Trabalhadores da Moviflor suspendem greve

| Economia

Os trabalhadores das lojas de mobiliário Moviflor decidiram suspender a greve marcada para quinta-feira, ao constatarem que a empresa tinha completado o pagamento do salário de março.

Segundo um comunicado do CESP - Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal, os empregados da empresa puderam verificar, cerca das 18:00 horas, que tinham nas suas contas bancárias a metade do salário de março que estava em falta.

Decidiram, por essa razão, forma suspender o protesto marcado para a frente das loja para quinta-feira, embora tenham decidido regressar à luta no dia 1.º de maio. Em causa está ainda o pagamento de 75% do subsídio de Natal de 2012.

Célia Lopes, do CESP, afirmou que os trabalhadores, perante "situações dramáticas de casais que trabalham nas lojas", tinham lançado um ultimato à empresa para o pagamento dos 50 por cento.

Perante o depósito dos salários desistiram do protesto, até tendo em conta "a visibilidade negativa que isto daria à empresa, com o fecho de lojas".

Célia Lopes admite que "as situações para o comércio podem não estar muito favoráveis neste momento", mas os trabalhadores interrogam-se como é que "a empresa, desde novembro, se tornou investidora em Angola e em Moçambique".

Tópicos:

Natal,

A informação mais vista

+ Em Foco

A União Europeia está ameaçada e tem de voltar à sua génese para se fortalecer e recuperar influência na cena mundial. Ou arrisca-se a perder o comboio do desenvolvimento e a desmembrar-se em pouco tempo.

    Num contexto de retorno do medo ao Reino Unido, a diplomata britânica Kirsty Hayes aponta a importância de todos os habitantes de Londres estarem unidos.

    Foram mais de três horas de debate a cinco mas sem grandes novidades. Le Pen defendeu o fim da imigração. Macron foi atacado pelas ligações à banca.

    Estarão os nossos equipamentos comprometidos? O especialista em cibersegurança Pedro Queirós alerta para um problema "assustador".