Portugal já exporta mais calçado do que produz

| Economia

|

O setor do calçado português já ultrapassou os 100% de exportações, o que significa que exporta até parte do que importa, de acordo com dados do mais recente World Footwear Yearbook hoje apresentado em Frankfurt.

"É preciso perceber que nos fluxos de exportação, muitas vezes, estão produtos que são importados. Nós, muitas vezes, importamos calçado que é reexportado e é muito fácil ter mais de 100% nas exportações. Se olharmos para países como Hong Kong, Bélgica ou Panamá, nenhum deles produz quase sapatos nenhuns e são exportadores relevantes", explicou à Lusa o diretor executivo da Associação Portuguesa dos Industriais do Calçado, Componentes, Artigos de Pele e Seus Sucedâneos (APICCAPS), João Maia, entidade responsável pelo anuário.

No anuário pode ler-se que "Portugal exporta tudo o que produz (101%), enquanto Itália (109%) e Espanha (150%) exportam mais do que fabricam".

Segundo os dados relativos a 2015, Portugal coloca-se em 18.º na lista de maiores produtores mundiais, em termos de quantidade, e em 13.º no que diz respeito ao valor das exportações, caindo uma posição em ambas as listas quando comparado com os números de 2014.

O setor nacional do calçado só fica atrás da Itália no que toca ao preço médio de produto exportado, colocando-se à frente de países como o Japão, Espanha ou Indonésia.

João Maia sublinha que "Portugal está neste momento em máximos históricos dos valores das exportações", tendo crescido, "em termos de valor, 50% entre 2009 e 2014, o que quer dizer que cresceu 10% ao ano", momento a partir do qual tem crescido entre um a 2%.

"O que quer dizer que estamos numa fase de consolidação do processo de exportação. Esperamos retomar um maior crescimento no futuro, mas o nosso principal mercado é o europeu, que não está a registar grandes crescimentos. O que quer dizer que temos que procurar outro motor para o crescimento fora da Europa", afirmou o diretor executivo da APICCAPS.

De acordo com o retrato traçado pelo anuário da APICCAPS, Portugal exporta, em valor, mais de dois mil milhões de dólares e 79 milhões de pares de sapatos, tendo por principais mercados de destino França, Alemanha, Holanda, Espanha e o Reino Unido.

O setor nacional coloca-se em 10.º lugar na lista de maiores exportadores de calçado de couro e em sétimo no `ranking` de calçado impermeável.

Como a APICCAPS recorda, "a migração da produção para segmentos de maior valor acrescentado é o grande objetivo do setor, consagrado no mais recente Plano Estratégico FOOTure2020: Ser a referência internacional da indústria de calçado, pela sofisticação e pela criatividade, reforçando as exportações portuguesas alicerçadas numa base produtiva nacional, sustentável e altamente competitiva, fundada no conhecimento e na inovação`".

Tópicos:

APICCAPS, Hong Kong Bélgica, Industriais Calçado Componentes Artigos,

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    O incêndio de Pedrógão Grande provocou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 pessoas feridas. Revisitamos os últimos dias com fotografias e imagens aéreas captadas com recurso a um drone.

      É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

      Por que razão não voltou o Homem ao satélite natural da Terra desde a década de 70 do século XX? Uma das explicações pode estar na poeira que cobre a superfície da Lua.