Regionais para Jovens Músicos, organizado e patrocinado pelo INATEL, IPJ (Viseu). Colaborou com as orquestras de sopros do VI Estágio da Banda Sinfónica da Bairrada e do Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro e com a Filarmonia das Beiras, sob a direcção de Lorenzo Della Fonte, Luís Carvalho e Ernest Schelle. Apresentou-se, a solo e integrada em agrupamentos de música de câmara, em diversas audições e recitais em escolas de música dos distritos de Viseu, Aveiro, Coimbra e Porto. Destaca-se a sua intervenção em espaços como o Auditório Luísa Todi, em Setúbal, o Auditório do Banco de Portugal, o Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém, o Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz, o Cine-Teatro de Tomar, o Teatro Municipal da Guarda, entre outros. Participou no IV e V Concursos Lopes-Graça (2008 – menção honrosa; 2010 – 1º prémio e prémio da melhor interpretação da obra de Fernando Lopes-Graça) e nos Concursos de Piano da cidade da Guarda (2008 – menção honrosa; 2009 – 1º prémio). É finalista do Curso em Ensino de Música na Universidade de Aveiro, onde estuda piano com Fausto Neves. Foi professora e pianista acompanhante no Conservatório de Águeda e, presentemente, desempenha as mesmas funções no Conservatório de Música e Artes do Dão.


Isolda Crespi Rubio, natural de Barcelona, licenciou-se em piano pelo Royal College of Music (Londres) na classe de John Barstow. Em 2013 concluiu o Mestrado em Ciências da Educação / Música na Universidade Católica Portuguesa e publicou a sua tese intitulada “O Professor Invisível. A influência do pianista acompanhador na aprendizagem musical dos estudantes de instrumento” na editora Novas Edições Acadêmicas. Atuou em recitais como solista e pianista acompanhadora em Espanha, Portugal, França, Suíça, Reino Unido, Dinamarca, Brasil e Coreia do Sul. Acompanha com frequência masterclasses, audições e concursos e tem gravado e tocado em directo em várias ocasiões para a Antena 2. Apresenta-se regularmente com a flautista Adriana Ferreira, com quem gravou em 2011 o CD Danse des Sylphes para a discográfica Numérica e em 2015 para a revista italiana Falaut. Em 2014 apresentou-se como solista com a Orquestra Artave, interpretando o Segundo Concerto para piano e orquestra de Rachmaninoff. Orientou o Curso de Piano dos Cursos de Aperfeiçoamento Técnico-Interpretativo do Conservatório de Música de Paredes (2015) e uma masterclasse de piano e de música de câmara na Universidade de Santa Maria (Rio Grande do Sul), no âmbito do Festival Harmos Brasil 2015. Atualmente é pianista acompanhadora na Escola Profissional Artística do Vale do Ave (Artave), e Professora assistente convidada na Universidade do Minho e na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto (ESMAE).



Produção | Casa da Música | Antena 2