Corpo de Osvaldo Serra Van-Dúnem chega quinta-feira a Luanda

| Mundo

O corpo de Osvaldo Serra Van-Dúnem, ministro do Interior de Angola, que morreu sábado no Brasil na sequência de uma intervenção cirúrgica, chega quinta-feira a Luanda, realizando-se o funeral no dia seguinte, anunciou hoje fonte oficial na capital angolana.

O programa oficial das exéquias do ministro do Interior refere que a urna com os restos mortais de Osvaldo Serra Van-Dúnem chega ao Aeroporto de Luanda às 07:00 de quinta-feira, seguindo depois para a Unidade Operativa da Polícia Nacional, onde será prestada uma homenagem pelos funcionários do Ministério do Interior.

Na sexta-feira, as exéquias começam às 08:00 com a celebração de uma missa de corpo presente na Igreja dos Remédios, na Cidade Alta, seguindo depois a urna para a Assembleia Nacional.

No Palácio dos Congressos, está prevista a homenagem dos deputados, membros do governo, magistrados, delegações estrangeiras, representantes de partidos políticos, entidades religiosas, corpo diplomático e forças armadas, numa cerimónia que se prolongará durante toda a manhã.

Ao princípio da tarde, o local será aberto para uma homenagem da população ao ministro do Interior, seguindo depois o cortejo fúnebre para o Cemitério do Alto das Cruzes, onde serão prestadas honras militares e terá lugar o funeral.

O ministro angolano do Interior morreu sábado no Hospital Albert Einstein, em S. Paulo, Brasil, na sequência de uma intervenção cirúrgica.

Osvaldo Van-Dúnem nasceu a 8 de Agosto de 1950, em Luanda, tendo realizado os estudos primários em Caculo, província do Cuanza Sul, e os secundários em Luena e Luanda, onde veio a licenciar-se em Ciências Históricas e Militares.

A sua actividade política remonta a 1973, altura em que participou em actividades clandestinas promovidas pelo MPLA, tendo em Julho de 1974 sido um dos organizadores da marcha de protesto realizada em Luanda pelos militares angolanos que integravam o exército português contra o poder colonial.

Osvaldo Serra Van-Dúnem filiou-se no MPLA em Novembro de 1978, tendo posteriormente vindo a desempenhar vários cargos no partido, de que era actualmente membro do Comité Central e do Bureau Político.

Entre outros cargos, desempenhou as funções de Chefe da Casa Militar do Presidente da República, de 1992 a 1995, ano em que assumiu as funções de Embaixador de Angola no Brasil.

Em 1999 foi nomeado Embaixador de Angola em Portugal, onde se encontrava quando foi nomeado ministro do Interior, em Dezembro de 2002, substituindo no cargo Fernando da Piedade Dias dos Santos "Nandó", actual primeiro-ministro de Angola.

Na sexta-feira e no sábado, ao início da tarde, a embaixada de Angola em Lisboa terá disponível um livro de condolências em homenagem ao antigo embaixador.

A informação mais vista

+ Em Foco

Várias organizações de defesa dos Direitos Humanos exigem uma investigação rigorosa.

A morte do advogado foi conhecida há dois anos, no Natal, mas existem vários indícios de que a possa ter simulado.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.