Austrália aprova lei para alargar tempo de prisao de terroristas de alto risco

| Mundo

O Parlamento australiano aprovou uma lei que vai permitir manter na prisão os terroristas considerados de alto risco depois de terem cumprido a sua pena.

"O plano é uma resposta necessária perante a ameaça grave que representa o terrorimo para a Austrália e o seu povo", disse o ministro da Justiça, Michael Keenan, antes da aprovação da nova lei na noite de quinta-feira.

O regime de detenção contínua, que foi apoiado pela oposição trabalhista, tem um período de até dez anos.

A Austrália elevou a "alto" o seu alerta terrorista em setembro de 2014 e desde então reforçou a segurança e aprovou uma série de leis antiterroristas para evitar que se produzam atentados no seu solo, que tem sido cenário de ataques isolados.

O atual alerta "provável", vigente desde novembro de 2015, foi justificado com base na informação "credível" dos serviços secretos que indica que um grupo de pessoas tem intenção e capacidade de levar a cabo um ato terrorista na Austrália.

A informação mais vista

+ Em Foco

João Viera Lopes da Confederação de Comercio e Serviços de Portugal (CCP) explica e garante que não há nenhuma medida alternativa equivalente à redução da TSU.

É uma esquerda em cacos aquela que se prepara para escolher um candidato ao Eliseu. Há sete pretendentes à vaga. Valls, Montebourg e Hamon aparecem como favoritos.

    Milhões de pessoas, por todo o mundo. No dia seguinte à tomada de posse multiplicaram-se as manifestações contra Donald Trump. Os protestos aconteceram em pelo menos 60 países.

      O primeiro registo de imagem de uma posse presidencial na América é de março de 1857, quando James Buchanan se tornou o 15.º Presidente.