Exposição de projetos tecnológicos em Lisboa lança iniciativa da Comissão Europeia

| Ciências

Um robô-tutor com assinatura portuguesa, depois de testado nas escolas, vai estar, a partir de domingo, na praça do Comércio, em Lisboa, numa pequena exposição que mostra ao público alguns dos projetos tecnológicos financiados por fundos europeus.

A mostra, que decorre até quinta-feira, insere-se na ICT 2015 - Innovate, Connect, Transform, uma iniciativa da Comissão Europeia, com o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia, sobre as tecnologias da informação e comunicação, que inclui exposições e uma conferência.

O robô EMOTE, um dos cinco projetos europeus que podem ser conhecidos num pavilhão da ICT na Praça do Comércio, resulta de uma parceria entre Portugal, Alemanha, Suécia e Reino Unido.

Na prática, o robô interage com crianças, tem capacidade para lhes ensinar a ler um mapa ou ver uma escala, ou jogar com elas um jogo sobre como gerir uma cidade sustentável, exemplificou à Lusa a coordenadora nacional do projeto, Ana Paiva, professora no Instituto Superior Técnico, em Lisboa.

O robô foi testado em várias escolas portuguesas e deverá continuar a sê-lo, a partir de janeiro, depois de concluídas algumas afinações, adiantou.

O EMOTE teve um custo de 3,7 milhões de euros, dos quais cerca de três milhões foram suportados por fundos comunitários.

Na praça do Comércio, o público poderá conhecer um outro projeto com participação portuguesa, neste caso da Universidade do Minho, o Graphene Flagship, uma plataforma europeia para o estudo e a aplicação do grafeno, material mais fino do que um fio de cabelo, mais resistente do que o aço, transparente, leve e considerado um excelente condutor de calor e eletricidade.

No pavilhão, os visitantes terão oportunidade de criar cristais de grafeno e verificar os resultados com um microscópio, ver e ouvir testemunhos de especialistas sobre as potencialidades do grafeno e descobrir diversos usos do material (ecrãs flexíveis de telemóveis, baterias, sensores, membranas de filtração de água).

No âmbito da iniciativa ICT 2015 - Innovate, Connect, Transform, o Centro de Congressos de Lisboa acolhe, entre terça e quinta-feira, expositores com 150 projetos tecnológicos europeus e internacionais.

Entre eles incluem-se um robô que interage com crianças hospitalizadas. Utilizado no Instituto Português de Oncologia de Lisboa, o "Gasparzinho" teve o contributo do Instituto de Sistemas e Robótica do Instituto Superior Técnico, entre outros parceiros nacionais e estrangeiros.

No recinto de expositores, acessível apenas aos participantes do evento, e não ao público em geral, serão também demonstradas as funcionalidades de um modelo de acessório para telemóvel, que permite a autenticação biométrica (com recurso a gestos, à palma da mão) do seu utilizador, sem recurso a "password", bem como do acesso a ficheiros de dados (por exemplo, dados bancários, resultados de análises clínicas).

O sistema de autenticação personalizada, preparado para telemóveis inteligentes, representa um investimento de 4,5 milhões de euros, dos quais 3,5 milhões foram pagos por fundos da União Europeia, sendo desenvolvido por um consórcio que engloba empresas, centros de investigação e universidades de Portugal, Espanha, França, Noruega e Israel.

João Silva, gestor técnico nacional do projeto, do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores - Investigação e Desenvolvimento, disse à Lusa que o consórcio conta ter pronto, em 2016, um protótipo mais próximo daquilo que será o produto final.

A ICT 2015 inclui uma conferência com diversos painéis temáticos, designadamente sobre o Horizonte 2020, programa da União Europeia de incentivo à investigação e inovação, e sobre a tecnologia 5G, e a atribuição de prémios aos melhores expositores.

No evento são esperados, de acordo com a organização, mais de seis mil participantes, incluindo decisores políticos, investigadores e empreendedores.

O físico Konstantin Novoselov, galardoado em 2010, juntamente com Andre Geim, com o Prémio Nobel da Física, pela descoberta da estrutura do grafeno, participará, na terça-feira, no painel de discussão sobre o mercado digital único europeu.

Na conferência são esperadas também intervenções do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, e dos comissários europeus para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, e para a Economia e Sociedade Digital, Günther H. Oettinger.

ER // MAG

Tópicos:

Ciência, ICT, Iação, Konstantin, Minho, Nobel,

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    O incêndio de Pedrógão Grande provocou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 pessoas feridas. Revisitamos os últimos dias com fotografias e imagens aéreas captadas com recurso a um drone.

      É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

      Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.