Canadá na homenagem a pioneiro português

| Cultura

O Governo da Columbia Britânica, no Canadá, está "muito satisfeito" com a homenagem em Vancouver ao pioneiro português Joe Silvey e às suas duas esposas nativas, em memória da tolerância étnica.

"Como primeira-ministra da Colúmbia Britânica, estou muito satisfeita com a autorização concedida por parte da comissão que gere o Stanley Park, que assim permitiu a localização do monumento de homenagem a Joe Silvey no local", disse Christy Clark à Lusa.

Segundo alguns historiadores, o baleeiro açoriano, natural da ilha do Pico, chegou à Columbia Britânica por volta de 1860, onde casou com duas nativas, e teve 11 filhos, contribuindo para o desenvolvimento da região e para a tolerância étnica.

"Este monumento especial é um tributo ao Joe, às suas duas mulheres Salish, às crianças, e a todos os seus descendentes`, acrescentou a líder do Governo provincial.

O monumento será inaugurado no próximo dia 28 de setembro e está a ser construído pelo bisneto de Silvey, Luke Marston. A obra terá cerca de quatro metros de altura com uma estátua de bronze de Silvey e outras duas de madeira, representando as esposas nativas do pescador português. A zona envolvente será ladrilhada com calçada portuguesa, com pedras vindas de Portugal.

"A escultura representa uma das primeiras ligações entre os pioneiros europeus de Vancouver e a comunidade costeira Salish", a tribo índia que vivia na zona, salientou Christy Clark.

A governante agradece a algumas entidades pelo seu desempenho no projeto, em particular à Portuguese Memorial Society, ao cônsul de Portugal, aos lusodescendentes e à câmara de Vancouver que autorizou a colocação do monumento no parque, tornando assim possível a obra.

Joe Silvey foi um pioneiro que ajudou à criação da nação canadiana e a escultura "será uma recordação da ligação que ele teve com o povo Salish", salientou a governante, que felicita também o autor da obra.

"Felicito-o por criar e partilhar para inúmeras pessoas que poderão ver e apreciar o monumento. Será uma boa forma de completar o 125.º aniversário do Stanley Park", conclui Christy Clark.

O Canadá é hoje conhecido por ser um país multi-cultural, e Joe Silvey é considerado um exemplo já que, ao contrário dos colonos habituais que tinham mulheres brancas, casou-se com duas nativas, de quem teve onze filhos.

A primeira mulher foi Khaltinaht, neta do respeitado chefe Musqueam, Kiapilano, com quem teve dois filhos. Após a morte da cônjuge, voltou a casar-se com uma segunda nativa, Kwahama Kwatlematt, tendo mais nove filhos.

Cerca de 150 anos depois, os seus descendentes perfazem já perto de um milhar de pessoas na costa oeste.

Joe Silvey, além de ensinar os indígenas a fazer redes para apanhar o peixe, obteve a primeira licença de pesca naquela província, abriu um dos primeiros bares (Saloons) e uma loja com material para os mineiros, em Gastown, onde se localiza Vancouver. Na ocasião, existiam apenas cerca de 300 europeus, mas com a corrida ao ouro, o número rapidamente subiu para 30 mil imigrantes ocidentais.

Para proteger a sua família, já que a miscigenação não era bem vista pelos europeus conservadores, Silvey comprou a ilha de Reid, tendo levado para lá os seus filhos.

Na Colúmbia Britânica vivem cerca de 25 mil portugueses ou luso-canadianos, a grande maioria em Vancouver e arredores, existindo também importantes comunidades em Kitimat e no Vale do Okanagan.

Tópicos:

Columbia Britânica Canadá, Joe Silvey, Salish às, Silvey Luke, Stanley Park Christy Clark, Vale,

A informação mais vista

+ Em Foco

Veja ou reveja aqui os debates na RTP com os candidatos às presidências das câmaras municipais das 18 capitais de distrito de Portugal Continental. A série é transmitida até 14 de setembro.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A Antena 1 fixa o país em duas dezenas de retratos no caminho para as eleições autárquicas.

      Sem possibilidade de receber os ordenados em euros ou de pagar as contas em Portugal, muitos recorrem ao mercado negro para trocar dinheiro.

      É portuguesa a única equipa do mundo que faz o despiste genético de cancro do estômago. Os investigadores viram agora renovado o financiamento.