Desporto

Nacional rendeu 1 milhão de euros de lucro ao Governo Regional

Nacional rendeu 1 milhão de euros de lucro ao Governo Regional
O futebol profissional do Nacional rendeu um milhão de euros de lucro ao Governo Regional da Madeira, entre 1 de janeiro de 2014 e 30 de junho de 2016, revelou hoje o emblema da I Liga portuguesa de futebol.

Na 'newsletter' diária enviada à comunicação social, o emblema madeirense considera que estas contas "deviam merecer mais atenção, não apenas da opinião pública, mas também de outros setores".

O clube diz que entre 01 de janeiro de 2014 e 30 de junho de 2016 pagou cerca de 5,16 milhões de euros (ME) em impostos, distribuídos por IRC (106 mil), IRS (3,32 ME), IVA (662 mil euros) e Segurança Social (1 ME).

Os responsáveis do Nacional alegam que, durante esse período "o contrato programa de desenvolvimento desportivo assinado com o Governo Regional permitiu ao Nacional receber cerca de 4,1 milhões de euros", pelo que, no seu entender, "facilmente se constata que o lucro do Governo Regional com o Nacional, Futebol SAD foi de cerca de 1 milhão de euros".

O clube destacou ainda que "o contrato programa abrange a equipa profissional, mas também todo o futebol de formação", o que significa que "cerca de 700 jovens atletas têm também a possibilidade de praticar futebol, integrando um projeto de qualidade e através do qual cumprem um importante passo não só da sua formação desportiva, mas, acima de tudo, da sua formação pessoal e social".

Os responsáveis 'alvinegros' consideram ainda que, graças à participação do Nacional na I Liga de futebol, "é indiscutível a promoção da Região no exterior, algo que a ser devidamente contabilizado iria certamente fazer subir e muito os valores do lucro do Governo Regional nesta sua parceria com os clubes profissionais de futebol regionais".

Há ainda a registar "o lucro indireto para a Região, resultante de viagens, estadias, transportes e alimentação das equipas que nos visitam e respetivos adeptos", constata o Nacional.

O clube insular entende que estes números "ajudam a desmistificar a ideia de que o futebol profissional vive à custa do dinheiro dos contribuintes". Antes pelo contrário, dizem os seus responsáveis, é também "capaz de utilizar o dinheiro recebido para criar mais-valias, potenciando receitas e gerando lucros aos seus patrocinadores".

"De todas as atividades subsidiadas, apoiadas e promovidas pelo Governo Regional, haverá mais alguma a gerar tanto lucro?", questiona o Nacional.

A juntar a isto, o emblema da I Liga diz ainda ter "atividade em oito modalidades amadoras", proporcionando a cerca de milhar e meio de atletas "a possibilidade de praticarem desporto no Nacional".