Diretor executivo do IILP diz que comissões nacionais estão mais unidas

| Cultura

O diretor executivo do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP) afirmou, na terça-feira, que as comissões nacionais estão mais unidas, falam uma linguagem mais comum e referem-se de maneira muito mais informada à documentação, hoje mais consistente.

Gilvan Muller de Oliveira, que falava aos jornalistas no final da IX reunião do conselho científico do IILP, disse que isso só foi possível a partir dos planos de ação de Brasília e Lisboa, das conferências internacionais desenvolvidas sobre o tema, dos quatro colóquios que as comissões do IILP e a direção executiva organizaram em Luanda, Maputo, Praia e Guarabira, no Brasil.

"Tudo isso criou uma vivência e um conhecimento mútuo das comissões nacionais de língua portuguesa e também um crescimento da confiança na própria instituição como fórum capaz de encontrar soluções, resolver problemas, contribuir para o futuro da língua portuguesa e dar consistência a esse pilar da CPLP que é a língua portuguesa", acrescentou.

Quanto à reunião do conselho científico do IILP, o diretor executivo informou que serviu para o avanço de alguns projetos, nomeadamente o lançamento da plataforma do Vocabulário Ortográfico Comum (VOC) de Língua Portuguesa, já com mais de 250 mil palavras, estando o seu lançamento oficial previsto para a cimeira de Díli, em julho.

"O comunicado final reforça o papel que os ministros da Educação atribuem ao conselho científico do IILP como instância de deliberação sobre o acordo ortográfico e, ao mesmo tempo, conclama todos os países a estabelecerem relações com a equipa central do VOC, no sentido de resolver problemas lexicais particulares", prosseguiu.

Em relação ao parecer oficial apresentado por Angola sobre o Acordo Ortográfico de 1990, o conselho científico do IILP deliberou que as questões devem ser trabalhadas junto da equipa técnica do VOC, à semelhança do que aconteceu com as equipas de outros Estados-membros que lidaram com a questão da integração de palavras de origem bantu ou de outras línguas.

A reunião, à porta fechada, serviu ainda para eleger o moçambicano Raul Calane da Silva para a presidência do conselho consultivo, em substituição da cabo-verdiana Amália Lopes.

Foram ainda aprovados alguns instrumentos de gestão, como o relatório e plano de atividades, relatório e contas, orçamento para 2014.

O evento contou com a presença de representantes de todos os oito Estados-membros, exceto a Guiné-Bissau que, entretanto, é esperada numa próxima reunião a este nível.

Tópicos:

Guiné Bissau, Luanda Maputo Praia, Ortográfico,

A informação mais vista

+ Em Foco

A Girl Move Academy existe há quatro anos com o objetivo de criar uma geração de mulheres líderes.

    Em entrevista à RTP, o paquistanês Ahmad Nawaz recorda o ataque de 2014 a uma escola de Peshawar.

    Fotografias da autoria do artista berlinense Martin Dammann lançam luz sobre o lado mais obscuro da Wehrmacht.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.