Estação ferroviária de Marvão recebe festival de cinema

| Cultura

"Guest House" TrainSpot, na estação ferroviária de Marvão-Beirã.
|

“Periferias” é um Festival Internacional de Cinema que decorre em Marvão até domingo e tem como objetivo divulgar filmografias que tenham como objeto as vivências em comunidade nas regiões de periferia e mundo rural.

Decorre, até domingo, a segunda edição do festival em que o cinema de autor produzido em Portugal e América Latina é o protagonista. Os realizadores Sérgio Tréfaut, José Miguel Ribeiro, Jorge Murteira, Luís Vintém e Paulo Moreira, além de exporem os seus filmes em tela, vão ser ainda parte de vários momentos de conversas com o público.
O “Periferias” teve, no ano passado, a sua primeira edição, dedicada ao continente africano.


A exibição do documentário “Alentejo, Alentejo”, de Sérgio Tréfaut, abre a segunda edição do festival e retrata a realidade atual do território onde é permanente a tradição musical do “cante alentejano”.

A obra, considerada o Melhor Filme Português no IndieLisboa 2014, vai ser exibida na estação de comboio do Marvão-Beirã, que está atualmente a servir de “Guest House”. A TrainSpot, assim se chama a estação enquanto casa de hóspedes, vai acolher também a exposição de pintura “Crónicas do Alentejo”, do artista Leone Holzhaus.

Estação de Marvão-Beirã (Foto: DR)

A edição do ano passado teve grande adesão do público português e espanhol e, para esta edição, a organização pretende reforçar a sua dimensão transfronteiriça. “A intenção dos organizadores passa não só pelo cinema enquanto proposta de exibição, mas também como meio de desenvolvimento social” atribuindo ênfase à “valorização do território”, pode ler-se no comunicado enviado pela organização.

A iniciativa obedece a uma vontade de descentralização cultural, disponibilizando produtos e serviços que estão, normalmente, situados nas grandes cidades, pouco acessíveis às periferias.

O programa do Festival Internacional de Cinema de Marvão, que pode ser consultado em www.periferiasfestivaldecinema.com, apresenta um leque de propostas que vão do filme de animação à longa-metragem e documentário. Paralelamente, decorre um conjunto de iniciativas onde se incluem exposições, música e uma feira de produtores locais.

Tópicos:

Artes, Cultura, Cinema,

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    O incêndio de Pedrógão Grande provocou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 pessoas feridas. Revisitamos os últimos dias com fotografias e imagens aéreas captadas com recurso a um drone.

      É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

      Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.