Câmara do Porto lança nova bolsa de criação artística a atribuir a 16 projetos

| Cultura

A Câmara Municipal do Porto anunciou hoje o lançamento de uma nova bolsa de criação artística, de nome "Criatório", a ser distribuída por 16 projetos em diversas áreas, no valor de 15 mil euros cada.

Em comunicado, a autarquia lembrou que se trata do cumprimento de uma promessa feita pelo presidente, Rui Moreira, em março aquando da inauguração da exposição em memória do vereador da Cultura Paulo Cunha e Silva.

"Na proposta que será sujeita a aprovação do executivo na próxima terça-feira, Rui Moreira escreve que a Câmara `considera a criação contemporânea um vetor central no desenvolvimento da cidade e que deve ter um papel progressivamente relevante na evolução dos discursos artísticos contemporâneos`", pode ler-se no documento enviado pela câmara.

O período de apresentação de candidaturas vai durar entre "meados de dezembro" e "finais de janeiro", sendo admitidas candidaturas a serem desenvolvidas no Porto durante um mínimo de seis meses e máximo de 12, com apresentação pública na cidade até ao final de 2018 e que não beneficiem de outro tipo de apoios do município para o mesmo projeto.

As categorias em concurso são as seguintes: artes visuais e curadoria; artes performativas e programação; composição, programação e performance musical; literatura, investigação e pensamento crítico.

O júri vai ser designado pela Câmara do Porto e composto por cinco elementos, dois dos quais representantes da autarquia.

Em julho, Rui Moreira disse que a Câmara do Porto iria "concentrar recursos" para apoiar a criação contemporânea, em áreas como o pensamento crítico, a escrita, a prática das artes visuais, a curadoria ou a composição musical.

"Queremos, com os futuros programas de apoio direto à criação artística, e de apoio e visibilidade a espaços de residência artística da cidade, contribuir de forma incisiva para fixar o talento da cidade e também atrair talento nacional e internacional para o tecido artístico do Porto", afirmou o autarca independente na cerimónia que distinguiu com a Medalha de Honra da Cidade Paulo Cunha e Silva, o vereador da Cultura que morreu em novembro do ano passado.

Em 2014, a autarquia havia anunciado a bolsa de criação Isabel Alves Costa com o Festival Internacional de Marionetas do Porto e as Comédias do Minho.

Já este ano, a câmara revelou a criação da plataforma InResidencePorto, um "interface" para juntar artistas nacionais e internacionais, preparando ainda bolsas neste âmbito, que poderão variar entre quatro, cinco ou seis mil euros, consoante a origem do artista seja nacional, europeia ou de fora da Europa.

Tópicos:

Comédias, InResidencePorto, Moreira,

A informação mais vista

+ Em Foco

É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.

Constança Urbano de Sousa garante que enquanto tiver confiança do primeiro-ministro não vai sair do Executivo.

Jorge Paiva, botânico e professor, um dos maiores peritos da floresta, critica em entrevista à Antena 1 o desinteresse generalizado dos políticos pelos problemas da floresta.