Trabalhadores da Moviflor suspendem greve

| Economia

Os trabalhadores das lojas de mobiliário Moviflor decidiram suspender a greve marcada para quinta-feira, ao constatarem que a empresa tinha completado o pagamento do salário de março.

Segundo um comunicado do CESP - Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal, os empregados da empresa puderam verificar, cerca das 18:00 horas, que tinham nas suas contas bancárias a metade do salário de março que estava em falta.

Decidiram, por essa razão, forma suspender o protesto marcado para a frente das loja para quinta-feira, embora tenham decidido regressar à luta no dia 1.º de maio. Em causa está ainda o pagamento de 75% do subsídio de Natal de 2012.

Célia Lopes, do CESP, afirmou que os trabalhadores, perante "situações dramáticas de casais que trabalham nas lojas", tinham lançado um ultimato à empresa para o pagamento dos 50 por cento.

Perante o depósito dos salários desistiram do protesto, até tendo em conta "a visibilidade negativa que isto daria à empresa, com o fecho de lojas".

Célia Lopes admite que "as situações para o comércio podem não estar muito favoráveis neste momento", mas os trabalhadores interrogam-se como é que "a empresa, desde novembro, se tornou investidora em Angola e em Moçambique".

Tópicos:

Natal,

A informação mais vista

+ Em Foco

Filipe Vasconcelos Romão, comentador da Antena 1 para Assuntos Internacionais, debruça-se sobre a fase decisiva do processo de impeachment no Brasil.

O padre jesuíta Nuno da Silva Gonçalves vê a universidade como um grande laboratório da Igreja Católica com alunos de 130 países.

A ponte que começou por se chamar Salazar e recebeu, depois da Revolução dos Cravos, a designação de 25 de Abril cumpriu meio século. A RTP assinalou o aniversário com um dossier multimédia.

    Uma rubrica do site da RTP e do Jornal 2 dentro do contexto evocativo do centenário da Grande Guerra. Será emitida todas as segundas-feiras.