Antigo responsável máximo pela segurança e espionagem no Tibete expulso do PC Chinês

| Mundo

Le Dake, antigo responsável máximo pela segurança e espionagem na Região Autónoma do Tibete, no sudoeste da China, foi expulso do Partido Comunista Chinês (PCC) por suspeitas de corrupção, avançou a agência oficial chinesa Xinhua.

Le, de 55 anos, é mais um alto quadro a ser expulso do PCC, desde a ascensão ao poder de Xi Jinping, que prometeu "combater tanto as moscas como os tigres", numa alusão aos altos quadros do partido que durante muito tempo pareciam agir com total impunidade.

O antigo responsável, que está a ser investigado desde junho por abuso de poder e por ter aceitado subornos, ocupava desde 2013 a vice-presidência da assembleia legislativa tibetana.

Entre 2004 e 2014, foi chefe do Departamento de Segurança do Estado no Tibete, estando encarregue da espionagem e gestão da polícia, durante um período sensível numa das regiões chinesas mais propícias ao separatismo.

 

 

Tópicos:

Autónoma, Xinhua Le,

A informação mais vista

+ Em Foco

A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

O economista guineense Carlos Lopes, em entrevista à RTP, considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.