Cornucópia repõe "A Gaivota", um êxito da temporada passada

| Cultura

Segundo a companhia de teatro, este espectáculo teve lotações esgotadas diariamente quando foi apresentado em 2006
|

A Cornucópia vai apresentar a partir de hoje no Teatro do Bairro Alto, em Lisboa, a peça "A Gaivota", de Anton Tchekov, na reposição de um espectáculo que esteve em cena na temporada passada com grande sucesso.

A reposição desta peça assinala o regresso ao palco da Cornucópia da actriz Rita Loureiro, num elenco que inclui ainda Duarte Guimarães, Luís Miguel Cintra, Rita Durão, José Manuel Mendes, Márcia Breia, Teresa Sobral, Ricardo Aibéo, Luís Lima Barreto, Dinis Gomes, Tiago Matias, Tânia Trigueiros e Manuel Romano.

Depois de ter sido representada durante duas semanas (até ao passado dia 20) no Teatro Municipal de Almada, a peça, com encenação de Luís Miguel Cintra e figurinos de Cristina Reis, ficará em cena no Teatro do Bairro Alto até 24 de Junho.

Segundo a companhia de teatro, este espectáculo teve lotações esgotadas diariamente quando foi apresentado em 2006.

A acção de "A Gaivota" passa-se na Rússia de finais do século XIX e Tchekov faz uma reflexão, através de várias personagens, sobre os meandros do próprio teatro, as relações da arte com a vida e a busca da felicidade.

A partir de Setembro, a Cornucópia estreia uma peça de Henrik Ibsen, "O Construtor Solness".


A informação mais vista

+ Em Foco

Um dos nomes mais importantes da arte contemporânea está a preparar uma intervenção artística em Portugal. O criador chinês Ai Weiwei acredita que, no futuro, Hong Kong e Macau não vão ser controlados pela China.

Em entrevista à Antena 1 e ao Negócios, o secretário de Estado adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, diz que um entendimento à esquerda é mais natural.

    Começa a legislatura do Parlamento Europeu saído das últimas eleições. Conheça aqui os eurodeputados portugueses e as suas prioridades.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.