Política

Liliana Rodrigues defende reforço da política de coesão

XXI Conferência de Presidentes das Regiões Ultraperiféricas

Liliana Rodrigues defende reforço da política de coesão
Na sua intervenção enquanto representante dos Membros do Parlamento Europeu na XXI Conferência de Presidentes das Regiões Ultraperiféricas, a Eurodeputada Liliana Rodrigues lembrou que “um dos objectivos fundamentais da União é a promoção da coesão económica, social e territorial e da solidariedade entre as várias e diferentes regiões” e que, por isso mesmo, “a política de coesão é um instrumento único de investimento, sendo necessário mostrar que aprendemos com as experiências do passado e começarmos já a pensar no futuro e a delinear as linhas orientadoras da política de coesão pós-2020”.

De acordo com as palavras da deputada socialista, “essa será a única forma de conseguir enfrentar e superar com sucesso uma série de desafios cruciais para a União Europeia e para as pessoas, como são aqueles relacionados com o desenvolvimento sustentável, a criação de emprego de qualidade, os transportes, as alterações climáticas ou as migrações, entre muitos outros que vão de encontro às necessidades concretas dos cidadãos europeus, das suas expectativas e dos seus receios”, acrescentando que “dado o estatuto específico das Regiões Ultraperiféricas, implica atender ainda a outras especificidades inerentes à sua condição e não desperdiçar oportunidades por falta de coragem ou conveniência política”.

Liliana Rodrigues entende que “é imprescindível investir na cultura, na educação, na formação profissional e vocacional, enquanto meios privilegiados de atacar o desemprego juvenil e promover a inclusão social, o combate à pobreza e às diferentes formas de discriminação e que o sucesso da política de coesão e da redução das assimetrias regionais, mais acentuadas quando falamos das RUP, passa obrigatoriamente por um trabalho conjunto de todos, independentemente da nacionalidade e da ideologia partidária. Defender cada região como se fosse a nossa. O futuro da União passa por aí”.