Economia recupera no último trimestre de 2013 mas completa ano em perda

| Economia


A economia portuguesa cresceu 1,6 por cento no quarto trimestre de 2013, face ao mesmo período do ano anterior, invertendo a tendência de contração homóloga registada há 11 trimestres, dizem os dados divulgados esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística. Ainda de acordo com o INE, no conjunto do ano de 2013, a economia registou uma queda de 1,4 por cento. É no entanto um número que revela franca melhoria face à queda anual de 3,2 por cento em 2012.

Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) apontam a inversão da tendência de contração homóloga que vinha sendo registada há 11 trimestres. De acordo com a estimativa rápida do Produto Interno Bruto (PIB), este crescimento homólogo de 1,6 por cento no último trimestre de 2013 seguiu-se a uma redução de 0,9 por cento observada no trimestre anterior.

O INE justifica esta evolução com a recuperação da procura interna, "que apresentou um contributo positivo para a variação homóloga do PIB, o que não se verificava desde o quarto trimestre de 2010, refletindo principalmente o comportamento do consumo privado".

Acrescenta o INE que a procura externa líquida teve um contributo positivo "devido à aceleração das exportações de bens e serviços".

Comparativamente com o trimestre anterior, o PIB aumentou 0,5 por cento em termos reais entre outubro e dezembro do ano passado, tendo registado um crescimento em cadeia pelo terceiro trimestre consecutivo (+0,3 por cento no terceiro trimestre e +1,1 por cento no segundo trimestre de 2013).

Tópicos:

Economia, Estatística, INE, PIB, Recessão, Recuo,

A informação mais vista

+ Em Foco

Os dados do sistema de Informação de Fogos Florestais da União Europeia (EFFIS) indicam que só entre os dias 14 e 15 de outubro arderam em Portugal continental cerca de 200 mil hectares.

    Filipe Vasconcelos Romão, comentador de assuntos internacionais, refere que o artigo 155 da Constituição Espanhola será aplicado sem que haja qualquer lei de enquadramento.

    Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

      Na primeira entrevista pós-autárquicas, à Antena 1, Jerónimo de Sousa não poupou nas palavras. Afirmou que o "Governo ficou mal na fotografia e subestimou a situação" dos fogos.