InterCement acredita em decisão favorável da concorrência brasileira

| Economia

O presidente da InterCement, empresa que controla a Cimpor, acredita que a entidade reguladora da concorrência do Brasil, a CADE, deverá pronunciar-se favoravelmente sobre os processos de aquisição da cimenteira portuguesa.

"A nossa expetativa é que vá para julgamento no dia 04 de julho e a nossa perspetiva é que ambos sejam aprovados", afirmou José Édison de Barros Franco, num encontro com jornalistas, que decorreu em Lisboa.

Em causa estão os dois processos de aquisição da Camargo Corrêa na Cimpor: o de 2010 e a Oferta Pública de Aquisição (OPA), lançada pela InterCement (detida pela Camargo Corrêa) anunciada no final de março deste ano.

A InterCement, detida pela brasileira Camargo Corrêa, controla atualmente a maioria do capital da Cimpor, na sequência da OPA.

O setor dos cimentos no Brasil, em forte expansão, tem sido alvo de suspeitas de formação de cartel.

No ano passado, seis empresas, entre elas a Cimpor, a Votorantim, a Camargo Corrêa e a suíça Holcim, foram acusadas pela Secretaria de Direito Económico (SDE) do Ministério da Justiça do Brasil de alegadamente terem concertado os preços praticados no mercado, além de dividirem os clientes de acordo com as suas áreas de atuação e interesse.

Tópicos:

C Corrêa, Cimpor Votorantim,

A informação mais vista

+ Em Foco

Carvalho da Silva, sociólogo e antigo líder da CGTP, considera que as relações de força existentes em sede de concertação social são mais favoráveis para os patrões do que o Parlamento.

No aniversário da fundação Gulbenkian, a RTP foi visitar o museu e, em conjunto com os curadores, selecionou algumas das obras mais significativas que aí se encontram.

    A Fundação Gulbenkian celebra 60 anos. A Antena 1 dá a conhecer pessoas e projetos que marcam a instituição fundada em 1956 por Calouste Gulbenkian.

      Uma rubrica do site da RTP e do Jornal 2 dentro do contexto evocativo do centenário da Grande Guerra. Será emitida todas as segundas-feiras.