Shevchenko dá liderança isolada do Grupo D à Ucrânia

| Euro 2012

Andriy Shevchenko foi o homem do jogo ao apontar os dois golos da vitória ucraniana
|

A Ucrânia venceu hoje a Suécia 2-1, em jogo da primeira jornada do Grupo D do Campeonato da Europa de futebol, disputado no Estádio Olímpico de Kiev. Ibrahimovic (52 minutos) inaugurou o marcador num desvio oportuno, mas o "herói" Shevchenko (55 e 62) operou a reviravolta, com dois golos em antecipação e de cabeça.

Grande jogo de futebol no Estádio Olímpico de Kiev. Na estreia da co-anfitriã Ucrânia no Euro 2012, viu-se um dos melhores jogos da competição até agora.

A partida parte foi repartida mas se é verdade que a Suécia chegou com mais perigo à baliza contrário, também se pode dizer que foi a Ucrânia a chegar mais vezes ao último terço do campo. Não é de admirir o nulo ao intervalo.

Para a segunda metade estava guardado o melhor do encontro para o brilho dos veteranos capitães das armadas ucranianas e suecas.

Ibrahimovic adiantou os nórdicos aos 52 minutos a desviar um cruzamento de Kallstorm mas a vantagem da Suécia só durou três minutos.

Shevchenko, aos 35 anos, mostrou que velhos são os trapos e em menos de sete minutos resolveu a partida para a equipa da casa com a preciosa ajuda de Konoplyanka em ambos os lances. Aos 55, Konoplyanka trocou de flanco e isso deu resultados com o jovem ucraniano a cruzar para a área onde o capitão só teve que cabecear de forma certeira para o fundo das redes de Isaksson. Aos 62 minutos, um canto batido ao primeiro poste pelo mesmo Konoplyanka deu ao veterano "herói" a possibilidade de desviar e de ver Isaksson pregado ao relvado.

Com este resultado, a Ucrânia assume a liderança isolada do Grupo D do Euro 2012. Inglaterra e França, que hoje empataram 1-1, têm um ponto e a Suécia ainda não pontuou. Na próxima ronda, a Ucrânia joga com a França e em caso de vitória garante o apuramento para os quartos de final na estreia numa fase final de uma grande competição.

A informação mais vista

+ Em Foco

Num contexto de retorno do medo ao Reino Unido, a diplomata britânica Kirsty Hayes aponta a importância de todos os habitantes de Londres estarem unidos.

Foram mais de três horas de debate a cinco mas sem grandes novidades. Le Pen defendeu o fim da imigração. Macron foi atacado pelas ligações à banca.

Estarão os nossos equipamentos comprometidos? O especialista em cibersegurança Pedro Queirós alerta para um problema "assustador".

    Em São Bento, uma fotografia denuncia a localização da Fundação Mário Soares, uma instituição de utilidade pública, cujo futuro está ainda a ser pensado.