Júlio Pereira assinala 2014 como "o ano do cavaquinho" e apresenta livro e CD

| Cultura

O músico Júlio Pereira assinala 2014 como "o ano do cavaquinho", com a edição de um livro/CD, a apresentação da Associação Museu do Cavaquinho e o respetivo sítio na Internet.

Júlio Pereira regressa ao cavaquinho com o livro/CD "Cavaquinho.pt", que é publicado no próximo dia 20. O álbum revela novas composições e conta com a participação de, entre outros, Uxía, Sara Tavares e Luanda Cozetti.

A musicóloga Salwa Castelo-Branco, no texto que acompanha o CD, refere-se ao disco como "uma proposta musical inovadora" de Júlio Pereira, "pioneiro da revitalização, atualização e difusão dos cordofones portugueses".

A catedrática da Universidade Nova de Lisboa chama a atenção para o facto de neste CD estar contemplada a Galiza, região espanhola que "partilha a mesma fronteira, matriz linguística e cultural com o Minho", assim como a integração de outras linguagens musicais, como jazz e o fado.

O "digibook", que integra o CD, é constituído por 112 páginas ilustradas e conta com "um texto sobre os tempos, modos e lugares em que o pequeno tetracórdio [o cavaquinho] se foi revelando", explicou Júlio Pereira à Lusa.

O cavaquinho, instrumento tipicamente minhoto, é "hoje protagonista da música de todo o mundo", conhecendo-se versões do cavaquinho noutras latitudes, com mais de 120 modelos diferentes, como os modelo cabo-verdiano e brasileiro, o ukulele nos Estados Unidos e o keroncong na Indonésia.

Paralelamente, o músico de 60 anos salienta que "é tempo de mostrar ao mundo uma das grandes riquezas que temos" e, neste sentido, lança o portal na Internet www.cavaquinhos.pt.

Segundo Júlio Pereira "é o sítio na internet que percorre o universo internacional deste instrumento e dos seus descendentes, através de um exaustivo acervo documental e fotográfico".

"O principal objetivo é mostrar aos portugueses e ao mundo o universo do cavaquinho, nomeadamente os seus mais de 120 modelos diferentes, os seus construtores e tocadores", explicou.

Segundo o músico, que trabalhou, entre outros, com José Afonso, Augusto Boal, Águeda Sena e João Perry, este espaço na Internet reunirá "uma comunidade que ascende aos 200 milhões de pessoas e que engloba os vários cavaquinhos existentes por esse mundo fora desde o cavaquinho continental português ao keroncong na Indonésia".

"O sítio na Internet será rico de exemplos musicais onde poderemos ver e ouvir os melhores tocadores de cavaquinho, aprender as técnicas, os acordes e consultar os estudos sobre ele", acrescentou o músico.

Criada no ano passado, a Associação Cultural, em Lisboa, é dada a conhecer este mês, assim como o Museu Cavaquinho.pt, acessível no mesmo endereço digital e na rede social facebook.

"Para saber o que temos precisamos de saber quem somos e o que fazemos", disse à Lusa o músico, que salientou ser este "o principal mote da Associação Cultural e do Museu Cavaquinho.pt".

O objetivo desta associação é a investigação, divulgação e preservação de todo o património material e imaterial referente ao cavaquinho.

Desde a sua criação, em julho do ano passado, a associação "tem vindo a trabalhar no Inventário Nacional da Prática do Cavaquinho em Portugal, que inclui a referenciação dos seus construtores, músicos, grupos de cavaquinhos e dos locais de ensino".

Manuel Morais, Salwa Castelo-Branco, António Zambujo, Rui Vieira Nery, Nancy Vieira, Manuel Lisboa, Jon Luz, são algumas das personalidades que fazem já parte da associação.

A associação prevê a edição de novos discos, realização de parcerias, encontros, "workshops", abertura de escolas e concertos, que "ajudarão a cimentar a documentação e organização de tudo o que faz parte da prática deste instrumento essencial na nossa identidade coletiva, o cavaquinho", frisou.

Júlio Pereira começou a tocar aos sete anos e editou o primeiro álbum inteiramente dedicado ao cavaquinho em 1981.

Tópicos:

Afonso, CD Cavaquinho, Nery Nancy,

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma semana após a extinção do incêndio de Monchique, a televisão pública esteve no barlavento algarvio com uma emissão especial sobre o cíclico flagelo dos incêndios e as alterações climáticas.

    Fãs de Aretha Franklin homenagearam a icónica cantora norte-americana em várias cidades dos Estados Unidos. A rainha da Soul morreu na manhã de quinta-feira na sua casa em Detroit.

      Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

        Há uma nova rota turística pela cidade de Lisboa, baseada em memórias de lisboetas mais antigos. São beneficiários da Associação Mais Proximidade Melhor Vida.