Cannes 2015: a seleção oficial
Nanni Moretti e Margherita Buy em "Mia Madre" — na competição de Cannes

Cannes 2015  

Cannes 2015: a seleção oficial

Foram anunciados os filmes que farão parte da seleção oficial da 68ª edição do Festival de Cannes.

Artigo recomendado:
Cannes 2015: a seleção oficial
Cannes 2015
Coen presidem ao júri de Cannes Pela primeira vez na história do Festival de Cannes, o júri será presidido por dois cineastas.

Foi hoje anunciada a seleção oficial da 68ª edição do Festival de Cannes que terá lugar de 13 a 24 de maio.

Pierre Lescure, presidente, e Thierry Frémaux, responsável pela programação, apresentaram os filmes das principais secções de Cannes 2015, na habitual conferência de imprensa,

Nanni Moretti, que conta com mais de uma dezena de presenças no festival, traz "Mia Madre" em tom autobiográfico por interposta pessoa, a história de uma cineasta que tenta lidar com a doença terminal da mãe enquanto realiza um filme.

Dupla estreia absoluta para o húngaro László Nemes, discípulo de Bela Tárr. A sua primeira obra, "Saul Fia" (Son of Saul) entra diretamente para a secção mais importante do festival. O filme pega no doloroso e complexo tema dos Sonderkommando que participaram nas execuções em massa de judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

O contigente francês inclui duas realizadoras - num ano em que o tema "as mulheres em movimento" vai estar presente ao longo do festival. Maïwenn, a realizadora de "Polisse", Prémio do Júri em 2011, regressa com o drama familiar "Mon Roi".

"Marguerite et Julien", da atriz e realizadora Valérie Donzelli, pega num caso de incesto ocorrido no século XVII, um argumento escrito para Truffaut nos anos 70. Segunda presença em Cannes depois de ter ganho a Palma Queer em 2011 com "Declaração de Guerra", estreia-se na competição principal.

Ainda entre os gauleses, quarta presença na secção principal para Jacques Audiard, autor de "Ferrugem e Osso" e "Um Profeta", filme que lhe valeu o Grande Prémio do júri, em 2009. Desta vez, surge com "Dheepan", acerca das dificuldades de um antigo guerrilheiro do Sri Lanka em se adaptar à vida num bairro pobre de Paris. "La Loi Du Marché", é a segunda participação de Stéphane Brizé, após "Le Bleu de Villes" ter estado na seção paralela, em 1999.

A encerrar a presença francesa surge Guillaume Nicloux com "The Valley of Love". Presença frequente noutros festivais, o realizador de "O Rapto de Michel Houellebecq" e "O Concílio de Pedra" regressa a Cannes após uma única participação, em 1994, com "Faut Pas Rire du Bonheur", numa das secções paralelas.

Curioso é descobrir que o inglês será a língua mais ouvida nas sessões da competição oficial, apesar de os realizadores das cinematografias em língua inglesa serem apenas três: o norte-americano Gus Van Sant, com a história da amizade entre  um suicida americano e um japonês, em "The Sea of Trees"; e dois australianos, Todd Haynes, com "Carol", uma história de amor entre duas mulheres na década de 50, e Justin Kurzel com "MacBeth", adaptação da peça de Shakespeare. No entanto, o inglês será falado também nos filmes do norueguês Joachim Trier (Louder Than Bombs), do grego Yorgos Lanthimos (The Lobster), dos italianos Paolo Sorrentino (Youth) e Matteo Garrone ("Il Racconto dei Racconti") e do franco-canadiano Denis Villeneuve (Sicário).

Woody Allen recusou mais uma vez a entrada na corrida pela Palma de Ouro. O seu novo filme,  "Irrational Man" terá estreia mundial fora de competição. O mesmo sucederá com o documentário "Amy", sobre a cantora Amy Winehouse, incluido numa das sessões da meia-noite.

O júri da competição principal é presidido pelos realizadores norte-americanos Joen e Ethan Coen, com  Isabella Rossellini a encabeçar o júri da secção Un Certain Regard e o realizador mauritano Abderrahmane Sissako a liderar os jurados que irão atribuir os prémios Cinefondation e das curtas metragens.

68º Festival de Cannes - Seleção oficial
COMPETIÇÃO OFICIAL


Carol, de Todd Haynes (Austrália)

Il Racconto Dei Racconti, de Matteo Garrone (Itália)

Marguerite Et Julien, de Valérie Donzelli (França)

Dheepan (título provisório), de Jacques Audiard (França)

La Loi Du Marché, de Stéphane Brizé (França)

Il Racconto Dei Racconti, de Matteo Garrone (Itália)

Nie Yinniang (The Assassin), de Hou Hsiao Hsien (Taiwan)

Shan He Gu Ren (Mountains May Depart), de Jia Zhang-ke (China)

Umimachi Diary, de Hirokazu Kore-eda Hirokazu (Japão)

Macbeth, de Justin Kurzel (Austrália)

The Lobster, de Yorgos Lanthimos (Grécia)

Mon Roi, de Maïwenn (França)

Mia Madre, de Nanni Moretti (Itália)

Saul Fia (Son Of Saul), de László Nemes (Hungria)

Youth, de Paolo Sorrentino (Itália)

Louder Than Bombs, de Joachim Trier (Noruega)

The Sea Of Trees, de Gus Van Sant (EUA)

Sicario, de Denis Villeneuve (Canadá)

Chronic, de Michel Franco (EUA)

The Valley of Love, de Guillaume Nicloux (França)


UN CERTAIN REGARD


An, de Naomi Kawase (filme de abertura da secção UnCertain Regard)

Masaan (Fly Away Solo), de Neeraj Ghaywan

Hrútar (Rams), de Grímur Hákonarson

Kishibe No Tabi (Journey To The Shore), de Kurosawa Kiyoshi

Je Suis Un Soldat (I Am A Soldier), de Laurent Larivière

Zvizdan (The High Sun), de Dalibor Matanic

The Other Side, de Roberto Minervini

Un Etaj Mai Jos (One Floor Below), de Radu Muntean

Mu-roe-han (The Shameless), de Oh Seung-uk

Las Elegidas (The Chosen Ones), de David Pablos

Nahid, de Ida Panahandeh

Comoara (The Treasure), de Corneliu Porumboiu

Chauthi Koot (The Fourth Direction), de Gurvinder Singh

Madonna, de Shin Suwon

Maryland, de Alice Winocour

Alias Maria, de José Luis Rugeles Gracia

Taklub, de Brillante Mendoza

Lamb, de Yared Zeleke (primeira obra, e primeira vez que um filme da Etiópia faz parte de seleção oficial de Cannes)

Cemetery of Splendour, de Apichatpong Weerasethakul




FORA DE COMPETIÇÃO


Mad Max: Fury Road, de George Miller

Irrational Man, de Woody Allen

Inside Out, de Pete Docter & Ronaldo Del Carmen

La Tête Haute, de Emmanuelle Bercot


SESSÕES ESPECIAIS


Hayored Lema'ala, de Elad Keidan

Oka, de Souleymane Cisse

Sipur Al Ahava Ve Choshech (A Tale Of Love and Darkness), de Nathalie Portman

Amnesia, de Barbet Schroeder

Panama, de Pavle Vuckovic

Asphalte, de Samuel Benchetrit

Une Histoire de Fou, de Robert Guédiguian


SESSÕES DA MEIA NOITE

O Piseu (Office), de Hong Won-chan

Amy, de Asif Kapadia

Love, de Gaspar Noé

por
publicado 12:08 - 16 abril '15

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2015