Mercado fechado. Quanto é que se gastou em transferências no futebol europeu?

| Futebol Internacional

Pep Guardiola, treinador do Manchester City, um dos clubes que mais dinheiro gastou em transferências
|

O mercado fechou na Europa e mais uma vez a Inglaterra encontra-se no primeiro lugar do ranking de valor gasto em transferências. Fazemos as contas aos milhões. E são muitos.

O campeonato principal de Inglaterra (Premier League) gastou um total de 1416 milhões de euros. São números revelados pelo transfermarkt.pt que reúne dados sobre transferências e valores gastos por país e clube.

A Itália encontra-se em segundo lugar, tendo neste defeso despendido 711 milhões de euros em contratações.

Em terceiro e quarto lugar, estão a Alemanha e a Espanha, com um valor de 558 e 490 milhões, respetivamente. 


A 2ª divisão inglesa (Championship) ocupa o quinto lugar deste ranking, com um valor de 248 milhões de euros. Mostra assim o poder económico dos clubes ingleses.

A primeira liga francesa ocupa a sexta posição, com 195 milhões de euros gastos, seguida de uma das potências em ascensão no futebol internacional, a China, que gastou um total de 131 milhões de euros neste defeso.

Segue-se Portugal, muito devido aos três clubes principais - Benfica, Sporting e Porto. Por cá gastou-se 97 milhões de euros na compra de jogadores.
Que clube gastou mais dinheiro?
Os três clubes que mais gastaram neste mercado de transferências, em toda a Europa, foram o Manchester City (213 milhões), Manchester United (185 milhões) e a Juventus (162,5 milhões).

Para isso muito contribuíram as contratações de Paul Pogba – 105 milhões (Manchester United), que se tornou no futebolista mais caro da história, Gonzalo Higuain – 90 milhões (Juventus) e John Stones – 55,60 milhões de euros (Manchester City). 

Em relação aos clubes portugueses, o mercado também esteve bastante ativo. O Benfica foi o clube que mais gastou - 33,40 milhões. O Sporting logo de seguida - 30,67 milhões - e depois o FC Porto - 29.70 milhões.

A informação mais vista

+ Em Foco

O homem que se deixa guiar mais pela racionalidade e disciplina considera que chegou o momento de “mobilizar os portugueses e com eles restabelecer a confiança num futuro melhor”.

    Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

      Em entrevista ao programa Visão Global da Antena 1, o ministro dos Negócios Estrangeiros reforça o apoio ao diálogo político na Venezuela e falou sobre as relações entre Portugal e Angola.

      O ministro da Administração Interna garante em entrevista à Antena 1 que não será "nem para o ano, nem daqui por dois" que ser resolve o problema dos incêndios em Portugal.