Verona, cidade de Romeu e Julieta, alberga o mais antigo livro de cartas de amor

| Cultura

Verona, a cidade de Romeu e Julieta, alberga o mais antigo livro para aprender a escrever cartas de amor, um manuscrito do século XII escrito por um clérigo chamado Guido.

Segundo o diário italiano "La Repubblica", investigadores de Siena encontraram o manuscrito na Biblioteca Capitular de Verona quando procuravam livros de retórica inéditos em arquivos italianos e espanhóis.

O texto, intitulado "Modi dictaminum", está escrito em latim e sobre pergaminho, e contém conselhos para todo o tipo de cartas, incluindo as de amor, que ocupam todo o quarto capítulo.

Os conselhos incluem comparações entre a beleza da amada e pedras preciosas bem como referência a versões mitológicas de casais de namorados, como Páris e Helena de Tróia.

O texto ensina ainda a forma como a mulher deve escrever ao marido, bem como a melhor forma de o homem se apresentar à amada e como dela se despedir.

O autor propõe também figuras retóricas que indiquem a incapacidade para expressar o que se sente. "Não consigo expressar por palavras o quanto te amo, nem mesmo se todos os membros do meu corpo pudessem falar" é um dos exemplos apontados.

Além de referências à beleza da mulher amada, existem também indicações nas cartas que aludem ao amor físico: beijos, abraços e desejo.


A informação mais vista

+ Em Foco

O novo líder do PSD promete dialogar com todos os partidos nesta legislatura, mas tem consciência de que dois anos é pouco tempo para apresentar todas as propostas que defende.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Foram sinalizados casos de mutilação genital numa escola da Baixa da Banheira. Uma associação trabalha com turmas. Ainda há rapazes que defendem a "submissão" como "saudável".

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.