Restelo pronto a receber a final feminina da Champions

| Liga dos Campeões

O Estádio do Restelo acolhe a elite do futebol feminino europeu
|

As alemãs do Wolfsburgo, detentoras da Liga dos Campeões feminina de futebol, vão defender em Lisboa, na quinta-feira, no Estádio do Restelo, o título conquistado em 2013, em Londres, frente às suecas do Tyreso, que tentam vencer o troféu pela primeira vez.

Na 13.ª final, a formação da Alemanha, país que arrebatou sete "canecos", tenta tornar-se a terceira a revalidar o cetro, depois das suecas do Umea (2002/03 e 2003/04) e das francesas do Lyon (2010/11 e 2011/12).

Por seu lado, as estreantes do Tyreso procuram reeditar os sucessos de FFC Turbine Potsdam (2004/05), Arsenal (2006/07), Duisburgo (2008/09) e Wolfsburgo (2012/13), que venceram na primeira presença, além, claro, do Frankfurt, que ganhou o jogo decisivo da edição inaugural (2001/02).

O Restelo vai assistir à quinta final entre alemãs e suecas - sendo que, pelo menos, um dos dois países esteve sempre representado - e à segunda consecutiva do Wolfsburgo, orientado por Ralf Kellermann.

A estrela das alemãs é a avançada Conny Pohlers, que, antes de terminar a carreira, no final da época, aspira ao quarto título europeu - depois dos triunfos por Potsdam (2005), Frankfurt (2008) e Wolfsburgo (2013) -, tal como a médio Viola Odebrecht.

Pohlers, de 35 anos, é a melhor marcadora da história da competição, com 48 golos, oito dos quais em finais, um recorde, e, em Lisboa, tem a oportunidade de igualar o recorde de oito presenças em finais da sueca Anna Paulson.

Para chegar à final de quinta-feira, que vai ser arbitrada pela ucraniana Kateryna Monzul, o Tyreso venceu o Birmingham, por 3-0, na segunda mão da meia-final, depois de um "nulo" em Inglaterra, graças dois golos de Press e um de Marta, que ainda desperdiçou uma grande penalidade.

O Wolfsburgo, também após um 0-0, venceu em casa as compatriotas do FFC Turbine Potsdam por 4-2, recuperando de duas desvantagens. Julia Simic deu vantagem às visitantes, Nadine Kessler empatou, Genoveva Aonma voltou a colocar o Potsdam na frente, mas um "bis" de Alexandra Popp concretizou a reviravolta, antes de Martina Muller selar o 4-2 final.

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à RTP, a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, garantiu que enquanto tiver confiança do primeiro-ministro não vai sair do Executivo.

Jorge Paiva, botânico e professor, um dos maiores peritos da floresta, critica em entrevista à Antena 1 o desinteresse generalizado dos políticos pelos problemas da floresta.

É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.