Aeroporto do Porto alcança 6 milhões de passageiros com objetivo de sustentabilidade para 2012

| Economia

O Aeroporto Francisco Sá Carneiro atingiu hoje o recorde do passageiro seis milhões em 2011, um crescimento de 14 por cento face a 2010 e um resultado que o diretor pretende que se mantenha.

De acordo com dados da ANA -- Aeroportos de Portugal, o aeroporto do Porto contou com 5,3 milhões de passageiros em 2010, uma subida de 17,1 por cento em relação a 2009, continuando a crescer em 2011 para o número de seis milhões.

Para o diretor do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, Fernando Vieira, há que ser realista em relação ao ano que se aproxima e "que vai ser particularmente difícil", proferindo palavras de cautela: "Se nós conseguirmos sustentar o tráfego que já conseguimos até agora, eu atrever-me-ia a dizer que já é um bom resultado".

O número seis milhões "significa um grande orgulho" para Fernando Vieira, que diz que a "grande prioridade" para todos os agentes regionais deve agora ser "sustentar este tráfego e este crescimento muito acelerado", algo que pode ser feito com "muito trabalho", em particular através da promoção da cidade e da região a nível internacional.

"O Porto e o norte de Portugal têm trabalhado bem em termos de promoção, das várias entidades. Se quiser, o Porto está na moda, palavra puxa palavra, quem vem cá gosta do que vê. E é sorte", explicou o responsável à Lusa.

Depois de em novembro o aeroporto do Porto ter registado um decréscimo de passageiros de 3,7 por cento face ao período homólogo de 2010 e com alguns cancelamentos "naturais" de rotas durante o inverno, como o destino Marraquexe a partir do Porto pela Ryanair, Fernando Vieira reforçou a ideia de que o importante é "sustentar os valores já alcançados".

"É natural, sempre foi assim, este ano de uma maneira um bocado mais intensa se quiser, no inverno há um conjunto de rotas que são descontinuadas, já no ano passado aconteceu isso com a Ryanair. Há destinos que são fundamentalmente turísticos e no inverno não têm o interesse que têm no verão", acrescentou o diretor da estrutura.

 

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    O incêndio de Pedrógão Grande provocou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 pessoas feridas. Revisitamos os últimos dias com fotografias e imagens aéreas captadas com recurso a um drone.

      É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

      Por que razão não voltou o Homem ao satélite natural da Terra desde a década de 70 do século XX? Uma das explicações pode estar na poeira que cobre a superfície da Lua.