Mário & Lundum edita "(h)à fado" na próxima segunda-feira

| Cultura

|

O CD de estreia de Mário & Lundum, "(h)à Fado", é editado segunda-feira, revelando um projecto que parte de fados clássicos, como "Gaivota" ou "A Viela", e os aproxima do que seriam as suas raízes brasileiras.

O disco, editado pela EMI Music Portugal, conta com a participação especial da fadista Beatriz da Conceição, que ao lado de Mário interpreta "Já me deixou" (Artur Ribeiro/Max), e do músico brasileiro André Rocha (bateria e percussões).

A proposta, explicou à agência Lusa o produtor discográfico, Paulo Junqueiro, é ""pesquisar os sons das presumíveis origens brasileiras (do fado), sem alterar a harmonia fadista".

Mário Fernandes, que lidera o projecto, procurou no álbum "[h]à fado!" fazer uma viagem musical partindo de fados já conhecidos e interpretados por nomes como Amália Rodrigues, Carlos Carmo ou Camané, e imaginá-los num ritmo que vários historiadores apontam como uma das origens do fado.

Esse ritmo é o lundum, que vários testemunhos do Brasil dos séculos XVIII e XIX referem como "uma dança lasciva e até indecorosa", conforme explicou à Lusa o investigador José Ramos Tinhorão.

O grupo apenas com guitarra e viola um tema da brasileira Maria Rita, "Veja bem meu bem", da autoria de Marcelo Camelo.

Neste CD, disse à Lusa Paulo Junqueiro, "como que se desmonta e se faz uma arqueologia musical dentro do próprio fado, procurando- lhe as sonoridades latino-americanas já esquecidas".

No álbum "[h]à fado!" a guitarra portuguesa e a viola-baixo marcam presença e há o timbre fadista na voz de Mário, mas há também um conjunto de outros instrumentos que se juntam na composição musical, nomeadamente percussões ("surdo"), violoncelo, bateria e contrabaixo.

Com alguma ousadia, Mário Fernandes aborda fados considerados como clássicos, nomeadamente "Gaivota" (Alain Oulman/Alexandre O+Neill), "Estranha forma de vida" (Amália/ Alfredo Marceneiro) ou "Lágrima" (Amália/Carlos Gonçalves), fados criados na voz de Amália.

Do repertório da fadista, o grupo retomou "Prece" de Pedro Homem de Melo, que interpreta com música de Rui Veloso.

Mário & Lundum revisita também o repertório de outro nome grande do fado, Carlos do Carmo, de quem interpreta, entre outros, "Sou do fado" (Júlio de Sousa) ou "A Viela" (Guilherme Pereira da Rosa/ Marceneiro).

Outra escolha de Mário foram três fados do repertório de Camané reinventando "Senhora do Livramento" (José Luís Gordo/Alfredo Marceneiro), "Se ao menos houvesse um dia" (João Monge/Casimiro Ramos) e "Mais um fado" (Júlio de Sousa/Carlos da Maia).

A voz é de Mário Fernandes e formam os Lundum Pedro de Castro (guitarra portuguesa), Tiago Sousa Montes (violas, cavaquinhos, baixo eléctrico), Edgar Cruz (violas) e Ricardo Silva (percussões).

O disco conta ainda com a participação da Tuna do Instituto Superior Técnico, a que Mário pertenceu.

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Doze meses depois da eleição presidencial de 8 de novembro de 2016, com Donald Trump ao leme da Casa Branca, os Estados Unidos mudaram. E o mundo afigura-se agora mais perigoso.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.