Sábado, 22 de Novembro de 2014
Pesquisa na RTP Açores - Informação e Desporto

Comunidades

Irene Maria F. Blayer, Lélia Pereira Nunes

2012-05-26 00:14:52

Prefácio: borderCrossings - leituras transatlânticas** VAMBERTO FREITAS

Prefácio

O presente volume vem no seguimento do meu Imaginários Luso-Americanos e Açorianos: do outro lado do espelho (2010), no qual abordei a emergente literatura de luso-descendentes na América do Norte, os que (nos) escrevem em língua inglesa mas frequentemente recorrendo a temas ancestrais e da nossa experiência imigrante e étnica naquela sociedade durante todo o século passado. Nesse mesmo livro estão ainda incluídos alguns dos mais conhecidos escritores imigrantes que desde sempre nos deram conta da nossa vida nesse mesmo país, pois a literatura da Diáspora tem de conjugar essas duas línguas, que são os signos da história e arte no que aos açorianos diz respeito. Neste BorderCrossings, regresso ainda à Literatura Açoriana dos nossos dias assim como à da Diáspora, também incluindo aos textos e produção poética da primeira geração (os que escrevem na nossa língua), necessariamente continuando a dar a sistemática atenção que merece e continuará a merecer a escrita dos nossos descendentes nos Estados Unidos e no Canadá. Por outro lado, e num regresso aos meus estudos iniciais nos EUA e por circunstâncias que mais tarde me levariam em pessoa ou através da literatura ao Brasil e a algumas das nossas comunidades lá espalhadas, especialmente no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e mesmo no Rio de Janeiro, comecei a escrever sobre esta área literária que nos “completa” a nós portugueses em geral, e, neste caso, uma vez mais, a nós açorianos em particular.
Creio ser esse o fio condutor deste atravessar de fronteiras em busca de beleza e “verdade” literária que nos diz, rediz e nos reinventa numa já longa história de andanças no outro lado do Atlântico. De resto, a literatura norte-americana em geral e aquela que também envolve de vários modos esse meu caminhar, uma vez mais, por “fronteiras” que nos são comuns e parte das nossas vivências e convivências históricas, marcam um lugar nestas páginas: desde uma narrativa “brasileira” de John Dos Passos ao romance simplesmente intitulado Brazil do americaníssimo John Updike, recentemente reeditado entre nós. Trata-se de um olhar sobre o nosso país-irmão, e que não poderia deixar de completar estes imaginários múltiplos de pátrias reais e sentimentais nossas.
Por fim, espero que o eventual leitor destes ensaios que fazem parte da minha própria narrativa dos nossos mundos comuns e íntimos, aqui e além-fronteiras, vistos através da literatura e de outros textos, alargue o que habitualmente se reduz a compartimentos e segmentações académicas que já não fazem sentido. Não sei se ainda existem ou não literaturas “nacionais”. Um povo historicamente andarilho como o nosso só poderá ser entendido e apreciado na multiplicidade de textos, em qualquer língua -- esses textos que recuperam e integram os nossos arquivos criativos, a memória indelével de termos sido e pertencido às mais distantes e díspares geografias do nosso destino e afectos.

Ponta Delgada
Março de 2012

Sobre o Autor Vamberto Freitas:

Nasceu nas Fontinhas, Ilha Terceira, em 1951. Emigrou com a família para os EUA em 1964, onde se formou em Estudos Latino-Americanos pela California State University, Fullerton, em 1974. Foi correspondente e colaborador do suplemento literário do Diário de Notícias (Lisboa) durante largos anos. Desde 1991 é Leitor de Língua Inglesa na Universidade dos Açores, tendo entretanto publicado inúmeros estudos críticos e ensaios sobre as literaturas norte-americana e açoriana. Para além da sua já considerável obra sobre estes temas e áreas de estudo, tem ainda publicado algumas traduções, principalmente da poesia de Frank X. Gaspar, e continua a colaborar em vários periódicos do arquipélago e da Diáspora com textos de crítica literária e cultural. No Brasil, tem colaboração no suplemento Cultura do Diário Catarinense e na revista Cartaz: Cultura e Arte, ambos de Florianópolis, Santa Catarina, assim como no Jornal de Letras, Rio de Janeiro. Ao longo dos anos, participou em congressos e colóquios em Portugal, nos Estados Unidos, Canadá e Brasil. De 1995 a 2000, coordenou o Suplemento Açoriano de Cultura (SAC) do Correio dos Açores, e de 2003 a 2006, dirigiu o Suplemento Atlântico de Artes e Letras (SAAL) da revista Saber Açores. Faz parte desde há alguns anos do Conselho Consultivo da Gávea-Brown: A Bilingual Journal Of Portuguese-American Letters And Studies e da Comissão Editorial do Boletim Do Núcleo Cultural Da Horta.

Produção Literaria:_

Jornal da Emigração: A L(USA)dândia Reinventada(1990);_Pátria ao Longe: Jornal da Emigração II,(1992);_O Imaginário dos Escritores Açorianos(1992);

_Para Cada Amanhã: Jornal da Emigração III (1993);_América: Entre a Realidade e a Ficção: Jornal da Emigração IV(1994);_Entre a Palavra e o Chão: Geografias do Afecto e da Memória(1995);

_Mar Cavado: Da Literatura Açoriana e De Outras Narrativas(1998);_A Ilha Em Frente: Textos do Cerco e da Fuga(1999);_Jornalismo e Cidadania: Dos Açores à Califórnia(2002);

_Imaginários Luso-Americanos e Açorianos: Do Outro Lado do Espelho(2010)

Colaborações

_Frank X. Gaspar, A Noite dos Mil Rebentos, traduções de poesia, publicadas em separata da revista Magma, Número Três, 2006. _O Homem Que Era Feito de Rede (tradução de “The Man Who Was Made of Netting” , conto de Katherine Vaz), 2002.

Acesse: Blog Nas Duas Marges - http://vambertofreitas.wordpress.com/about/



por: Lélia Pereira Nunes e Irene Maria Blayer

Este blogue é  sobre a perspectiva da distância, o olhar de quem vive os Açores radicado na América do Norte, na Europa, no Brasil, ou em qualquer outra região. É escrito por personalidades de referência das nossas comunidades com ligações intensas ao arquipélago dos Açores (25.02.2007).

Irene Maria F. Blayer - Nasceu em São Jorge, Azores, e vive no Canadá.  
She holds a Ph.D. in Romance Linguistics and is a Full Professor at Brock University, Canada -Doutorada em linguística, é Professora Catedrática na Univ. Brock. Neste espaço procura-se a colaboração de colegas e amigos cujos textos, depoimentos, e outros -em Inglês, Português, Francês, ou Castelhano- sejam vozes que testemunhem a  nossa 'narrativa' diaspórica, ou se remetam a uma pluralidade de encontros onde se enquadra um universo  que  contempla uma íntima proximidade e cumplicidade com o nosso imaginário cultural e identitário.

Lélia Pereira da Silva Nunes - Brasil
Nasceu em Tubarão, vive em Florianópolis, Ilha de Santa Catarina. Socióloga, Professora da Universidade Federal de Santa Catarina, aposentada. Titular do Conselho Estadual de Cultura atuando nas Câmaras de Letras e Patrimônio Cultural.  Pertence a Academia Catarinense de Letras, Cadeira 26. Iinvestigadora do Patrimônio Cultural Imaterial (experts/UNESCO,Mercosul), escritora e, sobretudo, uma apaixonada pelos Açores. Este é um espaço, sem limites nem fronteiras, aberto ao diálogo plural sobre as nossas comunidades. Um espaço que, aproximando geografias, reflete mundivivências a partir do "olhar distante e olhar de casa," alicerçado no vínculo afetivo e intelectual com os Açores. Vozes açorianas, onde quer que vivam, espalhadas pelo mundo e, aqui reunidas num grande abraço fraterno, se fazem ouvir. Azorean descent.-- Born in Tubarão(SC) and  lives in Florianopolis, Santa Catarina Island,Brasil. She holds postgraduate degreees  in Public Administration, and is an Associate Professor at Federal University of Santa Catarina.

 

-------------------------------

Nota: É proíbida a reprodução de textos e fotos deste blogue sem autorização escrita do RTP Multimédia.

Note: Reprint or reproduction of materials from "Comunidades" is strictly prohibited without written permission from Multimedia RTP.

-------------------------


        
DomSegTerQuaQuiSexSab
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30