Economistas nacionais defendem que Portugal e zona euro sobrevivem sem Grécia mas ficam mais pobres

| Economia
Economistas nacionais defendem que Portugal e zona euro sobrevivem sem Grécia mas ficam mais pobres

Foto: RTP Multimédia

O economista Luís Campos e Cunha manifestou hoje o desejo de que a Grécia não saia da Zona Euro, mas mostrou-se convicto de que Portugal e o euro sobreviverão a esta eventual situação, embora fiquem mais pobres. Já o economista Augusto Mateus afirma que Portugal tem tido "finanças a mais e economia a menos".

Campos e Cunha reconheceu que Portugal e a Zona Euro "ficarão mais pobres sem a Grécia e certamente diminuídos", mas acrescentou: "Quem quer estar está, quem não quiser não está".

O economista considerou que o principal problema da Grécia - que não se coloca em Portugal - são as instituições e mostrou-se desiludido com o Governo grego que - diz - preferiu virar-se contra as instâncias europeias.

Para Augusto Mateus, também ele economista, Portugal tem tido "finanças a mais e economia a menos". Acrescenta que a estabilidade financeira só é garantida com a criação de riqueza.

Augusto Mateus considerou que a economia portuguesa é "relativamente fechada" e afirmou que é preciso "ter menos medo da globalização", desenvolvendo estratégias competitivas adequada.

A informação mais vista

+ Em Foco

A ONU alerta para um ano de grande instabilidade e de necessidades maiores por parte da população civil.

Os dias estão mais quentes e não é por causa do advento da primavera. A razão está identificada - as alterações climáticas fazem-se sentir em todo o planeta e as consequências espelham-se em fenómenos extremos.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.