Escritora Marlene Correia Ferraz vence Prémio Miguel Torga

| Cultura

A obra de ficção "Na Terra dos Homens", de Marlene Correia Ferraz, venceu a edição deste ano do Prémio Literário Miguel Torga - Cidade de Coimbra, anunciou hoje o vereador da Cultura da Câmara local.

Mário Nunes disse à agência Lusa que Marlene Correia Ferraz, residente em Viana do Castelo, concorreu sob o pseudónimo Bendito Homem.

Segundo o relatório do júri do concurso, que tomou a decisão por unanimidade, em reunião realizada sexta-feira, na Casa Municipal da Cultura, "Na Terra dos Homens" é, afinal, "um conjunto de narrativas sobre mulheres, reveladoras de sensibilidade poética e de uma clara preocupação social".

"Na variedade das histórias contadas, corre uma mesma ternura e uma filosofia de vida dominada por um registo emotivo", refere.

O júri deste ano, presidido pelo vereador Mário Nunes, integra ainda Eloísa Alvares, tradutora para espanhol da obra de Miguel Torga, Cristina Robalo Cordeiro, vice-reitora da Universidade de Coimbra e directora da Casa-Museu Miguel Torga, e o professor universitário Rui Namorado, em representação da Associação Portuguesa de Escritores.

Dezanove trabalhos concorreram desta vez ao Prémio Literário Miguel Torga, o que corresponde a cerca de metade dos concorrentes em edições anteriores.

Com uma dotação pecuniária de cinco mil euros e uma periodicidade bienal, o prémio será entregue em cerimónia no Dia da Cidade, a 04 de Julho.

O Prémio Literário Miguel Torga, atribuído a trabalhos inéditos no género de ficção narrativa (novela, conto e romance) escritos em língua portuguesa, visa homenagear aquele médico e escritor transmontano que criou a maior parte da sua obra em Coimbra.

Vasco Pereira da Costa, com a obra "Plantador de Palavras, Vendedor de Lérias" (1984), foi o primeiro galardoado.

Dois anos depois, o prémio distinguiu "Sementes de Só, raízes de mim", de Madalena Caixeiro, autora que voltou a conquistar o galardão em 1998, com a obra "O Declive".

Cristóvão de Aguiar, um escritor açoriano há muito radicado na cidade do Mondego, em cuja Universidade lecciona, também foi distinguido com o galardão por duas vezes, através "Trasfega" (2002) e "A Tabuada do Tempo" (2006).

Também Serafim Ferreira conquistou o Prémio Literário Miguel Torga em duas edições seguidas, nos anos de 1994 e 1996, através de "Mar de Palha" e "Crónica de Damião", respectivamente.

Idalécio Cação, com a obra "Daqui ouve-se o mar" (1990), Maria Júlia Matos Silva, com "A Noite Americana" (2000), e José Hugo Sarmento Santos, com "As mulheres que amaram Juan Tenório" (2004), foram outros galardoados.

Em 1988 e 1992, o prémio não foi atribuído por o júri entender que os inéditos concorrentes não tinham a qualidade exigida.

CSS/FF.


A informação mais vista

+ Em Foco

O presidente da Câmara dos Comuns é, digamos assim, o equivalente ao presidente da Assembleia da República em Portugal.

Neste Manual do Brexit, explicamos em 12 pontos o que está em causa e os cenários que se colocam.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      A entrevista ao ativista de Direitos Humanos para o programa Olhar o Mundo.