Metro chega ao aeroporto de Lisboa terça-feira

| Economia

Metro de Lisboa completa mais uma etapa com a chegada ao aeroporto
|

A linha Vermelha do Metro de Lisboa vai chegar ao Aeroporto da Portela na próxima terça-feira, dia 17 de julho. As três novas estações do Metropolitano de Lisboa entram em funcionamento completando a ligação entre a estação do Oriente e o aeroporto. O prolongamento da linha Vermelha, com as novas estações de Moscavide, Encarnação e Aeroporto, conta com 3.326 metros de extensão.

As três novas estações da linha Vermelha do Metropolitano de Lisboa entram em funcionamento na terça-feira, completando a ligação entre a estação do Oriente e o aeroporto, segundo anunciou a empresa este domingo.

O prolongamento da linha Vermelha, com as novas estações de Moscavide, Encarnação e Aeroporto, conta com 3.326 metros de extensão e o Metropolitano de Lisboa estima um valor médio mensal de mais de 400 mil novos passageiros neste troço.

De acordo com um comunicado do Metro, as três novas estações vão permitir uma redução anual de cinco mil toneladas de emissões de Dióxido de Carbono.

Para o Metro o prolongamento da linha Vermelha a partir da estação do Oriente e em direção ao Aeroporto é estruturante para a cidade de Lisboa e terá um impacto significativo na articulação dos terminais da rede transeuropeia de transportes, através da ligação da Gare Intermodal de Lisboa (GIL) ao Aeroporto Internacional de Lisboa.

Este novo troço da linha Vermelha tem uma extensão de 3,326 quilómetros para um percurso de cerca de 5 minutos entre o Oriente e o Aeroporto e comporta a inauguração de três novas estações: Moscavide, Encarnação e Aeroporto.

A estação de Moscavide situar-se-á junto ao aglomerado de Moscavide, na Rua João Pinto Ribeiro, a estação de Encarnação localizar-se-á na Rua General Silva Freire, próximo do cruzamento com a Rua Capitão Tenente Oliveira e Carmo, enquanto a estação do Aeroporto implantar-se-á próximo do edifício cilíndrico da aerogare onde se efetuam as chegadas e as partidas do Aeroporto, estando prevista a ligação direta da estação a este edifício através de uma galeria de correspondência.

Apesar das obras em curso a verdade é que a empresa teve de adequar a sua expansão à atual crise financeira em que se encontra o país, e as empresas de transporte em particular, a que se junta a dificuldade em obter financiamento junto das instituições financeiras, aliada às amplamente conhecidas restrições orçamentais da República, levaram a que o Metropolitano de Lisboa, E.P.E. implementasse uma redução significativa do volume de investimento.

Nesse sentido, a empresa hierarquizou as suas necessidades e reprogramou o seu plano de investimento, sem, contudo, abandonar qualquer dos investimentos previstos. Assim, as expansões das linhas do Metropolitano de Lisboa, em curso, serão todas executadas, embora a um ritmo mais lento do que havia sido inicialmente programado.
Metro chega às 55 estaçõesCom os 3,326 quilómetros do novo troço do metro a inaugurar terça-feira, que liga a Gare do Oriente ao aeroporto, a rede do Metropolitano de Lisboa fica sete vezes maior do que quando foi inaugurada, em 1959, com 6,5 quilómetros de extensão.

Na sua inauguração a rede abriu ao público com 11 estações e uma única linha em forma de Y, constituída pelos troços Sete Rios-Rotunda, hoje Marquês de Pombal, e Entrecampos-Rotunda que confluíam no troço comum Rotunda-Restauradores.

Com as novas inaugurações o metro chega ao número de 55 estações, espalhadas pelas linhas amarela, azul, verde e vermelha numa extensão de 43 quilómetros.

O primeiro projeto português de um sistema de caminhos-de-ferro subterrâneo tinha sido publicado no século XIX, mas a sociedade gestora foi criada apenas em 1948, impulsionada pela retoma da economia e pelas políticas de eletrificação posteriores à II Guerra Mundial.

No primeiro ano registaram-se 15,3 milhões de passageiros, mas 50 anos depois os números rondam os 180 milhões de passageiros por ano.

O novo troço da Linha Vermelha, que liga a Gare do Oriente ao aeroporto e que abre três novas estações -- Moscavide, Encarnação e Aeroporto --, teve um investimento na ordem dos 218 milhões de euros.

Depois da abertura dessa linha, o Metropolitano de Lisboa tem prevista a extensão Amadora-Este/Reboleira, na Linha Azul, e a criação de uma interface no Terreiro do Paço.

"A intervenção no Terreiro do Paço tem como objetivo a criação de um interface que conjugue os vários tipos de transportes no mesmo edifício, neste caso, metro, barco, autocarro e táxi", escreve a empresa em comunicado.

Irão também decorrer obras nas estações da Baixa-Chiado e Colégio Militar para melhorar as acessibilidades, nomeadamente a "pessoas de mobilidade condicionada", e a estação do Areeiro será alvo de uma remodelação.

A estação terá um novo átrio e acessos na zona sul da Praça Francisco Sá Carneiro, junto à Avenida Almirante Reis. O átrio já existente será também remodelado, bem como os acessos à superfície.

"Será também aumentada a extensão do cais dos atuais 70 metros para 105 metros, por forma a poder receber composições de seis carruagens, tal como já acontece em quase todas as estações da rede do Metropolitano de Lisboa, ficando apenas a faltar a intervenção na Estação Arroios", indicou a empresa.
Oferta de transporte reduzida
Recentemente o serviço prestado pelo Metro de Lisboa sofreu algumas alterações com reajustes na exploração que passaram pela diminuição da velocidade de exploração e pela redução do número de carruagens em circulação.

A redução de carruagens, a mais sentida pelos utentes, aconteceu principalmente na linha Verde onde a circulação passou a realizar-se durante todo o período de exploração com comboios de três carruagens.

Já nas restantes linhas e nos dias úteis os comboios circulam com composições de seis carruagens desde as 6.30 horas e até às 21.30 horas na linha Azul, às 21 horas na linha Amarela e às 20.30 horas na linha Vermelha.

A partir destas horas e até ao final de exploração, à 1.00 hora, os comboios nestas linhas são reduzidos a composições de 3 carruagens.

Já quanto aos fins de semana e feriados e em todas as linhas e durante todo o dia os comboios circulam com três carruagens.

Tópicos:

Aeroporto da Portela, Metro de Lisboa, Metropolitano de Lisboa, Oriente, julho, linha Vermelha,

A informação mais vista

+ Em Foco

A primeira-ministro britânica descarta um segundo referendo, por considerar que não vai solucionar a encruzilhada que o Reino Unido enfrenta.

Xi Jinping passou dois dias em Lisboa, na primeira visita de Estado a Portugal desde que é Presidente da República Popular da China. Foram assinados vários acordos bilaterais.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      O processo de degelo na Gronelândia acelerou substancialmente nas últimas décadas. Os investigadores alertam para o perigo da subida do nível da água do mar.