Foto: RTP Multimédia

Economistas nacionais defendem que Portugal e zona euro sobrevivem sem Grécia mas ficam mais pobres

O economista Luís Campos e Cunha manifestou hoje o desejo de que a Grécia não saia da Zona Euro, mas mostrou-se convicto de que Portugal e o euro sobreviverão a esta eventual situação, embora fiquem mais pobres. Já o economista Augusto Mateus afirma que Portugal tem tido "finanças a mais e economia a menos".

Campos e Cunha reconheceu que Portugal e a Zona Euro "ficarão mais pobres sem a Grécia e certamente diminuídos", mas acrescentou: "Quem quer estar está, quem não quiser não está".

O economista considerou que o principal problema da Grécia - que não se coloca em Portugal - são as instituições e mostrou-se desiludido com o Governo grego que - diz - preferiu virar-se contra as instâncias europeias.

Para Augusto Mateus, também ele economista, Portugal tem tido "finanças a mais e economia a menos". Acrescenta que a estabilidade financeira só é garantida com a criação de riqueza.

Augusto Mateus considerou que a economia portuguesa é "relativamente fechada" e afirmou que é preciso "ter menos medo da globalização", desenvolvendo estratégias competitivas adequada.

  • .Corrigir
  • .Leia-me
  • .Imprimir
  • .Enviar
  • .Partilhar
  • .Aumentar
  • .Diminuir