Sábado, 23 de Agosto de 2014
Pesquisa na RTP Açores - Informação e Desporto

Graciosa Online

Porque nem todas as imagens cabem no Telejornal. Nem todos os graciosenses vivem na Graciosa. Este é um blogue com vídeos da ilha.

Luís Costa

2014-08-21 19:01:02

Sobe e desce


Dormidas na Graciosa cairam 26% em junho


 


Na Graciosa, no mês de junho, os estabelecimentos hoteleiros registaram 761 dormidas, representando um decréscimo homólogo de 26%.

Em junho de 2014 os proveitos totais atingiram 199 mil e 924 euros e os proveitos de aposento 143.069 euros, correspondendo a variações homólogas, respetivamente de - 3% e 10,8%.

No entanto, apesar dos números negativos no mês de junho, de acordo com os dados do Serviço Regional de Estatística dos Açores, a Graciosa continua no grupo de ilhas que apresentaram variações homólogas acumuladas positivas de janeiro a junho deste ano. No caso da ilha branca, essa variação que corresponde a 24,7% só foi superado pelas ilhas do Corvo e de Santa Maria.

As ilhas que apresentaram variações homólogas negativas foram as do Faial e do Pico, respetivamente com, 6,4% e 2,0%.

Ainda de acordo com o Serviço Regional de Estatística dos Açores, em junho, a taxa de ocupação-cama nas unidades hoteleiras graciosenses atingiu 14,1%, valor inferior em 5,0 p.p. em relação ao mês homólogo do ano anterior. A taxa de ocupação-cama na região foi de 46,7% e no país atingiu 51,5%.

A estada média na Graciosa, em junho, foi de 2,35 noites, tendo registado uma diminuição de 3,7% em relação a junho de 2013. Na região foi de 3,12 noites e no país a estada média foi de 2,97 noites.




TRANSPORTES


O desembarque de passageiros no Aeródromo da Graciosa também sofreu uma quebra que rondou uma centena. Em junho de 2013 desembarcaram 1580 passageiros, enquanto em junho deste ano chegaram por via aérea à Graciosa 1484 passageiros. Fenómeno semelhante verificou-se também no embarque de passageiros no Aeródromo da Graciosa que baixou de 1478 em junho de 2013 para 1379 no passado mês de junho. No entanto, de janeiro a junho de 2014 já desembarcaram mais 623 e embarcaram mais 582 passageiros, em relação ao primeiro semestre do ano anterior.

De acordo com a mesma fonte a Graciosa teve 38 aviões em junho de 2014, nos quais foram carregados 13.995 quilos de carga e 457 quilos de correio. Desembarcaram 1.985 quilos de carga e 1.503 quilos de correio.

No mesmo periodo a ilha de Santa Maria teve 96 aviões e embarcou 2.722 passageiros e 7.396 quilos de carga. A ilha das Flores teve 46 aviões em junho de 2014 onde embarcaram 2364 passageiros e 13.289 quilos de carga. São Jorge teve 53 aviões em junho de 2014 e embarcou 2235 passageiros e 4.877 quilos de carga.

Quanto ao transporte marítimo, os dados do Serviço Regional de Estatística dos Açores revelam que nos meses de maio e junho deste ano embarcaram 515 passageiros no Porto da Praia da Graciosa, correspondendo a  um decréscimo homólogo de 65 passageiros embarcados. Quanto ao desembarque de passageiros no Porto da Praia verifica-se um aumento de 553 nos meses de maio e junho de 2014, para 501 passageiros desembarcados em igual periodo do ano anterior.

Relativamente ao movimento de passageiros nos transportes públicos terrestres da Graciosa, foram transportados 48.824 passageiros no primeiro semestre de 2014, enquanto 51.498 passageiros utilizaram as carreiras interurbanas de janeiro a junho de 2013.

Verificaram-se ainda na Graciosa 22 acidentes de viação no primeiro semestre de 2014, ou seja, mais 10 acidentes em relação ao período homólogo no ano anterior, dos quais resultaram 3 feridos graves (mais 1 em relação a 2013) e 49 feridos ligeiros (menos 3).













  



por : Luís Costa

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2014-08-20 14:16:20

Resposta à resposta


Cross-Over leva editora a Tribunal 


 


COMUNICADO

Ao abrigo do direito de resposta previsto na Lei vem a associação Cross-Over clarificar um conjunto de questões constantes da resposta ao seu comunicado acerca da publicação do livro Graciosa, calçada a mosaico pela editora Sessenta e Nove Manuscritos, autora da resposta referida.

1. O tom do texto redigido em resposta ao nosso comunicado revela bem o carácter de quem o escreve. Não só o vocabulário resvala para o ataque pessoal e é calunioso, como quem o escreve não tem sequer a coragem de dar a cara, usando como biombo o nome de Lena Vesica, mulher ao que parece, Lena Bexiga em português.

2. Nenhuma editora chamada Sessenta e Nove Manuscritos esteve a par dos meandros da organização da exposição em Roma, que se realizou com o empenhado esforço da Cross-Over e de Franco Ceraolo que não só conseguiu o apoio da TAP, como o espaço exposicional em Roma, como tratou do resto dos aspectos de produção, tendo a Cross-Over directamente pago o transporte da exposição.

3. Ressalta da resposta da Sessenta-e-Nove Manuscritos uma fuga à questão essencial: a de que o compromisso de realizar esta exposição na Graciosa com organização da Cross-Over estava selado - repare-se bem, organização, nunca ninguém se quis apropriar do trabalho de terceiros, pelo contrário, o propósito era de o mostrar e divulgar, era cultural. 

4. Mas há algo que não podemos deixar em branco nesta vontade de verdade que nos move agora que o nome do nosso associado Franco foi manchado pela vil prosa do texto de resposta da Sessenta-e-Nove.

5. Se não é admissível a fulanização da questão a um ponto que o texto parece apenas um linchamento de carácter, de um assassínio de caráter em público, menos admissível é o tom xenófobo explícito.

6. Em boa verdade o que significa chamar a alguém "partícula de lixo tóxico vinda de outros lados" referindo a Ilha Branca como o lugar de uma pureza imaculada? Há aqui ecos de muito má memória, o que é muito estranho dizer do lado de quem fala em nome de uma terra de emigrantes, como ilhéu, falso ilhéu aliás.

7. O Franco Ceraolo é um artista italiano, um homem que trabalhou com grandes mestres, com Federico Fellini, com Martin Scorsese, para dizer dois nomes de ressonância mundial. Passaria muito bem sem se meter neste tipo de coisas. Foi o seu amor à Ilha que escolheu para viver que o levou à criação da Cross-Over e a esboçar um conjunto de iniciativas que nada têm de megalómano aliás. O que não têm é o tamanho de um sonho que não voa. Na realidade o projecto da Cross-Over é um projecto de intercâmbio e de dinâmicas interculturais.

8. É isso que nos move e moverá.

9. O que não aceitamos é que se falte à palavra como se a palavra dada nada fosse e muito menos o caráter soez do que se diz na resposta da Sessenta-e-Nove. O tom é muito pouco o de fazer brotar "sereias em mar aberto", é mais o de brotar coliformes verbais em mar parado.

10. A Cross-Over entende que este assunto tem aqui o seu fim na imprensa. Na realidade não nos resta senão levar a Sessenta-e-Nove a tribunal pelo tom xenófobo da sua resposta e pelo seu carácter calunioso e persecutório.

11. Quem não sente não é filho de boa gente. É obrigação da Cross-Over defender o seu bom nome no bom nome dos seus associados.


Associação Intercultural Cross-Over

S.ta Cruz da Graciosa - 19 de Agosto de 2014








por : Luís Costa

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2014-08-19 20:41:51

Visita à creche


Obra termina em março de 2015


 


A obra é da Santa Casa da Misericórdia de Santa Cruz da Graciosa e o investimento do governo regional. A Creche, Jardim de Infância e Centro de Atividades Ocupacionais para deficientes vai custar cerca de 2 milhões de euros.

A construção iniciou-se em finais de 2011 mas foi interrompida. Foi assinado outro contrato com um novo empreiteiro, cujo prazo de execução terminava a 18 de setembro.

Entretanto, a Secretária Regional da Solidariedade Social anunciou o fim das obras no primeiro trimestre de 2015.

Governo e Santa Casa vão também avançar com o projecto de uma nova cozinha para apoio às várias valências.

Nesta primeira visita à Graciosa nas novas funções, Andreia Cardoso reuniu também com a direcção do Centro Social e Paroquial da Luz.

No edifício que precisa de adaptações funciona um Atl para crianças e um centro de convívio para idosos.

Há poucos meses o PSD lembrou em requerimento uma deliberação já antiga do Conselho do Governo que previa a abertura de um centro de dia na freguesia da Luz.

Mas a nova titular disse agora que, numa avaliação efectuada junto da população, verificou-se que apenas um idoso tinha interesse em frequentar o centro de dia.



 






por : Luís Costa

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2014-08-19 12:46:29

Noite graciosense em Toronto


Dia 4 de outubro no salão de S.Mateus


 


Realiza-se a 4 de outubro em Toronto a "noite graciosense" com Victor Rui Dores e José Nascimento Ávila. 

O encontro de graciosenses no Canadá é organizado pela Comissão de Festas de Nossa Senhora da Luz, de Toronto, no salão da Igreja de São Mateus.






por : Luís Costa

link deste artigo | comentar/ver comentários(1)
2014-08-18 22:43:52

Feira da Graciosa



           

Sábado 09/08/2014


Em tarde ventosa pela ilha Graciosa, assistiu-se à primeira corrida da feira, com uma casa quase cheia, ¾ fortes de um público que faz de cada tourada uma festa. Lides a cargo dos cavaleiros Filipe Gonçalves, Tiago Pamplona e João Pamplona, um curro da ganadaria continental de Nuno Casquinha (adquirido pelo ganadeiro local Valentim Santos), com os forcados da Tertúlia Tauromáquica Terceirense (GFATTT) e Amadores do Ramo Grande. Pelas 18h00 iniciavam-se as cortesias, dirigia a corrida Carlos João Ávila, assessorado pelo médico veterinário José Paulo Lima.

Abriu praça o cavaleiro cabeça de cartaz, Filipe Gonçalves que fazia a sua estreia na Graciosa. Realizou uma lide variada e de bom nível ao primeiro da ordem, deixando as bancadas rendidas ao seu toureio. O número 273 de Casquinha, um exemplar bonito, teve nota positiva e contribuiu para a boa lide. Cravou com batidas ao piton contrário montado na égua "Shakira", deliciou o público com adornos das suas montadas, e terminou com uma sorte que é sua imagem de marca, um par de bandarilhas a duas mãos ao toiro de 5 anos. Ao quarto da ordem, o cavaleiro voltou a desenhar bem as sortes, frente a um oponente mulato, com o nº280 no costado. O toiro correspondia, e empolgava o cavaleiro que voltou a exceder-se em adornos e com uma ferragem excessiva, a findar com dois ferros de palmo.

Tiago Pamplona voltava a mostrar-se aos aficionados graciosenses, estando presente nas duas corridas da feira, na qual já marca presença há mais de uma década. Dos curros saiu um belo exemplar de Nuno Casquinha, bem posto de carnes, com trapio e bem armado. O toiro 294 mostrou-se desinteressado no início, distraído e com muito sentido. O cavaleiro terceirense colocou os compridos pescados, corrigindo nos curtos, mas não evitando um forte toque frente a um toiro de 4 anos que cortava na reunião. No segundo do seu lote, logrou uma lide emotiva frente ao número 274. O toiro transmitia e rompia no cavalo. Tiago teve de entrar nos terrenos do oponente, andou por cima e trabalhou com afinco.

Findava o cartel o jovem cavaleiro João Pamplona, cujas suas actuações estavam a concurso para o prémio de melhor lide. Azar ao terceiro da ordem, ao ter que lidar um sobrero de Falé Filipe com 6 anos, escasso de corpo e que substituía um animal de Nuno Casquinha com problemas de visão. O nº103 cedo mostrou-se reservado e com pouco andamento. Dificultou o trabalho do cavaleiro que teve de pisar terrenos de risco para poder cravar, e assim desenhar a lide possível ao hastado que lhe coube em sorte. O último da tarde e ferrado com o número 297, foi um bravo cumpridor, bem apresentado e com arrancadas codiciosas. Nota para um primeiro curto de destaque e menos bem noutros dois ferros curtos. Ficou a ideia que podia ter feito melhor, mas deixou a sua marca ao terminar com um bom ferro de palmo em terrenos de verdade.

Quanto às pegas, pelos Amadores da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, pegaram três forcados ainda pertencentes ao grupo juvenil, nomeadamente César "Bola" (1ª tentativa), Bernardo Dentinho (2ª tentativa) e Alexandre Vieira (1ª tentativa). Pelos Amadores do Ramo Grande foram caras Luís Valadão (1ª tentativa), Daniel Brasil (1ª tentativa) e César Pires (a dobrar Michael Machado e a consomar à 3ª tentativa).

 

 

Segunda-feira 11/08/2014



Para a segunda corrida da Feira Taurina da Graciosa, entrava em cartel Filipe Gonçalves, Tiago Pamplona e o cavaleiro Rui Lopes, a "substituir" João Pamplona, para além de um curro completo de Rego Botelho.

Numa tarde em que se jogavam os trunfos, visto todas as lides estarem a concurso, os toiros que viajaram da Caldeira Guilherme Moniz (Ilha Terceira) não permitiram dar o brilho desejado a uma tarde solarenga e com a praça a rondar os ¾ de casa. Voltou a soprar o vento, e com a arena quase seca, banho de pó para os espectadores da sombra. 

Na primeira lide, faltou mão certeira (sobretudo nos compridos) a Filipe Gonçalves, frente ao número 13 de RB. Consentiu toques na montada, abriu de mais nas sortes e reunia desligado do toiro, resultando em ferros pescados, num toiro que se tornava bruto, uma lide sem sal ao novilho de Rego Botelho. Não fosse bisco, o número 22 e segundo do lote do cavaleiro algarvio, tinha irrepreensível apresentação, um bonito negro listão. Os ferros compridos voltaram a ficar descaídos, encurtou distâncias e cravou com batidas ao piton contrário pouco cingidas. Filipe Gonçalves aplicou-se pouco frente a um toiro que cumpria e excedeu-se nos ferros a pedido do público. Colocou um par de bandarilhas à segunda, depois de várias passagens em falso, e já com o toiro fechado em tábuas cravou um ferro de palmo.

A primeira lide de Tiago Pamplona quase não tem história. Saiu dos curros o nº25 de Rego Botelho, ao qual o cavaleiro cravou dois compridos, um toiro que desde cedo mostrou comportamento irregular e algo reservado. Tiago ainda não tinha regressado com nova montada e já o seu toiro estava inutilizado, tendo partido uma haste depois de arremeter nas tábuas. O quinto da ordem também não agradou, mais um bisco de 3 anos, desinteressado e difícil de colocar em sorte. Tiago apresentou uma montada algo nervosa, trocou e colocou ferros a sesgo frente a um toiro que metia a cara por alto e com aspereza. Cravou entre tábuas e terminou a lide com dois palmos.

Quanto a Rui Lopes, lides distintas a dois toiros também bastante distintos. No seu primeiro, um negro com o nº 19, teve de suar para tirar algum partido do hastado. Toiro muito fechado, a fazer "feios" e a mostrar cedo a crença nas tábuas, fazendo com que Rui se esmerasse para colocar o oponente. Para além de ter sido uma lide curta, com apenas 3 ferros curtos, todos eles foram de boa nota, montado no "Violino" e a cravar de alto a baixo nos terrenos do toiro. Reconheceu que não dava para mais e saiu sem estragar o trabalho feito até então. No último da tarde, o cavaleiro da Ribeirinha já não esteve tão correcto na cravagem, com ferros dispersos e descaídos. Já o toiro, o número 28 com o ferro RB, foi o de melhor comportamento da corrida, transmitia e arrancava de pronto para o cavaleiro.

De encher o olho foram as pegas, todas elas consomadas com brio e ao primeiro intento. Adalberto Belerique, cabo do GFATTT, escolheu como caras os forcados Carlos Vieira, José Vicente e Tomás Ortins. Por sua vez, e pegando menos um toiro, Filipe Pires nomeou Luís Valadão e Manuel Pires para pegar. Também duas óptimas pegas, com destaque para a de Manuel Pires, uma dura pega com o forcado a saber tourear o toiro que derrotava por alto. O público reconheceu, aplaudindo de pé e o forcado a ser obrigado a dar duas voltas à arena.

No final da corrida, procedeu-se à entrega dos prémios em disputa. Assim, o júri nomeou Rui Lopes com a melhor lide, a sua primeira lide realizada ao terceiro da ordem. Manuel Pires do grupo do Ramo Grande levou o prémio de melhor pega. Tanto o prémio de apresentação como o de melhor toiro, recaiu para a ganadaria de Nuno Casquinha, curro lidado na primeira tarde da Feira. O nº294, lidado em segundo lugar na primeira corrida, conquistou o prémio de apresentação, enquanto o exemplar nº 297 foi considerado o melhor toiro da feira. 



por : André Cunha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2014-08-18 14:03:43

Protestos na biosfera


Ilhas classificadas não recebem reunião mundial


 


Os núcleos empresariais da Graciosa e das Flores e do Corvo só foram informados através da comunicação social e pensaram tratar-se de um engano.

Mas a reunião mundial da rede de reservas da biosfera a realizar no próximo mês de Setembro será nas ilhas do Pico, S. Jorge e Faial.

A Graciosa e o Corvo foram classificadas "reserva da biosfera da UNSECO" em 2007 e as Flores em 2009.

Segundo o governo, este encontro servirá para um balanço desde a classificação. Mas, até agora, a Graciosa só foi convidada para enviar produtos locais.

Este episódio serve para reflectir sobre a importância do titulo e quais os benefícios que, de acordo com o presidente do Núcleo Empresarial da Graciosa, ainda não chegaram a esta ilha, ao contrario do que aconteceu no Pico com o património da vinha.

Como forma de protesto, os responsáveis dos núcleos empresariais da Graciosa, Flores e Corvo, assinaram um comunicado conjunto a exigir a realização do encontro mundial nas ilhas galardoadas.


 








por : Luís Costa

link deste artigo | comentar/ver comentários(1)
2014-08-18 01:39:20

Santo António 2014


De 22 a 26 de agosto


 







por : Luís Costa

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2014-08-18 01:32:34

Peças de história


Guadalupe já tem loja museu


 


A loja de João Tomaz Bettencourt foi das mais importantes na Graciosa desde finais do século XIX. Vendia quase tudo até à última proprietária, a filha Nazaré que terminou o negócio em 1966.

Agora é uma loja museu com a história dos graciosenses e mostra aos forasteiros vivencias de outros tempos.

Este projecto da Casa Tradicional de Guadalupe deve-se aos longos anos de persistência de Maria José Quadros.

O edifício foi adquirido pela autarquia há 14 anos mas só agora foi aberto ao público o rés-do-chão, estando prevista a abertura do 1º andar no próximo ano.

A casa tradicional fica no coração da ilha e passa a ser paragem obrigatória na freguesia de Guadalupe.


 






por : Luís Costa

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2014-08-17 11:41:48

Nova visita à creche


Andreia Cardoso vem à Graciosa segunda-feira


 


A Secretária Regional da Solidariedade Social, Andreia Cardoso, visita a obra da Creche e Centro de Atividades Ocupacionais da Santa Casa da Misericórdia de Santa Cruz da Graciosa, esta segunda-feira, às 14 horas.

Recorde-se que esta obra lançada por Ana Paula Marques, em novembro de 2011, sofreu um atraso com a mudança de empreiteiro. A anterior governante, Piedade Lalanda, visitou as obras em abril passado. O novo contrato de adjudicação prevê o fim dos trabalhos em setembro próximo.

Entretanto, às 16 horas, a nova titular da pasta da solidariedade no governo regional visita o Centro Social e Paroquial de Nossa Senhora da Luz.

 

 

 

 



por : Luís Costa

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2014-08-16 16:59:43

O livro da calçada


Editora responde à Associação Cross-over


 


Da Sessenta e Nove Manuscritos, editora do livro "Graciosa Calçada a Mosaico", recebemos a seguinte resposta ao comunicado da Associação Cross-over emitido aquando do lançamento da obra:


No  direito de resposta a um comunicado enviado a esse órgão de comunicação social pela Direção da Associação Cross-over vimos assim esclarecer alguns pontos.

A Ilha Graciosa tem desde o dia 8 de agosto um livro sobre os magníficos empedrados que pelo seu chão vão brotando como sereias em mar aberto.

O autor do livro "Graciosa Calçada a Mosaico" e da exposição "Calçada Portuguesa no Mundo" designado no comunicado de Sr. Matos é livre de expor e de editar qualquer um dos seus trabalhos, reservando para si  todos os direitos de autoria, não devendo créditos a ninguém ou a qualquer associação, podendo assim aceitar ou declinar qualquer proposta em todo ou a qualquer momento.

A exposição "Calçada Portuguesa no Mundo" tem percorrido vários locais, tais como Maputo, Rabat, Goa, Nova Delhi, Cascais, etc. Foi realmente a convite do Franco Ceraolo  que se pensou levá-la a Santa Cruz da Graciosa. No entanto nada a ligou a essa associação. A exposição iria inicialmente para o Reservatório de Água do Atalho de Santa Cruz com o apoio do Museu da Graciosa e da Câmara Municipal. Durante o processo Franco Ceraolo levanta uma série de calúnias contra o Dr. Jorge Cunha, diretor do museu, este que sempre esteve desde o início em ligação com o autor, no sentido da realização desta exposição na Graciosa. Tenta fomentar desde logo  uma má relação entre várias entidades.

O autor, aqui referido, foi convidado a expor em Roma por Franco Ceraolo (como em todas as situações o autor foi sempre convidado), no entanto é de referir que a passagem aérea foi patrocinada pela TAP e o alojamento pelo Istituto Portoghese in Roma. Todas as refeições, incluindo os pequenos-almoços foram totalmente pagos pelo autor, assim como os transportes do aeroporto para o local da exposição! Ambos os autores levaram as suas esposas, que pagaram os bilhetes do seu bolso. Nem um cêntimo foi pedido ao Franco Ceraolo! Onde está o oportunismo da parte do Sr. Matos? O facto da exposição ter estado em Roma nada a compromete ou a  liga à Cross-over. Aliás, a Exposição não teve mais do que uma centena de visitantes, graças à péssima imagem de comunicação elaborada por Franco Ceraolo. Milhares de visitantes? Quereria este dizer milhares de partículas de ar?

 Quanto ao livro "Graciosa Calçada a Mosaico" sugerido pelo autor ao Sr. Presidente da Câmara de Santa Cruz da Graciosa, é hoje uma realidade graças ao empenho e apoio da autarquia da Graciosa e colaboração do Museu desta mesma ilha. A Graciosa tem hoje mais um livro de qualidade que dignifica esta ilha pela beleza dos seus empedrados. Este foi feito com muito empenho e dedicação e não com o oportunismo daqueles subsídio-dependentes que só fazem alguma coisa com o dinheiro e o trabalho dos outros. As viagens para a reportagem fotográfica e investigação literária deste livro foram totalmente suportadas pelo autor, pouco ou nada contribuiu Franco Ceraolo, a não ser alojamento durante dois dias em sua casa, a seu convite.

Ao Franco Ceralo e à Cross-over foram dadas todas as oportunidades para levar a exposição à Ilha Graciosa bem como a edição do livro, no entanto foi-lhes exigido que respeitassem as entidades oficiais de Santa Cruz da Graciosa, a garantia financeira para os custos da edição, o que de imediato se remeteram a um profundo e final silêncio! Até agora, pelos vistos! Como os coiotes que ladram ao longe e só aparecem à noite.

Oportunistas são aqueles que querem apropriar-se do trabalho dos outros para seu protagonismo, já que eles próprios são uma nulidade. Prova a palestra medíocre de Franco Ceraolo, que lhe proporcionamos na Faculdade de Belas Artes em Lisboa, em 2013, deixando alunos e professores universitários atónitos com tal pobreza de apresentação. Franco Ceraolo é hoje um homem abandonado numa ilha dentro da ilha de si próprio que deriva na embriaguez do seu estado lacónico. Através da sua associação, vem inicialmente a direção à procura de  protagonismo,  dar entrevistas megalómanas e prever aquilo de que não é capaz de  levar a bom porto nem mostrar trabalho próprio , usando para o efeito o talento de outros artistas em seu  benefício (caso da entrevista da Cross-over ao Diário Insular de 27abr2014).

Em março deste ano Franco Ceraolo disse pessoalmente ao autor do livro, em maus modos e em voz alta que se a exposição ou o livro não fossem organizadas pela Cross-over nada se faria e "Ciao"! Quem se pensa Franco Ceraolo, rei da Graciosa ou ainda o ditador de um antigo país de leste?

Em boa hora nos desligamos, em boa hora o autor se desligou dessa associação comandada pelos tentáculos de um tal Franco Ceraolo.

A Graciosa e as restantes ilhas açorianas precisam de mais estrelas brilhantes nos seus empedrados e não de partículas de lixo tóxico vindas de outros lados para a denegrir, não é por acaso que a Graciosa é denominada também de Ilha Branca e assim continue! A Graciosa é habitada por pessoas honestas que exigem honestidade na sua ilha. Bem haja a Graciosa e todos os Graciosenses que a habitam.

Para finalizar deixamos aqui o texto do autor Sr. Matos que finaliza o livro "Graciosa Calçada a Mosaico": Insula alba quae surrexisti ex cineribus, benedicti fructus tui, benedicti lapides tui. Exspecta me aliquo die ut esse possim sicut tu.


Pela editora Sessenta e Nove Manuscritos

Lena Vesica



por : Luís Costa

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2014-08-15 12:18:13

Corrida de troféus


Segunda tourada no Monte da Ajuda

 
 


Os toiros de Rego Botelho que saíram reservados para as lides a cavalo, não permitiram aos cavaleiros em praça as actuações vistosas que haviam conseguido na primeira corrida da Feira Taurina da Graciosa.

Em contraste, valorizaram o espectáculo com duras pegas que os grupos de forcados da Tertúlia Tauromáquica Terceirense e dos Amadores do Ramo Grande consumaram à primeira tentativa.

A organização instituiu os troféus de bravura e apresentação que foram entregues à ganadaria de Valentim Santos e Dimas Bettencourt, bem como o troféu de melhor pega recebido por Manuel Pires do Grupo de Forcados Amadores do Ramo Grande que pegou o 5º da ordem na corrida de segunda-feira.

Estava ainda em disputa o troféu para melhor lide para o qual concorriam as lides da segunda corrida e as lides do cavaleiro João Pamplona efectuadas na primeira corrida. O júri constituído por Carlos Brum, João Mendonça e André Cunha elegeu a primeira lide de Rui Lopes. O cavaleiro da ilha Terceira foi o mais feliz nos toiros que lhe couberam em sorte.

Pelo contrário, Tiago Pamplona não concluiu a lide ao segundo toiro da corrida que partiu um piton enquanto o cavaleiro terceirense trocava de cavalo para a cravagem dos curtos.

Assim, na última corrida da Feira Taurina da Graciosa os cavaleiros Filipe Gonçalves, Tiago Pamplona e Rui Lopes lidaram toiros de Rego Botelho que foram pegados pelos grupos de forcados Tertúlia Tauromáquica Terceirense e Amadores do Ramo Grande.

Abrilhantou a Filarmónica União Popular Luzense dirigida pelo maestro João Leite.



 








por : Luís Costa

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2014-08-14 14:15:10

Reservas esquecidas


Núcleo Empresarial exige Encontro Mundial de Reservas da Biosfera na Graciosa


 


Os Núcleos Empresariais das Ilhas Graciosa, da Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo (CCAH) e das Flores e do Corvo, da Câmara do Comércio e Indústria da Horta (CCIH), querem que as reuniões do Encontro Mundial da Rede de Reservas da Biosfera, a realizar de 15 a 19 de Setembro, sejam realizadas nas Ilhas que são contempladas pela UNESCO como reservas da Biosfera.

Segundo um comunicado conjunto de ambos os Núcleos Empresariais, foi apenas através da Comunicação social que os Núcleos tiveram conhecimento que se iria realizar um Encontro Mundial da rede de Reservas da Biosfera da UNESCO nos Açores, entre 15 e 19 de Setembro, nas Ilhas Faial, Pico e São Jorge. Ora, as únicas Ilhas que estão classificadas pela UNESCO como Reserva da Biosfera são as Ilhas Graciosa, Flores e Corvo, pelo que os Núcleos Empresariais não compreendem o porquê dos encontros não se realizarem naquelas Ilhas.

Os Núcleos lembram as palavras do Diretor Regional do Ambiente do Governo Regional dos Açores, ao referir que durante esse encontro se pretende "fazer a ponderação e o balanço daquilo que existe e o que foram as experiências das três reservas da biosfera" e que "esta é uma marca que podia e devia ser melhor aproveitada pelo tecido económico, sobretudo dessas ilhas" esperando "que a realização desta reunião nos Açores possa constituir um estímulo para o incremento da atividade e da marca biosfera nesses territórios".

Segundo os Núcleos, estas palavras seriam integralmente subscritas, caso o Encontro Mundial da Rede de Reservas da Biosfera da UNESCO fosse realizado nas ilhas classificadas como Reserva da Biosfera. Nesse sentido, e como não é isso que está previsto, os Núcleos Empresariais admitem que "não podem ficar calados perante tal situação, exigindo que este processo seja alterado e que as reuniões do Encontro Mundial da Rede de Reservas da Biosfera sejam realizadas nas Ilhas que são contempladas por tão importante galardão da UNESCO".


 










 



por : Luís Costa

link deste artigo | comentar/ver comentários(3)



A Graciosa está aqui. Porque nem todas as imagens cabem no Telejornal e nem todos os graciosenses vivem na Graciosa. O Graciosa Online é um blogue com vídeos, noticias e opinião da ilha branca, reserva da biosfera. Esta é a nossa janela para o mundo.

Projeto pioneiro nos Açores, desenvolvido por Luís Costa, jornalista, repórter residente da RTP/Açores na ilha Graciosa. Criado a 17 de novembro de 2009.

Este blogue foi "caso de estudo" na tese de mestrado da jornalista Fabiana Bravo: "O jornalismo hiper-local na era digital - o contributo do Graciosa Online para a RTP", defendida a 16 de julho de 2012 na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e obteve 16 valores.


 



Acessos em agosto: 9.665 visitas
Acessos em julho: 17.135 visitas
Acessos em junho: 14.738 visitas
Tempo médio por visita: 8:15m

RECORDES
Mensal: dezembro 2012; 48.780 visitas
Diário: 28 novembro 2012; 4.508 visitas





Luís Miguel da Cunha Costa nasceu na ilha Graciosa em 1978-04-06. Em setembro de 1996, ainda com o estatuto de trabalhador estudante, iniciou funções de animador, repórter de informação e narrador desportivo na Rádio Graciosa. Foi também colaborador do jornal Diário Insular na área do desporto. É reporter de ilha da RDP desde fevereiro de 1999 e da RTP desde agosto de 2004, sendo o primeiro correspondente a prestar serviços nos Açores para a rádio e televisão em simultâneo, ainda antes da fusão das respetivas empresas. Foi também pioneiro na utilização das ferramentas digitais com o lançamento do "graciosa online" em 2009. Exerce ainda as funções de operador de assistência em escala, sendo efetivo da Sata Air Açores, a tempo parcial, desde 2001.


CONTACTOS
919978824 | 965420190
luiscosta.rtp@gmail.com 


           NOME

 

 

 



SERVIÇO DE AGENDA

Telefones uteis

Ambulancia/Bombeiros: 112
Proteção Civil: 295 712 492
Unidade de Saúde: 295 730 070
Farmácia: 295 712 563
Câmara Municipal: 205 730 040
Aeroporto: 295 730 170
PSP: 295 730 200
GNR: 295 712 381
Policia Marítima: 912 344 866


TRANSPORTE AÉREO


segundas,
chegadas 11h00/17H50, partidas 11h25/18h10

terças e quintas:
chegadas 11h00, partidas 11h25

quartas: 
chegadas 11h00/17h00, partidas 11h25/17h25

sextas:
chegadas 11h00/17h50, partidas 11h25/18h10


sábados e domingos
chegadas 12h00/17h00, partidas 12h25/17h25



TRANSPORTE MARÍTIMO - FERRIES


DATA                CHEGADA        PARTIDA

20-08         (Velas) 19:45       20:15  (P. Vitória)
21-08    (P. Vitoria) 09:45       10:30  (P. Vitória)
22-08    (P. Vitoria) 18:00       18:30  (Velas)
24-08         (Velas) 21:45       22:15  (P. Vitória)
25-08    (P. Vitoria) 19:30       20:00  (Velas)
27-08         (Velas) 19:45       20:15  (P. Vitória)
29-08    (P. Vitoria) 17:45       18:15  (Velas)
01-09         (Velas) 13:30       14:00  (P. Vitória)




 

 






SANTA CRUZ EM DIRETO
 



Animação de Satélite

Animação Satélite





OPINIÃO


 
             

ULTIMA

Qual a sua opinião sobre os nomes do Festival Ilha Branca 2014?

Razoável - 63 votos (28%)
Bom - 62 votos (27%)
Mau - 50 votos (22%)
Muito bom - 32 votos (14%)
Muito mau - 22 votos (10%)



 

CRÓNICAS

Clique nas fotos para abrir


  André                   Bruno                   Cristina
  Cunha                  Silveira                 Cabeceiras 
 NOME     NOME     NOME

  Fábio                    Gabriel                 Joana
  Mendes                 Melo                    Ferreira
 NOME     NOME     NOME

  Jorge                    Júlio                     Luís
  Cunha                  Mendonça          Lobão
 NOME     NOME     NOME 

  Lurdes                 Madalena              M. Jorge
  Cunha                  Picanço                 Lobão
 NOME     NOME     NOME 

 Marco                    Merçes                 Miguel 
 Martins                  Coelho                 Estorninho
 NOME     NOME     NOME 

Paulo                       Rita                        Rita
Aranha                    Ávila                      Silva
      NOME     NOME

Rogério                  Rui                     Sérgio
Mendonça             Carneiro            Mendonça 
 NOME     NOME     NOME

Sofia                      Teresa                Vânia
Rocha                    Reis                     Bettencourt 
 NOME     NOME     NOME

Victor                   William
Rui Dores             Brenuvida
 NOME     NOME



  Luís               Tiago                            José
  Pereira          Avelar                           Ávila
  NOME             NOME 


  Pólo Local de Prevenção  
  e Combate à Violência Doméstica da Graciosa
 NOME  





VIDEOS RECENTES



Obras da creche
 


Protestos reserva da biosfera
 


Loja museu de Guadalupe
 


Procissão do Senhor Santo Cristo
 


Feira Taurina - reportagem
 


Meloa e Festival Ilha Branca
  


Molho à pescador nas festas
 


Inicio das festas de Santo Cristo
 


Termas do Carapacho sem água
 


Livro de Cantigas e poemas
 


Graciosa sem bandeira azul
 

 

 

EM CARTAZ


 


 


 


 





MUSEU DA GRACIOSA: Agenda Cultural 

AGOSTO
Peça do mês: Mosqueiro

 

Coleção do 2º semestre de 2014: peças em vidro
Exposição "Memórias da Graciosa-Freguesia de S. Mateus" 

 


GRACIOSA LHE CHAMARAM...

 

A Ilha Graciosa desenha-se ao longe
como dois bocados de pão mal partidos

Vitorino Nemésio, in 
Corsário das Ilhas
 



Ei-la surgindo mimosa
das águas do fundo do mar,
Rainha leda e garbosa
No Atlântico a reinar!
Esmeralda dos Açores,
Lindo açafate de flores,
Feitiço de mil primores,
Berço gentil de amores!
Oh, pátria, te vou cantar.

António Gil, 1868 




A Graciosa dum verde
muito tenro acabando
dum lado e do outro
em penhascos decorativos...

Raul Brandão, in 
As Ilhas Desconhecidas




"À primeira vista" parece por vezes, ser uma paisagem agreste; mas logo surge uma encosta florida, uma Feteira de arvoredo frondoso, um vale das Courelas com suas culturas e os afamados vinhedos da Terra do Conde, e outros motivos que nos alegram a vista.

José Simões Borgesin
Manhãs de Sábado 
 




Amo as rochas empinhadas
que ao oeste e norte dão
- pontas da serra escalvadas
- Do Pico Negro a negridão;
Amo as costas do nascente
Onde as ondas mansamente
Vão quebrar sua corrente
No areal tão luzente
Do sol ao mago clarão.

António Gil, 1868 



Quem te pôs nome tão 
lindo,
Que é tão próprio, 
tão teu,
Nos legou eterna prova
Do bom gosto e génio seu...

António Borges do Canto Moniz, in 
Ilha Graciosa
 



Falar desta ilha é,
antes demais, 
falar do paraíso perdido
na minha infância, 
isto é, da alegria 
dos meus verdes anos.

Victor Rui Dores, in 
A Graciosa Ilha
 




Que risonho panorama,
Que subline inspiração! 
Se o meu estro se par'cesse
Ao que o sente o coração,
Em torrentes de poesia
Te inundara, ilha formosa.
E um poema escreveria,
Que eu chamara - GRACIOSA.

João Hermeto d'Amarante, in
Páginas de Prosa e Verso 



Santa Cruz, a capital
É a mais linda p'ra mim
das vilas de Portugal
Santa Cruz é um jardim.
Guadalupe, linda aldeia
Onde crescem os trigais
No céu, linda lua cheia 
Ilumina seus casais.
A Praia olhando o mar
Sorri contente ao ilhéu 
E o sul vive a sonhar
Com a Luz olhando o céu.

Juventino Silva Correia, in
Juventino Ramos, poeta cantador 



E aquela gente!!! De sorriso sempre aberto, mesmo que o coração se lhes doa, mesmo que a velhice as consuma, mesmo que a pobreza se lhes aperte...

Rosa Meireles, in
Graciosa ilha serena 
 



Aqui
entre o azul
e o mar que me circunda
é quase perfeita a coincidência.
Atrevida e fugazmente desfeita
por um verde envergonhado
que acaba sempre azul
ou categoricamente esfacelada
por um inequívoco e invernal
cinzento.

E no âmago do liquido,
lá onde a luz se perde
e onde a luz se faz,
a abissal fosforescência
de peixes misteriosos,
a ondulante e sensual
insinuação das algas
e a secreta e vital marca
do mais remoto início.

E lá ficamos
plasmados num horizonte
vertical e marítimo
onde bate sereno e azul
o nosso olhar.
Ouve-se então
claro e inconfundível
o grito
da criação. 

Manuel Jorge Lobão, in
Passam Seres Luminosos Vestidos de Vermelh
 




Aqui deixamos a 
Ilha Graciosa,
ao por do sol, 
que fica à espera 
daqueles que sabem 
apreciar a natureza 
em toda a sua força, 
por vezes quase 
selvagem!

Norberto da Cunha Pacheco, in
Graciosa, Imagens e Palavras
 



Branca,
desmaia-te o gesto
na brisa que poisa,
borboleia-te
a cor do íris
que poiso breve,
melodia-te
o negro azulado,
húmido,
do grito em serenata,
rendeia-te
o frio de chuva,
bailarino
voado em vento,
baralha-te
o pingo de água,
lágrima de telha,
beiral
de nada abrigo...

José Berto  










 
        
DomSegTerQuaQuiSexSab
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31