Hugo Milhanas Machado vence Prémio Literário José Luís Peixoto 2008

| Cultura

Hugo Milhanas Machado é o vencedor do Prémio Literário José Luís Peixoto 2008, atribuído pela Câmara Municipal de Ponte de Sor na modalidade de Poesia, com a obra "As Montanhas Mágicas".

Houve ainda outro vencedor nesta segunda edição do prémio, na categoria dos concorrentes naturais e/ou residentes no concelho de Ponte de Sor: João Bruno Marques Marzia, com a obra "Corrupção da Alma", indicou hoje a câmara em comunicado.

Criado em 2007, o Prémio Literário José Luís Peixoto, no valor de mil euros, é um concurso de âmbito internacional aberto a cidadãos portugueses e naturais ou residentes em países de língua oficial portuguesa com idade até 25 anos.

O objectivo, "além de homenagear o patrono do prémio", é "incentivar a criatividade literária entre os jovens, bem como o gosto pela leitura", de acordo com o comunicado.

Em anos ímpares, o galardão premeia trabalhos inéditos na modalidade de Conto e em anos pares trabalhos de Poesia.

Dos 88 trabalhos que este ano concorreram ao prémio, procedentes de Portugal, Brasil, Espanha, Itália e Luxemburgo, três foram distinguidos com menções honrosas: Joana de Medeiros Mota Pimentel ("Casa de Bonecas"), Karinna Alves Gulias ("Maria da Graça, terra dos nomes perdidos") e Nelson Paulo da Silva Filipe ("A Queda das Azeitonas").

ANC.


A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    O incêndio de Pedrógão Grande provocou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 pessoas feridas. Revisitamos os últimos dias com fotografias e imagens aéreas captadas com recurso a um drone.

      É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

      Por que razão não voltou o Homem ao satélite natural da Terra desde a década de 70 do século XX? Uma das explicações pode estar na poeira que cobre a superfície da Lua.