À procura de um certo realismo

Sob a direcção de uma cineasta polaca, a francesa Juliette Binoche assume a personagem de uma jornalista que investiga alguns casos de prostituição: um filme que nem sempre consegue sustentar o seu registo realista.

À procura de um certo realismo
Juliette Binoche em "Elas": encenando uma invulgar investigação jornalística
Crítica de
Subscrição das suas críticas
125
Trailer/Cartaz/Sinopse:
 À procura de um certo realismo
Elas Anne (Juliette Binoche), abastada mãe de dois filhos e jornalista de investigação para a revista “ELLE”, está a escrever um artigo sobre a prostituição entre as estudantes. Os seus encontros com duas jovens mulheres bastante independentes, Alicja (Joanna Kulig) e Charlotte (Anaïs Demoustier), revelam-se intensos e perturbadores, levando-a a questionar as suas convicções mais íntimas sobre ...

O menos que se pode dizer de um filme como "Elas", realizado em França pela cineasta polaca Malgorzata Szumowska, é que o seu projecto não era fácil.

Trata-se, afinal, de colocar a cena a prostituição de estudantes universitárias, em Paris, vista a partir do trabalho de uma jornalista que faz uma investigação sobre o assunto (para um artigo na revista "Elle").

Szumowska não ilude a complexidade do assunto, quer pelas componentes económicas que envolve, quer pela perturbação emocional e moral que arrasta. E só é pena que o seu filme não tenha a sensatez de ficar colado à contundência do seu próprio tema, optando em momentos decisivos por uma pesada (e, a meu ver, redundante) deriva "simbólica".

Dominado por uma elaborada composição de Juliette Binoche (também ela, por vezes, deslizando para um tom "demonstrativo" de que a personagem não carece), "Elas" distingue-se, pelo menos, pela sua exigência de algum realismo social, afinal tão raro em projectos deste género. Corresponde também à revelação de Szumowska no circuito comercial português.

Crítica de João Lopes
publicado 01:51 - 15 outubro '12

Recomendamos: Veja mais Críticas de João Lopes