Crescimento do gelo no Ártico está em queda para esta época do ano

| Mundo

O crescimento do gelo marinho no Ártico está em queda, anunciou hoje a Agência Espacial Europeia (ESA), que registou um dos volumes mais baixos para esta época do ano, ao nível do assinalado em 2011 e 2012.

Segundo dados recolhidos pelo satélite CryoSat da ESA, encarregado de estudar os gelos polares e a sua evolução para medir os efeitos das alterações climáticas, este mês a capa de gelo do Polo Norte teve menos 10% no seu volume em relação ao que é o habitual.

O Ártico ganha, geralmente, cerca de 161 quilómetros cúbicos de gelo por dia em novembro, mas este ano teve um aumento de 139 quilómetros cúbicos diários, com um volume total de gelo estimado em 10.500 quilómetros cúbicos até ao final do mês, informou a ESA num comunicado.

"Embora o gelo marinho no Ártico central é atualmente mais denso do que em 2011, há muito menos gelo em regiões mais ao sul, como nos mares de Beaufort, da Sibéria Oriental e de Kara", disse a agência.

Estes dados somam-se aos recolhidos pela ESA no ano passado no oceano Antártico, em que o manto de gelo perde 60 quilómetros cúbicos ao ano desde 2009, uma região até então aparentemente imune aos efeitos das alterações climáticas.

O CryoSat, lançado em 2010, está equipado com um altímetro que pode medir com precisão a variação da altura da superfície de gelo, o que permite aos cientistas ver a evolução com um a exatidão sem precedentes.

 

 

Tópicos:

Beaufort, CryoSat, Espacial,

A informação mais vista

+ Em Foco

Um mês depois dos incêndios, ainda há raízes em combustão sob a terra no concelho de Pedrógão Grande. Reunimos aqui um conjunto de vídeos em 360 graus captados no local.

A 17 de junho, Portugal começou a assistir ao mais mortífero incêndio de sempre. A paisagem de Pedrógão Grande mantém-se em tons de sépia. Um cenário captado pelo fotojornalista Pedro A. Pina.

    Nos últimos dois anos a RTP ouviu três vozes com diferentes perspetivas do conflito israelo-palestiniano: Miko Peled, Shahd Whadi e Tamir Ginz.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A caminho das autárquicas a Antena 1 fixa o país em 20 retratos.