Spielberg e Lucas anunciam o apocalipse do cinema
Steven Spielberg e George Lucas durante o painel onde se discutiu o futuro do cinema.

Box Office  

Spielberg e Lucas anunciam o apocalipse do cinema

Durante um painel na USC School of Cinematic Arts, em Los Angeles, os dois realizadores revelaram a sua visão sobre o futuro do cinema e da indústria do entretenimento.

O cinema em sala passará a ser um nicho de mercado, os estúdios tal como os conhecemos tendem a acabar e o vídeo on demand e a televisão por streaming (ou Internet Television) são o futuro.

É desta forma que Steven Spielberg e George Lucas vêem o futuro da industria do entretenimento. Um amanhã sombrio para quem suspira pelo passado, um mundo novo para quem quiser explorar as novas oportunidades.

"As pessoas não têm tempo" - diz Spielberg. "Por isso só podem fazer um número limitado de escolhas" - afirmou referindo-se ao excesso de conteúdos que bombardeiam diariamente o consumidor.

A competição acirrada pela atenção do espectador levou os estúdios a investir em grandes blockbusters, em detrimento de outros projetos mais criativos, diferentes, e também mais arriscados.

Spielberg prevê que esta situação não irá durar muito tempo, que as audiências vão acabar por se cansar e que tudo terminará numa espécie de apocalipse dos filmes de grande orçamento. Uma série de descalabros financeiros para produções acima dos 200 milhões de dólares provocará o choque necessário à mudança.

O que se segue, de acordo com Lucas, será o decréscimo no número de cinemas e o regresso às grandes salas. Segundo ele, o cinema tornar-se-à semelhante aos espectáculos na Broadway, eventos exclusivos com preços elevados, entre os 50 e os 150 dólares e títulos em cartaz durante longos períodos.

Os restantes filmes deixarão de ter lugar nas salas e serão consumidos noutras plataformas, essencialmente através do video on demand que permite ao espectador escolher o que pretende ver no seu lar.

A chave para esta nova idade do negócio do cinema resume-se numa frase proferida por Lucas: "Queremos que as pessoas vejam o filme, ou queremos que o vejam no grande ecrã?"

Com o aumento da concorrência e a melhoria das condições de reprodução doméstica (grandes ecrãs, alta definição, sistemas de som) a verdade é que os projetos de média e pequena dimensão, filmes de cariz mais experimental, ou pessoal, têm muito mais hipóteses de aumentar a sua audiência fora das salas de cinema, em plataformas dedicadas. É nesta mudança que os dois cineastas apostam para o futuro próximo.

Os pontos mais importantes da intervenção de Steven Spielberg e George Lucas podem ser visto aqui:


A conversa teve lugar na USC School of Cinematic Arts, uma das mais importantes escolas de cinema dos Estados Unidos (que recusou admissão a Spielberg em duas ocasiões, um deslize corrigido com o doutoramento honoris causa em 1994) durante a cerimónia de inauguração de um novo edifício onde decorrerão aulas na área da media interativa.

A fundação do antigo aluno da USC, George Lucas, suportou a quase totalidade dos 50 milhões de dólares que custou a nova ala.

por
publicado 21:28 - 13 junho '13

Recomendamos: Veja mais Artigos de Box Office