O bravo palmarés de Steven Spielberg

Cannes 2013  

O bravo palmarés de Steven Spielberg

O júri do Festival de Cannes consagrou um filme sem tabus sexuais. E Spielberg aproveitou para revelar a sua posição sobre o casamento homossexual, o tema fraturante nos Estados Unidos e em França.

Artigo recomendado:
O bravo palmarés de Steven Spielberg
Cannes, dia 8: LA VIE D'ADÈLE, Abdellatif Kechiche
O realismo segundo Kechiche O nosso bem conhecido realizador de "O Segredo de um Cuscuz", regressa com um filme admirável sobre o amor de duas mulheres: "La Vie ...

O diretor Abdellatif Kechiche e as suas duas atrizes Adèle Exarchopoulos e Léa Seydoux foram agraciados neste domingo com a Palma de Ouro do 66º Festival de Cannes pelo filme francês "La Vie de Adèle" (estreia em Portugal dia 21 de novembro).

As atrizes, aos prantos, e o diretor franco-tunisino, foram longamente ovacionados por esse filme que conta uma história de amor ardente entre duas mulheres, incluindo cenas de teor sexual que são susceptíveis de embaraçar muitos espectadores e colocarão dificuldades à distribuição do filme.

Está visto que não é uma Palma qualquer. Steven Spielberg presidiu a um júri onde estavam Ang Lee, Nicole Kidman, Christoph Waltz, Daniel Auteuil..., e que teve a coragem de premiar o filme mais bravo do festival, em vez de optar pela decisão mais fácil de o esconder no palmarés com uma recompensação menor.

Numa declaração, na conferência de imprensa do júri, o realizador valorizou a frontalidade do filme. "Nós sentimo-nos privilegiados quando vemos este filme, e não ficamos incomodados ou como uma mosca que está na parede a espreitar", afirmou numa referência à intensidade e duração das cenas de teor sexual.

Spielberg desvalorizou a temática homossexual do filme: "É a história de um amor profundo, magnífico. O realizador  usou uma narrativa ousada e permitiu que as personagens realmente ganhassem vida. Ficamos encantados com o filme, com as atrizes formidáveis."

O prémio surge numa altura em que o casamento homossexual é debatido de forma calorosa em França - no mesmo dia em que o festival de Cannes terminava acontecia, em Paris, uma grande manifestação contra o casamento homossexual - mas Spielberg rejeitou que o contexto possa ter pesado na decisão. "Não foi a política que nos influenciou, mas o filme", frisou.

E numa declaração frontal o realizador aproveitou para dizer que o que acha sobre o tema e acerca da evolução que tem acontecido nos Estados Unidos onde 13 estados já aprovaram o casamento homossexual. "O tema do casamento homossexual está a ser resolvido com bravura em muitos estados norte-americanos e de uma forma que corresponde à expetativa de muitos dos que estamos a favor do casamento homossexual".

O júri tomou a decisão surpreendente de partilhar a Palma de Ouro entre Kechiche e as suas atrizes, a inexperiente Adèle Exarchopoulos, de origem grega, e a francesa Léa Seydoux.

Adèle (Adèle Exarchopoulos) é uma estudante de 15 anos, se envolve com homens até conhecer Emma (Léa Seydoux), uma jovem de cabelos azuis, estudante de Belas Artes. Com ela, Adèle vai descobrir o desejo e a paixão, e crescer como mulher.

Nas restantes consagrações destacam-se as melhores interpretações masculina e feminina para o norte-americano Bruce Dern, de 76 anos, pela atuação como um velho amargo em "Nebraska", do diretor Alexander Payne, e para a franco-argentina Bérénice Bejo, de 36, pelo seu papel de uma mulher estroçada em "Le Passé", do iraniano Asghar Farhadi.

O Grande Prémio foi atribuído aos irmãos Coen, pelo filme "Inside Llewyn Davis", obra nostálgica e engraçada sobre a cena musical folk de Greenwich Village, em 1961.

O júri premiou o mexicano Amat Escalante como melhor realizador pelo filme "Heli", sobre a corrupção e o narcotráfico no México.

O prémio do júri foi para o diretor japonês Hirokazu Kore-Eda ("Like Father, Like Son)", e o chinês Jia Zhangke recebeu o de melhor agumento ("A Touch of Sin").
  Palmarés do 66º Festival de cinema de Cannes 2013
* PALMA DE OURO (coletiva)
: Abdellatif Kechiche (realizador), Adèle Exarchopoulos e Léa Seydoux (atrizes): La Vie de Adèle (França)

* GRANDE PRÉMIO DO JÚRI
: Inside Llewyn Davis, de Joel e Ethan Coen (EUA)

* PRÉMIO DE INTERPRETAÇÃO FEMININA: Bérénice Bejo, Le Passé (França)

* PRÉMIO DE INTERPRETAÇÃO MASCULINA: Bruce Dern, Nebraska (EUA)

* MELHOR REALIZADOR: Amat Escalante, Heli (México)

* MELHOR ARGUMENTO: Jia Zhangke, Tian Zhu Ding - A Touch of Sin (China)

* PRÉMIO DO JÚRI: Like Father Like Son, de Hirokazu Koreeda (Japão)

* CÂMARA DE OURO: Ilo ilo, de Antony Chen (Singapura)

* PALMA DE OURO CURTA METRAGEM: Safe, de Byoung-Gon Moon (Coreia do Sul)

por
publicado 03:14 - 27 maio '13

Recomendamos: Veja mais Artigos de Cannes 2013