Despedimentos inviabilizam "continuação do Público como jornal de referência"

| Economia
Despedimentos inviabilizam continuação do Público como jornal de referência

A ver: Despedimentos inviabilizam "continuação do Público como jornal de referência"

O jornal Público anunciou que vai despedir 48 trabalhadores, entre os quais 36 jornalistas - a Sonaecom apresentou a medida como necessária para reduzir os custos em 3,5 milhões de euros por ano.

O grupo a ser despedido corresponde a cerca de 25 por cento da redação. Todas as secções serão atingidas. Da lista de jornalistas a dispensar fazem parte alguns históricos do jornal.

No comunicado publicado na edição online do jornal, a administração fala de aposta estratégica no digital. Trabalhadores, administração e direção estiveram reunidos em plenário na redação em Lisboa e, no final, os trabalhadores mandataram os sindicatos para iniciar de imediato um processo de greve.

No comunicado conjunto do Conselho de Redação e Comissão de Trabalhadores, os profissionais dizem que este despedimento inviabiliza a continuidade do jornal como órgão de comunicação social de referência.

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

A operação Via Livre, da Guarda Nacional Republicana, vai realizar-se até 2 de abril em autoestradas e vias reservadas a automóveis e motociclos de todo o país.

Em entrevista exclusiva à RTP, Le Pen conta como foi expulso do partido que fundou em 1972 pela própria filha, a atual candidata Presidencial.

A UE está ameaçada e tem de voltar à génese para se fortalecer e recuperar influência mundial. Ou arrisca-se a perder o comboio do desenvolvimento e a desmembrar-se em pouco tempo.

    O intérprete da canção vencedora do Festival da Canção, “Amar pelos Dois”, tornou-se rapidamente um fenómeno da internet e das redes sociais.