A3 - 03h/06h
com Miguel Freitas
2015-02-10 13:55:40

O sexo em Portugal/Brasil.

O sexo em Portugal/Brasil.
"Olá Quintino e Raquel!

Já sigo vocês à muitos anos, e adoro... de vez em quando sigo igualmente estes brasileiros:

"Mete a colher" uma dupla brasileira...

Cátia Damasceno

Bem, se em Portugal Raquel & Quintinho já fazem tanto "sururu" imaginem o nível de conversa do "mete a colher" se fosse por aqui "caí-a o carmo e a trindade" :)

Os Brasileiros são mais avançados no sexo como o Quintino sabe, é outra cultura, Portugal segue     m u i t o     d e v a g a r  i n h o .... e isto ainda anda muito às custas da dupla Raquel & Quintino sem vocês ainda estariamos na idade da pedra do sexo faz falta falar de sexo sem o dramatismo tipicamente Português, mas sim de uma maneira mais leve e descontraída como os Brasileiros... pode ser que um dia as coisas melhorem...  continuem o bom trabalho.

Normalmente este dramatismo anda à volta da ofensa?"

Audio



por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2015-02-10 13:51:55

A experiência do(a) Companheiro(a)

A experiência do(a) Companheiro(a)
"Boa tarde. antes de mais parabéns pelo vosso programa, deviam de existir mais como o vosso!
Tenho 24 anos e a minha namorada 28. esta é a minha primeira relação, ela já teve algumas, e esta última com um homem por volta dos 40 anos. Ela disse-me que depois de terminarem continuavam a encontrar-se para terem relações sexuais mas agora que está comigo (à 1 ano) nunca mais se encontraram para o fazer. A questão é que eles continuavam a comunicar um com o outro, até o dia em que descobri umas mensagens dele a dizer que tinha saudades dela e quando a podia ver e ela responde que quando passar por Lisboa podiam-se encontrar. depois ela manda-lhe um ps a dizer que pode matar as saudades sempre que quiser. estivemos para acabar mas ela prometeu-me que não se tinha passado nada entre os 2 e que ele ficou um grande amigo dela porque a ajudou bastante e que já tinha sido traída algumas vezes e sabe qual é esse sentimento. por vezes sinto-me confuso e com dificuldade em confiar nela. Uma das razões que me deixa inseguro é o facto de eu sofrer de ejaculação precoce o que me deixa com medo que ela vá procurar fora..."

Audio



por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2015-02-10 13:48:23

É preciso coragem para mudar mas há dias em que custa.

É preciso coragem para mudar mas há dias em que custa.
"Olá aos dois :)
É com muito orgulho que vos escrevo. Fiz o que o dr Quintino defende: quando a relação não sabe bem pôr de lado. Eu venci o medo, ganhei coragem e pus, ao fim de muitos meses de sofrimento, de sentir desinteresse do outro lado, de sentir que a paixão não se tornou em amor, que não era bem aquilo, que ele não estava assim tão afim, enfim, eu não estava feliz!  Eu não fui educada para ser feliz, e demorei a dar a volta. ouvi vezes sem conta a hora do sexo (obrigada pelos ensinamentos preciosos!)

Ser feliz e querer ser feliz é uma conquista dos últimos tempos, e tenho aprendido muito convosco! Estou a adorar esta viagem...
Mas às vezes custa, e hoje é um desses dias. Penso o quanto gostava que tivesse dado certo, vou espreitar o facebk dele - eu sei que não devo!! - enfim, hoje não estou bem.
Dr quintino, quero dar a volta, seguir em frente, sem mágoa. eu sei que fiz o melhor para mim! E nem vocês desse lado sabem o quanto me ajudaram :)
Obrigada e um beijinho!"

Audio


por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2015-02-10 13:45:11

Faço sexo oral à minha parceira, ela não me faz. Será que gosta de mim?

Faço sexo oral à minha parceira, ela não me faz. Será que gosta de mim?

"Uma pergunta. Faço sexo oral à minha esposa e ela não faz oral a mim. Será que gosta de mim?"

Audio



por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2015-02-10 13:30:20

A maternidade

A maternidade
Amigo Quintino, tenho uma questão:
Será o erro no meu desenvolvimento o principal destruidor da minha predisposição para ser mãe?
Tenho 27 anos e nunca me lembro de gostar muito de crianças. Lembro-me de com 3/4anos não ter paciência para as birras de outros miúdos. Lembro-me de fazer birra por não querer partilhas os meus brinquedos com outras crianças. Cresci a brincar com um vizinho 1 ano mais velho que eu. Com 7/8 anos nas convívios familiares eu sentava-me com os adultos. Com 12 anos comecei a trabalhar e tinha que estabelecer relações interpessoais com adultos (num cabeleireiro). Ao longo da adolescência sempre convivi na maioria com grupo de amigos mais velhos que eu entre 3 a 10anos. Quando comecei a trabalhar sempre fui integrada em equipas 15/20anos mais velhos que eu. Gosto de olhar para um bebe, por 5 minutos. Gosto de o ver sorrir mas acho absurdo falar língua de bebe ou fazer caretas para isso. Sou aquela pessoa apologista de restaurantes ou hotéis interditos a crianças e que quando ve uma criança em publico a gritar, fazer birra, chorar, destruir tudo acha os pais incompetentes por não terem mão no filho. Tive uma mãe, que apenas me soube parir, o resto do tempo focou-se no seu umbigo...e eu penso, para ser uma mãe assim, mais vale estar quieta!

Quando penso na ideia de ser mãe...não digo com 100% de certeza que não quero ter filhos. Mas certamente que enquanto pensar e me sentir assim não serei egoísta ao ponto de trazer ao mundo um ser humano que não será totalmente desejado. Estou de momento numa relação de 2anos em que o meu companheiro tem o desejo de ser pai. Ele sabe que eu não lhe posso dar essa garantia, ainda.

Sinto-me no direito de não querer ser mãe, mas sei que este pensamento e a forma como me sinto é censurável pela sociedade. Mas agora, depois de ouvir tanto a hora do sexo, penso se terá sido esta minha preferência em criança, de conviver com adultos, e que tanto era aclamada por eles, já que admiram ser tão madura, que terá criado esta formação de sentido para a maternidade."

Audio




por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2015-02-10 13:23:55

Apimentar a "Hora do Sexo"

Apimentar a Hora do Sexo
"Boas! Receberam um email de uma mulher contando que tinha conhecido um homem há sete meses... Ela veio a fazê lo porque nós ouviamos a hora do sexo e comentávamos que estava cada vez menos interessante. Vimos então por este meio apimentar com certos taboos... temas mais escaldantes... Esse homem que ela diz ter conhecido sou eu... Lol e para encurtar a história.... Eu sou casado e tenho 34 anos.. essa mulher é minha prima de segundo grau, tem 32 e tbm está num relacionamento... e temos feito os dois "escândalos" como agente fala.... Tudo às escondidas... Enfim ela não deixou por escrito dúvidas, pois tbm nós tratamos de tirar as poucas que temos em relação ao sexo... na prática.. lol.. fazemos e falamos de tudo...  lançamos aqui o desafio de animar um pouco a hora do sexo.. E peço que isto fique como é óbvio anónimo..."

Audio



por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2015-02-10 13:20:39

Estimulação da zona entre escroto e ânus.

Estimulação da zona entre escroto e ânus.
"Conheci um homem há sete meses.... temos uma química inigualável como nunca tive antes com nenhum dos prévios dois homens na minha vida ...

Quando estamos juntos aquece de tal maneira... chega a ser um plano surreal .. á parte... uma mistura do sétimo céu e inferno...and I quote "dou lhe uma tesão dos diabos" e eu entrego me como nunca me entreguei a ninguém antes..

Ambos adoramos sexo... intimo.. calor.. carinho.... etc... e um dia veio em conversa q a parte mais sensivel do homem é entre o escroto e o anûs... entao perdi maior parte de vergonha e procedi em aventurar me por essas zonas... com lingua.. dedos.. enfim... foi simplesmente fascinante ver e ouvir o perdido que ficou! nao sei a quem dos dois deu mais prazer .. lol... fiquei a pensar... para mim foi este o equivalente que ele me dá varias vezes (conilingua)... dei lhe bastante prazer.. imagino o q haverá mais como prazeres inimagináveis ou taboos q me aguardam..."

Audio



por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2015-02-10 13:15:59

Orgasmos - Vaginal e Clitoriano?

Orgasmos - Vaginal e Clitoriano?
"Olá Raquel e Quintino!
Já não é a primeira vez que vos escrevo, pelo que não levam a mal se passar a parte dos elogios ao vosso trabalho? Toda a gente já sabe que vocês são os MAIORES!!
Andava há uns dias para vos escrever sobre um tema quando, como que por magia, vocês falam dele num dos vossos programas! Ainda assim, a Raquel referiu que este iria ser desenvolvido em breve, pelo que a minha mensagem pode sempre trazer algum contributo à discussão.

O tema em questão é o orgasmo vaginal e clitoriano. Há uns dias em conversa com a minha namorada ela fala-me de diferentes orgasmos e eu fiquei curioso porque não conhecia de todo a questão. O que ela me explicou é que tem sensações completamente diferentes quando atinge um orgasmo vaginal ou clitoriano. O primeiro surge apenas com a penetração e provoca-lhe um orgasmo generalizado, como se todo o corpo fosse envolvido por aquela sensação; ja o orgasmo clitoriano descreve-o como se fosse uma descarga eléctrica bem limitada à região do clitoris, menos abrangente mas muito mais intenso de forma localizada. Este orgasmo clitoriano so surge por estimulação directa do clitoris, seja durante a penetração ou o cunilingua. Posta esta diferença de sensações, será que podiam desenvolver o tema num dos próximos programas

Como é que algo que se origina a partir do mesmo órgão pode provocar reacções e sensações tão distintas?

Um grande abraço aos dois!"

Audio


por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2015-02-10 13:12:53

Os relacionamentos e as redes sociais.

Os relacionamentos e as redes sociais.
"Bom dia (boa tarde, ou boa noite) meus queridos da Hora do Sexo!

Cada vez mais aparecem dúvidas sobre relacionamentos ligados às redes sociais. Pois a minha não é exceção.

Há já uns meses cruzei-me com um rapaz na rua que despertou o meu interesse. Acabei por encontrar casualmente o seu Facebook e quase todas as semanas faço um stalking "saudável"... Temos imenso em comum, até mete impressão!

As minhas amigas insistem para que o adicione como amigo, mas não acho saudável começar uma "relação" deste modo. Para além disso posso sempre ser rejeitada ou ficar perdida na lista de amigos dele, sem sequer alguma vez trocarmos uma mensagem. O que faço, arrisco?"

Audio



por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2015-02-10 12:39:13

A timidez e o sexo - a primeira vez com uma prostituta

A timidez e o sexo - a primeira vez com uma prostituta
"Sou um jovem de 20 anos universitário e adoro sair com os meus colegas. Sou uma pessoa bem humorada mas um pouco timida em relaçao ao sexo oposto , tive uma adolscencia um pouco complicada devido ao facto de ser muito timido, cheguei a sofrer de bullying.
Durante toda a minha vida nunca tive qualquer relacionamento intimo com o sexo oposto, embora ja tenha tentado com uma amiga e tenha levado um fora quando decidi expor os meus sentimentos . Estava a pensar em ter a minha iniciação sexual com uma Prostituta so para me exprimentar sexualmente enquanto nao vai aparecendo alguém, e para depois me poder sentir mais a vontade, ja deixei passar algumas oportunidades antes por ser um pouco timido."!

Audio





por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2015-02-10 12:24:33

Desculpas para não fazer sexo com a mulher

Desculpas para não fazer sexo com a mulher
Ben Zank "Raquel Bulha e Quintino Aires,
Antes de mais devo dizer que adoro o vosso programa e já vos acompanho há imenso tempo e as vossas intervenções têm sido muito importantes para a abertura em muitos assuntos que muitas vezes era um tabu, desde que iniciei a minha vida sexual. Confesso que já havia tido questões para vos colocar, mas nunca tive coragem ou talvez porque não tinha ocorrido nada que tivesse realmente mexido comigo.
Tenho quase 30 anos e ando com um rapaz há dois anos, iniciámos uma relação que ao inicio não era nada assumido, mas com o decorrer do tempo e da convivência, fomos construído algo que possamos chamar de "relação", ele foi o meu 1º e único companheiro sexual. Durante estes 2 anos experimentei várias coisas a nível sexual, sempre tivemos uma quimica e uma abertura mental muito grande, a ponto de satisfazermos as fantasias um do outro, desde fazer sexo em lugares públicos, no carro, na janela de casa, passando pelo uso de brinquedos e chegámos a pensar fazer um ménage à trois com uma outra mulher, o que não se concretizou, por não termos conseguido encontrar nenhuma amiga minha "disponível" ou que tivesse mente aberta suficiente para tal e eu queria muito concretizar essa fantasia, pois era algo que ele estava sempre a falar.
O que acontece é que há desde 6 meses para cá, ele começou a afastar-se de mim e a nossa prática sexual decaíu completamente, ou seja, começou a ser inexistente. Confrontei-o com o que pudesse estar a acontecer e ele desculpou-se com o aparecimento de um QUISTO no testiculo, o que lhe causava um enorme desconforto, quando fazíamos amor. Eu estive meses a tolerar essa situação, à espera que ele melhorasse, pois ele dizia que o quisto acabaria por desaparecer por si só. O que venho a descobrir há dias, é que ele mantém há meses (6 meses) uma outra relação, assumida, mas com uma mulher mais velha, já com 3 filhos. Parecem muito apaixonados, a julgar pelas fotos publicadas no Facebook. Alias, descubri essa dupla relação através da rede social, e por acaso. O que me custa nesta situação é que ele diz que só começou a ter essa relação com uma mulher mais velha porque estava a sentir-se com baixa auto-estima por causa do problema no testículo e de facto eu vi o exame médico e o problema existia, mas isso não invalida o facto de deixar passar estes meses todos e não me ter dado assitência e eu ter mantido uma postura de tolerância e em altura nenhuma pensei em ser-lhe infiel, pois não é da minha natureza. Ele diz-se muito arrependido mas o facto é que continua com ela e eu não percebo por que razão isto aconteceu.  Eu terminei tudo , mas estou muito magoada e não consigo perdoá-lo."

Audio


por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2015-02-10 10:55:41

Interesse Sexual

Interesse Sexual
"Olá, comecei a ouvir o vosso programa a conselho da minha psicoterapeuta e gostei muito. Gostaria de partilhar a minha situação convosco por achar que sofro de um problema comum.

Sou uma mulher de 30 anos e estou com o meu parceiro há 6, vivemos juntos e sempre tivemos uma vida sexual bastante activa. De há dois anos para cá a situação tem vindo a mudar: eu não tenho o mesmo interesse sexual de antes. Ou estou cansada, ou tenho tarefas ou até coisas mais interessantes para fazer. E agora, sempre que ficamos uma semana ou 10 dias sem sexo (raríssimo, porque eu esforço-me por fazer mesmo sem vontade), há discussão. A nossa média são 2 vezes por semana, o que para ele é muito insuficiente.

Tentei explicar ao meu parceiro que isto não é por ter deixado de gostar dele, mas que realmente sinto falta de uma maior ligação com ele. Não me sinto apoiada nas tarefas domésticas, não me sinto apoiada financeiramente (ele não tem estabilidade financeira porque tem investido em negócios que ainda não vingaram) e não me sinto conquistada/namorada. Sinto falta de passeios, surpresas, prendas, diversidade. Sinto que não temos planos conjuntos para o futuro, nunca viajámos juntos, temos uma rotina muito limitada e as férias são sempre para o mesmo sítio. Não planeamos ter filhos... parece que não estamos a construir nada juntos, só a "passar pela vida".

Já lhe espelhei tudo isto e a resposta é sempre a mesma: estás-te sempre a queixar, nunca estás satisfeita com nada, mesmo que eu fizesse essas coisas todas tu ias inventar outra desculpa para não haver (mais) sexo.

Penso que se algo não mudar, ele vai acabar por deixar-me, convencido de que eu sou frígida ou que tenho algum problema (coisa que já me sugeriu várias vezes), em vez de olhar para a sua parte no meio disto tudo - não me desperta grande interesse sexual, apesar de ser bem parecido e estar em boa forma (e de ser competente na cama).

Depois de algumas discussões, tentei ter uma atitude mais positiva em relação ao sexo: não encarar a coisa como uma obrigação, tentar mentalizar-me de que "ok, isto vai servir para descomprimir do dia de hoje, vou estar com o homem que amo", não me importar de ficar acordada até mais tarde (ele não tem de acordar cedo de manhã) a bem da relação, usar lingerie que me pudesse excitar mais, etc. Ele continua a queixar-se da pouca frequência, mas não se tornou mais romântico nem fez nada de diferente.

Já tentei que ele lesse livros e artigos sobre o assunto, que ouvisse o vosso programa, que fossemos fazer terapia os dois (recusa-se). Nada ajudou. Estou a começar a desesperar, como hei de chegar a ele? Como fazê-lo ver o meu lado da situação? Como "provar" que nós, mulheres, somos diferentes e para haver sexo não é só "carregar no botão"??
Obrigada..."

Audio



por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2015-02-09 15:24:20

Iniciar o sexo anal

Iniciar o sexo anal
"Olá Quintino Olá Raquel
Gosto muito do vosso programa e sempre que posso ouço. Obrigada por me ajudarem a perceber alguns dos meus sentimentos relativamente ao outro (entenda-se companheiro).

Relaciono-me com um homem que me satisfaz muuuuuuuito na cama. (Eu também o satisfaço muuuuuuito). Ambos queremos iniciar o sexo anal. O que temos de saber para o fazer em segurança e sem correr o risco de contrair infeções (as bactérias anais se penetrarem na vagina podem ser muito prejudiciais, certo?)

Curiosidade: apesar dos meus 47 anos só agora me estou a descobrir sexualmente e tenho adorado. Sexo é tão bom!!!

Fui casada durante 20 anos e o sexo nos últimos 10, praticamente não existiu sendo monótono e sempre rápido. Agora encontrei alguém com que o sexo é natural das mais variadas formas: Haja imaginação . Está a ser um grande prazer partilhar e descobrir o meu corpo com este homem ADORO"

Audio


por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(1)
2015-02-09 15:18:30

É traição?

É traição?
"Tenho 27 anos, a minha namorada 25 anos e conhecemos-nos acerca de 1 ano. Namoramos desde então. Tínhamos uma relação normal até neste ultimo verão descobrir no telemóvel dela a existência de mensagens de cariz sexual com outro homem.
Ao presenciar tal facto, fiquei estupefacto, sem saber bem o que fazer ou sentir, cólera/raiva,etc... Tendo-a confrontado com tal facto, respondeu-me que apenas fazia para aumento de auto-estima, sendo um Flirt sem qualquer tipo de interesse pela pessoa e nunca se tendo envolvido com este homem fisicamente estando a namorar comigo; com este homem ela tinha tido uma relação ocasional, tendo acontecido sexo oral apenas da parte dele para com ela sem término, por desconforto da parte dela.
As minhas questões são as seguintes:
Pode ser considerado traição o simples Flirt, ocorrido através da troca de mensagens?
O que se entende por Flirt?
Este comportamento costuma ter tendência a se repetir?
Sexo Oral é considerado Relação Sexual?"

..

"Olá Raquel,
Obrigada pelo teu trabalho e excelente serviço publico que fazes. Desta vez escrevo direta e centradamente para o amigo Quintino (ora se ele fala tanto comigo, porque não hei-de chama-lo de amigo?!) Estive afastada da hora do sexo por uns largos meses estando agora a recuperar o tempo perdido ouvindo todos os podcast. Quando me apercebo de alguma polemica em torno das declarações do Quintino. Pessoas que não concorda com ele, que se sentem ofendidas...enfim. Quero por isso deixar aqui o meu apoio ao Quintino. Não concordo com tudo aquilo que ele diz, não é que ache que a sua palavra seja lei, não é que meia volta não pense "olha lá que palerma". Mas valorizo o seu trabalho por me fazer pensar, por me fazer questionar. E se algumas das suas ideias poderei achar excêntricas...também sei que a maioria da sociedade e até dos meus amigos também não aceita o meu comportamento. Temos direito à nossa forma de pensar, a criar a nossa opinião. Se nos sentimos ofendidos com o que diz, há uma coisa maravilhosa, que é podermos mudar de canal ou de estação e ignorar então o que o Dr. Quintino diz. Isto faz-me lembrar a "Casa dos Segredos" que tanta gente critica e fala da falta de moral, inteligência e cultura dos concorrentes mas depois fica colado na tv a assistir.


Digo eu, que temos coisas bem mais sérias na nossa vida e sociedade e que não empenhamos tanta força para criticar ou mudar além de alguém que apenas dita a sua opinião. A essa gente tão inconformada prestem atenção, por exemplo, à politica, a pessoas mais ou menos serias que ditam, aplicam regras à nossa vida e não apenas a quem se oferece para a orientar. Espero que continue o bom trabalho de nos fazer pensar e nos fazer sentir incomodados, já que eu vou continuar a ouvi-lo (e a ti também Raquelita!!!)"

Audio


por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2015-02-09 15:12:58

Desencontros antes de ir para a cama.

Desencontros antes de ir para a cama.
"Olá!
A minha namorada sempre foi muito activa e criativa sexualmente. Contudo, ultimamente, se eu não tiver iniciativa, ela também não tem.
Esta noite, aconteceu algo surreal.
Quando sugeri que fôssemos para a cama, recusou, porque estava a ver televisão.
Aguardei. Chegados ao quarto, ainda quis ver um episódio de uma série... Vimos o episódio. Apesar de estar já cheio de sono e cansado, tentei acariciá-la, beijá-la, estimulá-la... mas não reagiu. Calculei que tivesse adormecido. Perdi o sono e levantei-me. Quando voltei para a cama, como não conseguia dormir, tentei tudo de novo, durante uns 20 minutos, novamente, sem qualquer reacção.

De manhã estava chateada comigo, primeiro porque me levantei da cama, segundo porque não insisti... Isto é normal? O que devo fazer?"

Audio


por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2015-02-09 15:03:41

A Traição. Quais as fragilidades?

A Traição. Quais as fragilidades?
"Olá,
Eu fui traído por a minha mulher e tentei perdoá-la....mas mais tarde vi que não conseguia. Fui trabalhar para o estrangeiro 2 meses e uma colega de trabalho começou a dar-me mole, mas ela não me dizia nada. O problema foi que 15 dias antes de voltar para Portugal desentendi-me seriamente com a minha companheira, praticamente acabou comigo e deixou de me falar. Eu fiquei com raiva e o pensamento de vingança pela traição antiga veio ao de cima por ter no trabalho alguém que me dava mole. Passei a conversar mais com essa colega e a reparar nela propositadamente forçando a situação. Comecei a gostar da atenção que ela me dava e de dia para dia comecei a sentir-me muito bem com ela porque me fazia rir, era divertida e trabalhadora. Por me sentir leve e a esquecer os problemas, senti que estava a apaixonar-me e a esquecer a minha companheira, de quem na altura só tinha raiva....

Como me sentia carente, comecei a desejar beijá-la e abraçá-la, mas apesar dessa vontade de estar perto, não sentia força nem coragem para ir avante com ela....não sentia aquele desejo carnal que senti com outras paixões. Nem proporcionei momentos para que isso acontecesse. Passados uns dias vi que também não conseguia vingar-me da minha companheira, que não conseguia traí-la, não tinha estômago para isso. Comecei a achar que tudo tinha acontecido por estar carente e com raiva de lembrar da traição e de a outra me dar tanta atenção. Porque no fim, sinto que apesar de só terem existido conversas banais e pouco pessoais, ela foi um grande apoio para mim naquela fase.

Dr. Quintino, acha que me apaixonei por essa colega ou confundi as coisas? Era uma atracção?É que eu não sofri por ela, por não a ter, pelo contrário, sentia-me bem. Sinto-me tão arrependido de ter tido um pensamento de vingança e ter proporcionado o que aconteceu...porque nem foi uma química natural, resultou de um forçar. Eu sinto que amo a minha mulher e que a mágoa da traição me cegou."


Audio


por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2014-12-16 13:49:53

Brinquedo sexual "must have".

Brinquedo sexual must have.
"Olá Raquel e Quintino,. Sigo de uma forma mais ou menos regular  vosso programa e gosto muito. Não sei se já falaram sobre este assunto num dos programas, mas a verdade é que tenho algumas dúvidas.

Tenho 23 anos, iniciei a minha vida sexual aos 17 num relacionamento que durou até aos 22 anos. Terminou devido a uma traição de ambas as partes. Física no meu caso e de sentimento do lado dele. Depois disso tive um "caso" que durou 7 meses e agora estou num outro relacionamento que dura, também, há 7 meses.  Atualmente este meu namorado esta em Espanha e vemos-nos uma vez por mês, bem sei que nao vai ser longo mas enquanto durar estou bem.  Do ponto de vista sexual damo-nos muito bem, ele é mais novo mas mais experiente. Gostamos de inovar e é por isso que vos escrevo. Penso que ja fizemos grande parte do que ha por fazer sem "brinquedos sexuais". No entanto ele chega a semana que vem e eu gostava de fazer uma visita a uma sex shop, a primeira vez a serio. Assim, gostava de saber o que é recomendado comprar numa fase tão inicial o que é mesmo "must have". Sabendo que sou uma pessoa muito romântica e apaixonada no que diz respeito ao sexo e ele um pouco mais "selvagem".  

Bem sei que não ha nada como ir e experimentar, mas umas dicas nunca fizeram mal a ninguém :)... "

Audio







por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
2014-12-16 13:44:37

Quando se estraga uma memória boa.

Quando se estraga uma memória boa.
"Peço desculpa por estar a perturba-lo com este mail, deve receber centenas de mais com este tipo de duvidas. Sei e compreendo que não me vai responder, pois deve ter mais que fazer, mas seja como for exponho aqui a minha situação.

Eu e a minha namorada estamos juntos há cerca de 4 meses, temos ambos 31 anos, no inicio tudo era perfeito, tínhamos relações com alguma frequência mas não todos os dias, para alem da frequência com que fazíamos eu também sentia o desejo dela, mas no segundo mês ela começou a afastar-se e a não querer fazer mais e também começou a querer mais espaço, para mim não foi difícil mas como gosto dela achei que tinha razão. Mais tarde questionei-a se ainda gostava de mim e porque se estava a afastar, ela disse que era o stress do trabalho e também porque estava a passar por alterações no corpo, uma vez que deixou de fumar em Abril . Hoje em dia estamos juntos todos os dias, muito por vontade dela, é quase como se vivêssemos juntos mas a falta de desejo continua mesmo com a minha insistência. Tento sempre agradar lhe perguntando como gosta mais, também tento ajuda-la com os problemas do dia a dia tentando facilitar a sua vida, fazendo surpresas, jantares à luz das velas, mensagens de amor, faço massagens quando está cansada, ajudo nas contas de casa, lavo a louça. faço tudo para se sentir bem e confiante comigo, mas só recebo nãos. Ela não gosta de mim pois não?


Obrigado Dr. Quintino, é a primeira vez na vida que faço este tipo de pergunta a alguém, não tenho à vontade para desabafar este assunto com amigos, costumo seguir os seus programas e por isso a pergunta. Obrigado mais uma vez."

Audio



por : Raquel Bulha

link deste artigo | comentar/ver comentários(0)
A Hora do Sexo MP3 2015-12-31
A Hora do Sexo MP3 2015-03-03
Este é o blogue do programa "A Hora do Sexo". Aqui encontras muitas das dúvidas relacionadas com a sexualidade, mas mais importante do que isso, os devidos esclarecimentos e respostas. Bem-Vindo!

Contactos:

sexo@rtp.pt
Raquel Bulha (raquel.bulha@rtp.pt)
Quintino Aires (quintino.horadosexo@gmail.com)

Facebook



Audios

Ouve a Gala do 1º Aniversário

Ouve a Gala do 2º Aniversário com os ouvintes

Ouve a Gala do 2º Aniversário com os políticos
"Cenas Cortadas"
Consulta

Diário da República (regime de aplicação da educação sexual em meio escolar)
        
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031