Ouvir
Vibrato
Em Direto
Vibrato Pedro Rafael Costa

Festivais

Lisboa na rua | 25 Agosto a 1 Outubro

Verão ao ar livre

|

Lisboa na rua | 25 Agosto a 1 Outubro Lisboa na rua | 25 Agosto a 1 Outubro

Ilustrações de João Fazenda


Lisboa na rua

25 Agosto a 1 Outubro


Lisboa na Rua vai abraçar as ruas, as praças e as esquinas da cidade durante cinco fins de semana, ao final da tarde e ao anoitecer, altura em que os recantos de Lisboa se transformam para encantar e inspirar, com música, poesia, literatura, cinema, exposições e teatro. 
Um festival de entrada livre com lugar para todos.

Nesta edição, os múltiplos eventos ocorrem em muitos locais, de Belém a Benfica, passando pelo Lumiar, Carnide e pelo renovado Campo Grande, terminando na Baixa Pombalina com um acontecimento inédito, num espaço público de Lisboa, aberto a todos e que desafia músicos e ouvintes: a apresentação integral das sinfonias de Beethoven em quatro dias sucessivos. O último dia, com a apresentação da 9ª e última sinfonia, coincide com a celebração do Dia Internacional da Música, e  ainda com muita outra música, numa sucessão de concertos ao ar livre, de música orquestral, de vozes ou grupos de percussão, e também de jazz.

@José Frade


Música


A Arte da Big Band 

25 Agosto | 1 Setembro | 8 Setembro | 15 Setembro | 22 Setembro
Jardim do Arco do Cego, Saldanha | Largo de São Carlos | Jardim da Amnistia Internacional, Campolide | Parque das Conchas, Lumiar| Ribeira das Naus

Cinco concertos de orquestras de jazz com origens, repertórios e sonoridades distintos. 
Cinco fins de tarde onde o jazz dá o tom nos jardins e praças de Lisboa.


25 Agosto 19h00
Jardim do Arco do Cego

FES – Flat Earth Society
Para este espetáculo, a FES - Flat Earth Society traz temas do seu último álbum Terms of Embarassment, além de material novo que tem vindo a apresentar na sua mais recente tour no Canadá e nos E.U.A. Foi fundada em 1998, na Flandres (Bélgica) quando o clarinetista, saxofonista, teclista, compositor e produtor Peter Vermeersch, depois de trabalhar com artistas como Josse De Pauw, Anne Teresa De Keersmaeker ou Fred Frith, reuniu um grupo de inspirados músicos, formando uma big band que se transformou em muito mais do que isso. Constituída por 14 instrumentistas, seduz diferentes públicos com uma abordagem contemporânea do jazz.



1 Setembro  19h00
Largo de São Carlos

Big Band Estarrejazz
Clássicos famosos do jazz serão a banda sonora de um largo acostumado a receber grandes concertos, interpretados pela big band mais jovem que participa nesta edição, sob a direção do maestro Pedro Moreira.
A Big Band Estarrejazz formou-se em 2012, depois de uma masterclass no Festival Estarrejazz. Composta por jovens músicos, maioritariamente deste concelho e da região de Aveiro, a Big Band Estarrejazz é uma extensão do festival, mas também uma aposta na formação de músicos provenientes de bandas filarmónicas e academias de música.




8 Setembro  19h00
Jardim da Amnistia Internacional

Orquestra de Jazz do Hot Club de Portugal
António Pinho Vargas

Orquestra de Jazz do Hot Club de Portugal apresenta música do compositor António Pinho Vargas, figura incontornável do jazz e da música contemporânea portuguesa.
O conceito não foi pegar em oito temas escolhidos e instrumentá-los para orquestra, mas sim, tê-los como base e daí criar algo novo, sem contudo comprometer as composições originais. A missão, que não se revelou fácil, teve a aprovação do compositor. Dirigida atualmente por Luís Cunha, a OJHCP tem integrado no seu repertório diferentes compositores que vão desde os clássicos aos contemporâneos.



15 Setembro  19h00
Parque das Conchas

Orquestra de Jazz do Algarve


Este será um concerto pleno de standards do jazz como Summertime ou A Foggy Day, pontuado por ritmos de salsa como em El Caborojeno, e até ritmos funk. Compositores como George Gershwin, Bob Mintzer ou Maynard Ferguson farão também parte de um repertório pleno de sonoridades quentes e ritmos enérgicos, aos quais se junta a cantora Maria Anadon.
A Orquestra de Jazz do Algarve nasce na edição do Festival Lagos Jazz 2004. O projeto, concebido e criado por Hugo Alves, foi desde o início apoiado pela Câmara Municipal de Lagos e tem por pilar central a Big Band com 16 músicos residentes, sendo habitual incluir na formação vozes e/ou solistas convidados

@ Orlando Teixeira


22 Setembro  19h00
Ribeira das Naus

Orquestra de Jazz de Leiria
com Vânia Fernandes

Ella Fitzgerald Songbook
Em 2016, completam-se vinte anos sobre o desaparecimento de Ella Fitzgerald. Numa homenagem, a Orquestra de Jazz de Leiria convida a cantora Vânia Fernandes para interpretar o repertório de uma das maiores cantoras de sempre.
A Orquestra Jazz de Leiria surgiu em Fevereiro de 2011 e teve como principal objetivo reunir a comunidade jazzística da região. Teve como mentor o músico César Cardoso e foi um projeto recebido com agrado pela Câmara Municipal de Leiria, que o apoiou disponibilizando o Teatro Miguel Franco para os necessários e regulares ensaios.




Raposódia na Rua
Terreiro do Paço

3 Setembro 21h30

Orquestra Gulbenkian
Jean-Marc Burfin, Maestro
Mário Laginha, Piano

Programa 

Alexander Borodin - Prince Igor: Polovtzian Dances

Edvard Grieg - Peer Gynt: Suite nº 1, op.46

George Gershwin- Rhapsody in Blue

@José Frade

Ribeira das Naus

23 Setembro 19h00

Pedro Jóia, Guitarra
Norton Daiello, Baixo 
João Frade, Acórdeão 

Com uma carreira profundamente enraizada na tradição de música popular ibérica, Pedro Jóia, um dos mais importantes guitarristas portugueses da sua geração, traz-nos uma nova abordagem ao rico e colorido folclore tradicional para ouvir e dançar com acórdeão e baixo.

@Luís Mileu


Integral das Sinfonias de Beethoven
Terreiro do Paço

28, 29, 30 Setembro e 1 Outubro | 21h30

A apresentação da integral das sinfonias de Ludwig van Beethoven em quatro dias sucessivos é um exercício de fôlego que convida músicos e público a imergirem num universo artístico colossal. 

Orquestra Metropolitana de Lisboa
Pedro Amaral, Maestro 

28 Setembro 21h30 

Sinfonia N.º 1 em Dó Maior, Op. 21 (1800)
I. Adagio molto – Allegro con brio
II. Andante cantabile con moto
III. Minuetto: Allegro molto e vivace
IV. Adagio – Allegro molto e vivace

Sinfonia N.º 2 em Ré Maior, Op. 36
(1802)
I. Adagio molto – Allegro molto
II. Larghetto
III. Scherzo
IV. Allegro molto

Sinfonia N.º 3 em Mi Bemol Maior, Op. 55, “Eroica” (1804)
I. Allegro con brio
II. Marcha fúnebre: Adagio assai
III. Scherzo: Allegro vivace
IV. Final: Allegro molto


29 setembro 21h30

Sinfonia N.º 4 em Si Bemol Maior, Op. 60 (1806)
I. Adagio – Allegro vivace
II. Adagio
III. Minuetto: Allegro vivace
IV. Allegro ma non troppo

Sinfonia N.º 5 em Dó Menor, Op. 67 (1807)
I. Allegro con brio
II. Andante con moto
III. Allegro
IV. Allegro


30 Setembro  21h30 

Sinfonia N.° 6 em Fá Maior, “Pastoral” (1808)
I. Allegro ma non troppo «Despertar de sentimentos alegres na chegada ao campo» 
II. Andante molto mosso «Cena à beira do riacho» 
III. Allegro «Alegre convívio de camponeses» 
IV. Allegro, «Trovões e tempestade» 
V. Allegretto, «Canto do pastor: sentimentos alegres e gratos após a tempestade»

Sinfonia N.º 7 em Lá Maior, Op. 92 (1813)
I. Poco sostenuto – Vivace
II. Allegretto
III. Presto
IV. Allegro con brio


1 Outubro  21h30 

Coro Voces Caelestes
Ana Paula Russo (soprano)
Cátia Moreso (mezzo soprano)
Marco Alves dos Santos (tenor)
André Henriques (barítono)
Maestro do Coro: Sérgio Fontão

Sinfonia N.º 8 em Fá Maior, Op. 93 (1812)
I. Allegro vivace e con brio
II. Allegretto scherzando
III. Tempo di minuetto
IV. Allegro vivace

Sinfonia N.º 9 em Ré Menor, Op. 125,“Coral” (1822-1824)
I. Allegro ma non troppo, un poco maestoso
II. Scherzo: Molto vivace – Presto
III. Adagio molto e cantabile
IV. Presto: Allegro molto assai (Alla marcia) – Andante maestoso – Allegro energico, sempre ben marcato

@José Frade


Dia Mundial da Música 
Largo de São Carlos | Ruínas do Carmo | Museu do Chiado | Terreiro do Paço

1 Outubro

O Dia Mundial da Música é uma verdadeira festa sonora em alguns dos espaços mais emblemáticos da cidade de Lisboa – as Ruínas do Convento
do Carmo, o Largo de São Carlos e o Terreiro do Paço, com uma sucessão de concertos ao ar livre, de música orquestral, de vozes ou grupos de percussão, e também de jazz, sem descurar de uma série de ateliês instrumentais que aliciam os mais novos a experimentar um instrumento musical e, quem sabe, a encontrar a sua vocação.

Largo de São Carlos 
15h30
Percussões da Metropolitana

17h30
Camerata Alma Mater
Vivaldi / Piazzolla – 8 Estações

19h00 
O Jazz de António Pinho Vargas
Orquestra de Jazz do Hot Clube de Portugal

@José Frade


Ruínas do Carmo
Ateliê Instrumental para Pais e Filhos

16h00
Múndsica
Coro Infantil da Universidade de Lisboa

17h30
O Feiticeiro de Oz
Orquestra Juvenil da Metropolitana
Orquestra Clássica do Círculo de Cultura Musical Bombarralense
Percussões da Metropolitana 

19h00

Os Bichos
Orquestra de Sopros da Metropolitana

@José Frade


Museu do Chiado
Ateliês Instrumentais para Crianças

15h00
Cordas

16h00
Sopros

17h00

Percussão


@José Frade


Terreiro do Paço
21h30 

Orquestra Metropolitana de Lisboa
Maestro: Pedro Amaral
Coro Voces Caelestes

L. v. Beethoven - Sinfonia N.º 8, Op. 93

L. v. Beethoven - Sinfonia N.º 9, Op. 125, Coral

@José Frade



Mais Música... e outros eventos artísticos


CineCidade
Museu de Lisboa – Palácio Pimenta, Campo Grande

Um novo ciclo de cinema vai iluminar as noites de Verão no Palácio Pimenta, sob o lema «As Luzes da Cidade».
Filmes de culto, exemplos de cinematografias distintas no tempo e na geografia, que ilustram diferentes imaginários de cidade, reúnem-se nestas noites mágicas de cinema ao ar livre, abertas a todos.
Pretende-se olhar a forma como os cidadãos se relacionam com as cidades. Cada local tem a sua história, cada um, através da sua experiência individual, cria uma ideia de cidade. E se todos os que vivemos em cidades tão distantes subitamente descobrirmos as suas relações, os seus ciclos e os seus movimentos?


28 agosto 21h15 
E.T. O Extraterrestre
de Steven Spielberg
Ficção, EUA, 1982

3 Setembro 21h30
Os Verdes Anos
de Paulo Rocha
Ficção, Portugal, 1963

10 Setembro 21h30 
Blow Up – História de um Fotógrafo
de Michelangelo Antonioni
Ficção, Reino Unido, Itália, 1966

17 Setembro 21h30
Metrópolis
de Fritz Lang
Ficção, Alemanha, 1927

24 Setembro 21h30 
Les Amants du Pont-Neuf
de Leos Carax
Ficção, França, 1991



Lisboa Soa - Festival de Arte  Sonora
Jardim da Tapada das Necessidades

1 a 4 Setembro

O som é uma presença constante por toda a cidade, mesmo onde nos parece que impera o silêncio. 
No Lisboa Soa vamos ao seu encontro usando todos os sentidos.
O festival celebra a arte sonora para trazer ao debate uma variável importante e muitas vezes negligenciada no planeamento dos lugares: o som.
Durante quatro dias, o Jardim da Tapada das Necessidades vai ser ocupado com obras de arte sonora interativas que permitem aprender e refletir sobre o ambiente acústico que nos rodeia.
Na estufa, terão lugar performances e concertos, que estabelecem um diálogo com o espaço onde se encontram e percursos sonoros que levam os participantes a percorrer o jardim de ouvidos abertos.

@Marco Borotti

1 Setembro
17h00 
Abertura

19h00
Estufa Circular
Allard van Hoorn
Performance
Allard van Hoorn investiga relações com o ambiente através da arquitetura, design, música e dança. Ele traduz visual, acústica e espacialmente o nosso uso e perceção das cidades e da natureza, questionando preconceitos e experiências dos espaços em que vivemos e trabalhamos. A sua performance será feita em colaboração com um grupo de bailarinos portugueses.

20h00
Estufa Circular
Akio Suzuki
Solo Performance
Akio Suzuki tem vindo a criar sons terrenos, mas etéreos há mais de quatro décadas.
Nascido em 1941, este músico japonês é também inventor e construtor de instrumentos e Xamã. Suzuki fez do som no espaço exterior o foco de sua carreira, construindo instalações que transcendem o espaço e o tempo, transformando o mundo num sonho lúcido.


2 Setembro 
19h30 
Estufa Circular
Camille Norment Trio
Concerto
Camille Norment apresenta-se com o seu trio, uma formação constituída por guitarra elétrica, hardingfele norueguês (instrumento semelhante ao violino, diferenciando-se pelo uso de quatro a cinco cordas a mais de ressonância) e um rara harmónica em vidro, instrumento tocado por Norment que terá sido banido no século XVIII pela sua capacidade de gerar êxtase.


3 Setembro 
14h30 – 17h00
Carlos Santos - Workshop - Uma Orelha No Jardim

Um workshop que aposta no som como forma de descobrir um lugar. Pretende fornecer pistas através de um conjunto de exercícios teórico-práticos que envolvem a escuta, a gravação, a componente plástica, para além de outras surpresas.

19h00
Rafael Toral - Performance
O artista apresenta uma performance musical fora do paradigma de apresentação «palco/plateia», com instrumentos eletrónicos portáteis e com som autónomo, Toral deambula pelos jardins e caminhos da Tapada explorando a uma sonoridade que poderia ser etiquetada como pós free jazz transposto para eletrónica abstrata.

19h30
Estufa Circular
Phonopticon, Sonoscopia - Performance
Phonoticon é um espetáculo onde são exploradas novas formas de expressão nas áreas de composição, interpretação e espacialização eletroacústica, recorrendo à construção de novos equipamentos acústicos e eletrónicos, como elemento fulcral em todo o processo de criação.

4 Setembro 
11h00 – 12h00
Maile Colbert / Rui Costa - Passeio Sonoro (famílias)

Um passeio sonoro para crianças com idades até aos 12 anos, acompanhadas pelos crescidos.
Tudo começa com uma reunião no parque entre todos os participantes para introduzir o conceito de escuta profunda, focada e atenta. Os participantes são incentivados a trazer um caderno para escrever ou desenhar a sua experiência de som no presente e no passado imaginário, que serão partilhados em grupo. O passeio sonoro será realizado em português e inglês.

18h45 
Rudolfo Quintas - Happening Darkless

19h00
Mesa redonda  - A que deve soar a cidade sustentável e acessível para todos?

De que forma o ambiente sonoro nos afeta, como podem as cidades crescer de forma sustentável, integrando no seu planeamento as variáveis acústicas, tantas vezes negligenciadas pelas disciplinas que modelam as nossas cidades? Quais são os sons que se inscrevem na vida quotidiana dos lugares bem sucedidos e favoráveis à felicidade?


1 a 4 setembro 
10h00 – 20h00

Instalações no Jardim
Lago das Estrelícias

Marco BarottiSwans
Esta instalação é feita a partir de oito antenas parabólicas, sete delas brancas e e uma preta, elementos residuais óbvios que representam o poder da televisão mainstream e dos meios de comunicação. Trazidos para a vida através do som, do vento e da água, estes animais flutuam pacificamente num pequeno lago, fundindo-se perfeitamente com a natureza que os rodeia.

Sonoscopia - INsono: o Ouvido Secreto das Plantas 
Relvado central
O que ouvem as plantas? Na sua calma e silêncio, as plantas escutam pacientemente os sons circundantes. INsono é uma instalação sonora e um percurso onde se descobre o jardim, os sons envolventes e os sons de que o silêncio é feito. Para todas as faixas etárias.

Rudolfo Quintas - 
Inhabited Soundscapes
Interior da Casa de Fresco
Em teoria, o som que produzimos numa sala continua para sempre porque as partículas nunca param. Apenas deixamos de ouvir.
Dissipa-se a energia. Nesta instalação habita-se o espaço através do som, como que sons fantasma construídos com a energia dos corpos vivos que nos colocam em permanência num lugar.

João Bento
Cactus
Jardim dos Cactos
João Bento propõe uma viagem sonora ao interior do Jardim do Cactos, explorando as suas características sonoras como se os habitássemos e escutássemos.

@C – Miguel Carvalhais / Pedro Tudela
Becoming
Tanque da Casa de Fresco
Becoming é uma instalação site-specific para o tanque da Casa de Fresco, que emerge das relações entre a arquitetura, o espaço, a flora e os campos visual e sonoro do jardim. Esta matriz é tecida explicitando relações e construindo uma montagem de planos e superfícies refletoras que advêm da peça.



Kiosquorama
Jardim da Estrela
26 e 27 Agosto

Kiosquorama é um festival itinerante que começou nos coretos dos jardins parisienses e que se estendeu para outras cidades europeias.
Esta é a terceira vez que o festival vem a Lisboa, trazendo uma seleção do que tem aparecido de melhor na cena musical emergente francesa. Um convite para desfrutar de um dos jardins mais bonitos da cidade e conhecer novas bandas.

26 Agosto 18h00
26 e 27 Agosto 19h00
Robi

27 Agosto 18h00
Cléa Vincent



Entrada Livre
Teatro Nacional D. Maria II

Porque o gesto de entrar num teatro nacional e fruir da criação artística é um gesto de liberdade, o Teatro D. Maria II volta à rua com três dias de portas abertas.
Espetáculos, leituras, exposições, concertos e muito mais, farão parte de um programa que se apresenta como uma verdadeira celebração do Teatro com a comunidade.

Espetáculos

9 e 10 Setembro 21h00
Sala Garrett
O Pato Selvagem*
Texto: Henrik Ibsen
Encenação: Tiago Guedes

9 e 10 Setembro 21h30
Espaço exterior
Esta é a minha cidade e eu quero viver nela*
Joana Craveiro, Teatro do Vestido

10 Setembro 21h30 | 11 Setembro 16h30
Sala Estúdio
Nova criação*
(Ciclo Recém-nascidos)
Ágata Pinho

9 e 10 Setembro 14h00 e 18h00 | 11 Setembro 14h00 e 16h00
Espaço exterior junto à Feira do Livro
Na rua
Texto: José Luís Peixoto
Direção: Miguel Moreira, Útero

10 e 11 setembro 11h00
Vários espaços do Teatro
A visita escocesa*
Inês Barahona, Miguel Fragata

@José Frade

Leituras Encenadas

9 Setembro 18h00 – 21h00 | 10 Setembro 14h00 – 21h00 | 11 Setembro 14h00 – 18h00
Átrio
Sofá Rodrigues
de Tiago Rodrigues
Leitura de crónicas de Nelson Rodrigues

10 e 11 Setembro  15h00
Procedimento Básico de Recordação e Esquecimento*
de Alex Cassal
Pesquisa: Joana Frazão
Com Márcia Lança, Marco Paiva, Paula Diogo

10 Setembro 17h00
Jardim do Palácio de Independência
As Criadas*
de Jean Genet
Coordenação: Marco Martins
Leituras por: Beatriz Batarda, Sara Carinhas, Luísa Cruz


Ciclo de Debates

10 e 11 Setembro 15h00 – 18h00
Sala Garrett
Utopias Hoje*
Curadoria: Margarida Gouveia Fernandes
Moderação: Carlos Vaz Marques
Com Alexandre Quintanilha, Ana Paiva, Guilherme d’Oliveira Martins, João Luís Carrilho da Graça, José Manuel Félix Ribeiro, José Pacheco Pereira, José Pizarro de Sande e Lemos, Nuno Lemos Pires e Rui Horta.


Feira do livro de Teatro –2ª Edição
9 e 10 Setembro 14h00 – 22h00 | 11 Setembro 14h00 – 17h00
Fachada TNDM II/ Praça do Rossio


Lançamento de livro

9 Setembro 17h00 
tanto amor desperdiçado
de William Shakespeare
Tradução: Nuno Júdice
Edição: TNDM II / BdM


Concertos

9 Setembro 23h00
Varanda do Largo de São Domingos
Filipe Melo Trio

10 Setembro 23h00
Varanda do Largo de São Domingos
Cais Sodré Funk Connection

11 Setembro 19h
Festa de encerramento com DJ Nuno Lopes

* Consulte a informação sobre o levantamento de bilhetes, aqui




Projeto Vicente
Travessa da Ermida, Belém

Neste projeto, uma rua transforma-se num palco de intervenções em que São Vicente viaja até ao presente da sua cidade e do mundo.
Nos últimos anos, tem sido vivido, revivido, escrito, reescrito, interpretado e reinterpretado, metamorfoseado, explanado e transformado. Desde 2011, já foi escultura, intervenções urbanas, vídeo, instalações, jóia, ficção, passeios, conversas, uma ópera, livros e agora, em 2016, é a vida em jogo, na ótica do utilizador.

O jogo da glória (ou a Vida na ótica do utilizador)
Curadoria: Mário Caeiro
Artistas: Rochus Aust, Miguel Januário (±)

A edição de 2016 dedica-se ao princípio lúdico e criativo que está por detrás de uma cidadania informada pela imaginação. Se noutro tempo, o diácono Vicente teve uma vida, e depois desta, uma gloriosa posteridade, nós hoje temos a nossa própria vida (cada um de nós brinca com a sua…), num contexto cultural e tecnológico que traz continuamente novas possibilidades – da ação multiplicada pelas redes às «muitas vidas» sucessivas que pululam nos nossos luminosos smartphones… Ora nesta vida nova, mais complexa do que nunca nas suas regras ditas e não-ditas, ou estamos em jogo… ou não. E não basta conhecermos as regras, o que já seria meio caminho andado para todas as glórias terrenas. Talvez não seja menos avisado saber mais sobre quem as dita e escolher aquelas a que voluntariamente queremos submeter-nos.
A cidadania é isto mesmo: o estarmos em jogo, participando no dispositivo social, cultural, urbano. E neste dispositivo, o jogo supremo é – ainda – a arte. Por isso, a arte e os seus jogos têm de fazer parte da cidade e ir mudando as regras à cultura. No jogo maior que é a arte, vamos conhecendo melhor a vida e aprendendo a vivê-la... na ótica do utilizador (Mário Caeiro, curador)

10 Setembro 
Travessa da Ermida
Inauguração

18h00
Rochus Aust
Exposição na Ermida - até 30 Outubro

Miguel Januário
Intervenção de rua na Travessa - até 30 Março 

19h00
Concerto - I Deutsches Stromorchester


17 Setembro 15h00
Travessa da Ermida
Pedro Santa Rita
Passeio/ Visita temática sujeito a marcação

1 Outubro 15h00
Travessa da Ermida
Filipe Garcia
Happening performativo sujeito a marcação

29 Outubro 15h00
Finissage
Conversa com autores e artistas sujeito a marcação 



Chapéus na Rua
16 a 18 Setembro

Na iniciativa Chapéus na Rua os artistas recebem doações diretamente do público como resultado das suas atuações, pelo que terão de o cativar e fascinar para garantir um bom chapéu.
O conceito do festival está intimamente relacionado com a prática do «Busking» (ou arte de rua), referindo-se o termo à atuação performativa em espaços públicos, onde a presença ou entrada é livre.
Nesta primeira edição, pretende-se ir ao encontro da comunidade, proporcionando um conjunto de espetáculos de poesia improvisada, estátuas vivas, malabaristas, acrobatas, palhaços, marionetas, mímica, dança, teatro, performance e música, oferecendo uma programação para todos os públicos independentemente do seu estatuto social, cultura, género ou idade.

16 setembro 
19h00
Abertura Oficial - Apresentação do festival

19h20 
Largo do Intendente
Cabaret de abertura

17 setembro 
11h00
Mercado de Arroios - Mercado 31 de Janeiro
Circo nos Mercados

12h30 .
Largo Residências - Largo do IntendenteDebate 
De Norte a Sul - Como promover as redes nas Artes de rua
O papel da arte de rua nos processos de regeneração urbana

14h00 - 19h00
Largo do Intendente
Espetáculos de rua + workshops

21h00
Chapitô
Espetáculo de Novo Circo

18 Setembro 
14h00 - 19h00 
Largo do Intendente
Espetáculos de rua + workshops

21h00
Chapitô
Espetáculo de encerramento



Festival Mu-Dança
Quinta das Conchas, Lumiar

17 Setembro 11h00-23h00

O Festival MuDança – Expressões Artísticas na Alta de Lisboa é um movimento de demonstração do potencial artístico da zona da Alta de Lisboa, que envolve toda a comunidade, fomentando a coesão social e a multiculturalidade.
Nesta grande festa convergem diferentes culturas e estilos artísticos, criando um ambiente enriquecido pela partilha de talentos e conhecimentos através de workshops e showcases.
Há dança e música, passando pelas culturas africana, indiana, brasileira ou pelo hip hop, nas suas vertentes de dança, graffiti e street art.



Música na Quinta da Alfarrobeira
São Domingos de Benfica

28 Setembro a 1 Outubro

A Quinta da Alfarrobeira ganha vida e durante cinco noites será palco de uma grande festa.
Edificada em 1727 pelo arquiteto João Frederico Ludovice (1673-1752), com o propósito de ser a sua residência estival, a Quinta constitui um património exemplar do modelo de quinta de recreio setecentista, albergando um edifício classificado como imóvel de interesse público e um jardim que proporciona um cenário idílico para estas propostas culturais.

28 Setembro 
21h00
Luísa Amaro
Guitarra portuguesa 
com Paulo Sérgio, piano, e Gonçalo Lopes, clarinete baixo

22h00
Mário Laginha

29 Setembro 
21h30 
José Monteiro Quinteto de Jazz

30 setembro 
21h00
Sentir Flamenco

1 Outubro
21h30
Dia Internacional da Música
Banda da Escola de Música Juventude de Mafra 

@José Frade


E ainda...


Sou do Fado 
26 Agosto, 2 e 9 Setembro 21h30
Largo de São Carlos

Celebrando as melhores vozes do Fado, no coração da cidade-musa, com Gisela João, Camané e Carlos do Carmo.



Guia Ler e Ver Lisboa
Para comemorar os seus 20 anos, a EGEAC desafiou 20 escritores e outros tantos ilustradores para criar o Guia Ler e Ver Lisboa que
volta a ganhar vida no Lisboa na Rua com visitas guiadas pela cidade.
Lado a lado com a editora-associação cultural Prado, partimos nesta viagem que contou com vários cúmplices, como Rui Cardoso Martins, João Fazenda, Joana Bértholo, Rui Zink, André Carrilho, Sandro William Junqueira, Yara Kono, Ana Margarida de Carvalho, entre muitos outros.
O Guia rapidamente ganhou mais vida para além das páginas de papel e fez-se exposição e visitas guiadas. Durante o Lisboa na Rua vai poder passear nas ruas de uma Lisboa real ou imaginada, pela mão de alguns escritores e ilustradores como Patrícia Reis, João Maia Pinto, Rui Sousa, Válério Romão e Afonso Cruz.


FUSO - Anual de Vídeo Arte Internacional de Lisboa
23 a 28 Agosto
Travessa da Ermida | Fundação EDP | Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado | Museu Nacional de Arte Antiga | Museu Arqueológico do Carmo | Museu da Marioneta | Jardim do Palácio Pombal

A 8.ª edição de FUSO – Anual de Vídeo Arte Internacional de Lisboa abraça as noites de verão lisboeta com uma plateia de espreguiçadeiras
preparada especialmente para a apresentação de experiências artísticas marcantes da vídeo arte.
Sob diferentes processos de programação-curadoria a seleção do variado número de obras mostrado diversifica-se entre perspetivas de artistas, curadores, programadores e teóricos de arte.
Paralelamente, será apresentado no pólo expositivo Travessa da Ermida uma programação dedicada ao 45.º aniversário de uma das mais prestigiadas instituições de vídeo arte do mundo, a Electronic Arts Intermix.
MAAT @ Sibila Lind – Bagabaga Studios


Flâneur – Novas Narrativas Urbanas
25 Agosto a 18 Setembro
Um projeto que se baseia num princípio de intervenção artística no espaço público tendo por base a fotografia contemporânea.
Este ano, o Jardim do Príncipe Real acolhe esta nova exposição de arte pública com fotografias de Sonia Hamza (França) e Jens Masmann (Alemanha). Ambos realizaram uma residência artística em junho e captaram o espírito de uma Lisboa contemporânea.



Feira da Luz
Este verão o Jardim da Luz, em Carnide, estará um mês inteirinho em festa.
A programação conta com visitas guiadas ao centro histórico de Carnide (núcleo histórico, Convento Santa Teresa de Jesus, Teatro de Carnide, Colégio Militar, jardim do Seminário dos Franciscanos, Igreja da Luz) e concertos para todos os gostos como o da Oquestrada, o concerto de tributo a Zeca Afonso pelos Filhos da Madrugada e o divertidíssimo espetáculo Deixem o Pimba em Paz, com Bruno Nogueira e Manuela Azevedo.

@José Frade