Director da CIA avisa Trump: cancelar acordo com o Irão seria uma "loucura"

| Mundo

|

O director cessante da CIA, John Brennan, advertiu o presidente entrante, Donald Trump, contra a concretização das suas anunciadas intenções de cancelar o acordo nuclear com o Irão. Fazê-lo seria, segundo Brennan, "o cúmulo da loucura".

O director da CIA, citado pela agência Reuters, considera que o eventual cancelamento do acordo com o Irão seria contraproducente, tornando mais provável que o Irão e outros países adquirissem efectivamente armamento nuclear.

Segundo Brennan, numa entrevista hoje difundida pela BBC, esse cancelamento "poderia levar a um programa de armamento dentro do Irão, que induzisse outros Estados da região a embarcarem nos seus próprios programas". Por isso, acrescentou, "seria o cúmulo da loucura se a próxima Administração rasgasse esse acordo".

Por outro lado, Brennan advertiu Trump contra expectativas ilimitadas na cooperação com a Rússia: "Espero que haja uma melhoria nas relações entre Washington e Moscovo (...) O presidente eleito Trum e a nova Administração precisam de estar de sobreaviso sobre as promessas russas".

Tópicos:

Acordo, CIA, Irão, John Brennan, Nuclear,

A informação mais vista

+ Em Foco

Entrevistado no 360, da RTP3, o ministro das Finanças quis sublinhar que o seu cargo governativo não é exclusivo e pode ser compatível com a presidência do Eurogrupo.

Há muitas perguntas no caminho e muitas respostas que só o caminho pode dar. Pela Última Vez - Histórias sobre o fim que não acaba é o título de uma grande reportagem de Isabel Meira para a rádio pública.

Um atentado suicida em Manchester provocou 22 mortos e dezenas de feridos. A explosão decorreu no final de um concerto da digressão de Ariana Grande Dangerous Woman Tour.

    Um dos mais famosos discos dos Beatles faz agora 50 anos. O histórico álbum "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band" regressou às lojas com várias edições especiais.